segunda-feira, setembro 14, 2009

Mais Murakami

E por falar em Japão, desde meu post sobre Murakami em julho, lá li mais dois livros dele: Norwegian Wood e Dance, Dance, Dance, este último recomendação da Anna (valeu!). Diga-se de passagem, são dois livros bem diferentes mas ambos excelentes. Eu simplesmente não sei dizer qual gostei mais. De uma coisa eu tenho certeza: Murakami é fácil fácil um dos escritores mais originais que já li. E como vicia...Já estou planejando emendar a leitura de mais dois livros: A Wild Sheep Chase e Hard-boiled Wonderland and the End of the World (considerado um dos livros mais pirados do japonês).

Norwegian Wood é o livro mais autobiográfico do autor e one of a kind. Ele é diferente dos outros livros que misturam elementos de realismo mágico, cultura pop, mitologia e literatura fantástica, com uma boa dose de lirismo - lirismo sendo provavelmente a característica que mais me atrai no autor. Norwegian Wood descreve o ritual de passagem de um adolescente, as dúvidas e inquietações típicas da adolescência, o primeiro amor, a descoberta da sexualidade etc. Como pano de fundo as revoluções estudantis de Tóquio do final dos anos 60. E claro, muitas referências à cultura pop e à música.

Dance, Dance, Dance tem uma narrativa surreal, onde os capítulos alternam sonho e realidade. Entre os personagens temos um jornalista freelance (o narrador), escortes de luxo, uma adolescente sensível de 13 anos com poderes mediúnicos, um ator de cinema e o enigmático Sheep Man, que já tinha feito sua aparição em Wild Sheep Chase. Em suma, Murakami é um daqueles autores difíceis de definir, do tipo ame-o ou deixe-o. Altamente recomendado para quem aprecia leituras inteligentes e instigantes.




Errata: No post anterior eu havia comentado que Norwegian Wood era o primeiro livro do autor. O que não é verdade, o primeiro livro é Hear the Wind Sing (publicado no Japão em 1979 e com tradução em inglês em 1987). Norwegian Wood foi publicado em 1987 no Japão, com tradução em inglês publicada no ano 2000.

6 comentários:

tanyssima disse...

Fiquei morrendo de vontade de ler esse autor desde aquele outro post seu. Agora a vontade aumentou. Pena que estou tão dura por causa das viagens (uma agora no final do mês e outra em outubro), senão iria logo comprar uns livros dele na Amazon. Mas vou ficar de olho nas livrarias do aeroporto e de Buenos Aires pra ver se acho pocket books dele. Estou tomando notas dos títulos aqui...
Você sempre me passando boas dicas!
beijos

Anônimo disse...

Eu li o Hard Boiled Wonderland e achei louquissimo, totalmente surreal, mas muito bom. Norwegian Wood e The wind-up bird chronicle estão aqui na estante olhando p mim. So many books, so little time ;O)

Anônimo disse...

beijuuuuuuuuuuus,L

Beth Blue disse...

Luca, lê o Norwegian Wood primeiro. Tenho certeza de que você vai adorar! :-)

Anônimo disse...

Eu acabei de ler Mario Vargas Llosa, nunca tinha lido nada dele.Tia Julia e o escrivinhador: No Peru dos anos 50 Vargas Llosa um jovem c aspirações literarias vive um romance proibido c sua tia, Julia, q tem o dobro da sua idade. Em paralelo ele conhece Pedro Camacho escritor de radionovelas e fica fascinado pelos seus enredos mirabolantes. Eu recomendo!
Estou lendo agora o The Virgin Suicides - tbm muito bom.
Vou engatar no Murakami depois..:O)

Beijuuuuuuuuuus,L

Cris A. disse...

Achei Norwegian Wood especialmente interessante por causa da questão do suicídio, bem forte no livro. É muito bom!

Tecnologia do Blogger.

Mais Murakami

E por falar em Japão, desde meu post sobre Murakami em julho, lá li mais dois livros dele: Norwegian Wood e Dance, Dance, Dance, este último recomendação da Anna (valeu!). Diga-se de passagem, são dois livros bem diferentes mas ambos excelentes. Eu simplesmente não sei dizer qual gostei mais. De uma coisa eu tenho certeza: Murakami é fácil fácil um dos escritores mais originais que já li. E como vicia...Já estou planejando emendar a leitura de mais dois livros: A Wild Sheep Chase e Hard-boiled Wonderland and the End of the World (considerado um dos livros mais pirados do japonês).

Norwegian Wood é o livro mais autobiográfico do autor e one of a kind. Ele é diferente dos outros livros que misturam elementos de realismo mágico, cultura pop, mitologia e literatura fantástica, com uma boa dose de lirismo - lirismo sendo provavelmente a característica que mais me atrai no autor. Norwegian Wood descreve o ritual de passagem de um adolescente, as dúvidas e inquietações típicas da adolescência, o primeiro amor, a descoberta da sexualidade etc. Como pano de fundo as revoluções estudantis de Tóquio do final dos anos 60. E claro, muitas referências à cultura pop e à música.

Dance, Dance, Dance tem uma narrativa surreal, onde os capítulos alternam sonho e realidade. Entre os personagens temos um jornalista freelance (o narrador), escortes de luxo, uma adolescente sensível de 13 anos com poderes mediúnicos, um ator de cinema e o enigmático Sheep Man, que já tinha feito sua aparição em Wild Sheep Chase. Em suma, Murakami é um daqueles autores difíceis de definir, do tipo ame-o ou deixe-o. Altamente recomendado para quem aprecia leituras inteligentes e instigantes.




Errata: No post anterior eu havia comentado que Norwegian Wood era o primeiro livro do autor. O que não é verdade, o primeiro livro é Hear the Wind Sing (publicado no Japão em 1979 e com tradução em inglês em 1987). Norwegian Wood foi publicado em 1987 no Japão, com tradução em inglês publicada no ano 2000.

6 comentários:

tanyssima disse...

Fiquei morrendo de vontade de ler esse autor desde aquele outro post seu. Agora a vontade aumentou. Pena que estou tão dura por causa das viagens (uma agora no final do mês e outra em outubro), senão iria logo comprar uns livros dele na Amazon. Mas vou ficar de olho nas livrarias do aeroporto e de Buenos Aires pra ver se acho pocket books dele. Estou tomando notas dos títulos aqui...
Você sempre me passando boas dicas!
beijos

Anônimo disse...

Eu li o Hard Boiled Wonderland e achei louquissimo, totalmente surreal, mas muito bom. Norwegian Wood e The wind-up bird chronicle estão aqui na estante olhando p mim. So many books, so little time ;O)

Anônimo disse...

beijuuuuuuuuuuus,L

Beth Blue disse...

Luca, lê o Norwegian Wood primeiro. Tenho certeza de que você vai adorar! :-)

Anônimo disse...

Eu acabei de ler Mario Vargas Llosa, nunca tinha lido nada dele.Tia Julia e o escrivinhador: No Peru dos anos 50 Vargas Llosa um jovem c aspirações literarias vive um romance proibido c sua tia, Julia, q tem o dobro da sua idade. Em paralelo ele conhece Pedro Camacho escritor de radionovelas e fica fascinado pelos seus enredos mirabolantes. Eu recomendo!
Estou lendo agora o The Virgin Suicides - tbm muito bom.
Vou engatar no Murakami depois..:O)

Beijuuuuuuuuuus,L

Cris A. disse...

Achei Norwegian Wood especialmente interessante por causa da questão do suicídio, bem forte no livro. É muito bom!