quinta-feira, outubro 20, 2011

À moda antiga

Hoje me deu uma vontade enorme de escrever como nos velhos tempos, como eu costumava escrever nos primeiros tempos deste blog. É que ando sentindo falta de mim mesma.

Pra quem não sabe, meu blog já fez 5 anos e nos primeiros tempos, eu escrevia o que tinha vontade de escrever. Sem me preocupar se alguém iria ler ou não. Sem me preocupar sobre o que as pessoas iriam pensar. Mas os tempos mudam, o número de visitas aumenta, a gente fica menos ingênuo e um belo dia se dá conta que escreve mais posts mentais do que publica (e eu sou campeã de posts mentais, acreditem). A gente começa a se policiar, a se reprimir. E sabem de uma coisa? Eu odeio isso! Eu queria sinceramente poder voltar aos tempos em que eu não estava nem aí. Porque minha cabeça continua cheia de idéias e acima de tudo, questionamentos.

Agora não se iludam. No fundo, eu não estou nem aí pro que os outros pensam. Mas ao mesmo tempo, eu entendo hoje melhor do que ontem que a internet é um ESPAÇO PÚBLICO. E isso é bom e ruim. Bom porque ela nos dá mil oportunidades de conhecer muita gente, em vários níveis (e felizmente não apenas no nível superficial do Facebook com o qual ainda tento me acostumar mas no qual acho que nunca me "encaixarei", eu me sinto mais em casa na blogosfera ). Ruim porque as pessoas estão se poupando e se escondendo cada vez mais. Até mesmo nos blogs ditos "pessoais", como o meu sempre foi. E eu, de certa forma, acabei entrando neste movimento. Mas tem dia que dá vontade de mandar todo mundo se danar e botar a boca no trombone...

Eu acho que o que faz o sucesso de um blog pessoal é justamente esta capacidade que a pessoa tem de se comunicar e se expor sem medos (dentro dos limites, claro). É esta espontaneidade cada vez mais rara (e a dose necessário de ingenuidade) que diferencia um blog de tantos outros. Porque a maioria dos blogueiros diz muito mas não conta nada! Eles mais escondem do que expõe. Enfim, é uma escolha.

Então quando digo que sinto falta de mim mesma, na verdade o que eu quero dizer é que não quero mudar (e que se danem os outros). No fundo sei muito bom que o que me faz especial é justamente esta capacidade de me expressar sem medo, de ter meu próprio referencial apesar de tudo e de todos. Esta necessidade (ou teimosia) de ir a fundo quando todo mundo à sua volta se contenta em "voar raso". Quando todo mundo evita a todo custo pensar em qualquer coisa, como vejo no Facebook quase que diariamente.

Sinceramente? Eu tenho a (forte) impressão de que as pessoas estão cada vez com mais preguiça de pensar, de dar sua opinião. Não é nem mais uma questão de se expor ou não. Em alguns casos, é mera preguiça mental mesmo. E nessas horas, nada como o  botão I like pra resolver o problema e encerrar a discussão que nem sequer foi iniciada.

Tá bom que as pessoas tem mais o que fazer e que a vida lá fora é muito mais (e melhor) do que nossas vidinhas virtuais. Mas o nível de superficialidade tem me incomodado. Não apenas no Facebook como na própria blogosfera. Porque eu queria conhecer pessoas autênticas, pessoas pessoas! Pessoas corajosas e capazes de auto-expressão e de auto-reflexão (com ou sem hífen). Pessoas que não necessariamente se escondem atrás da opinião ou das palavras dos outros.

Gente, será que é pedir demais?

8 comentários:

Maria Valéria disse...

penso muito nesse assunto, sabia?

para que eu faça um blog mais pessoal, com mais desabafos, acredito que a melhor saída seria trancar o blog só para convidados.assim, somente as pessoas que eu escolher irão ler, sem ( teoricamente) me julgar. Ou, pelo menos se não me julgassem, seriam pessoas de confiança, que teriam mais o que fazer da vida do que ficar de divertindo às custas do que desabafo.
às vezes , penso em fazer isso, mas desisto.
Mas, não se preocupe, que se eu trancar o blog com certeza vc, assim como a Pri, Tania e outros com certeza serão meus convidados.. hehe!!
quanto ao facebook,meu medo é me expor com relação a contatos profissionais ( colegas, superiores), porque de fofoca e diz- que- diz de gente que não tem esse tipo de contato comigo, eu n]ao tenho medo e ligo o ' foda- se'. então, no meu caso, é preciso saber dosar o que escrevo, porque há coisas que profissionalmente podem ser usadas contra vc( e olha que na minha profissão nem tanto, viu?? em outras há que se ter mais cuidado ainda)
tambem não acho saudavel comentar no facebook sobre início ou término de relacionamentos e seus pormenores... num blog, ainda vai.,.. até porque, nao mostro meu blog pra todo mundo e não o divulgo em redes sociais.
enfim adorei sua reflexão.
estou na fase de fazer memes e responder perguntas e de poucos posts com desabafos ou polêmicas...
mas, tudo é fase..
me aguarde!! hehe.
bjs;))

Mateus Medina disse...

Pô, não tem botão de like aqui? Tô fora :P

Falando sério, entendo perfeitamente. :)

bjs

Georgia disse...

Beth, comigo aconteceu o contrário. No comeco me preocupava quem estaria visitando o meu blog. No que eu iria escrever e se atrairia alguém para lê-lo.
Hooje em dia, nao estou nem ai. Escrevo o que quero, pois o blog é meu caderno de anotacoes.

Um bjao e um lindo fim de semana prá vcs

Bebete Indarte disse...

Eu acho que temos que ser FIEL à nós mesmos, sempre. E nos fazer a pergunta: A quem queremos enganar? A vida é muito curta pra inventarmos e acreditarmos em nossas próprias mentiras, um dia a casa cai. O dia de amanhã pode nunca chegar. E quando ao blog, eu acho que não precisa colocar no 'pessoal' , só pra convidados, isso é coisa pra 'boiola' hahaha. Existem pessoas que gostam de esconder suas dores e temores, e existem pessoas que gostam e necessitam desabafar, alivia a dor, faz a caminhada mais leve. Coloca sim a boca no trombone, vc lê tanto, deve saber que quanto mais verdadeiro as vidas dos personagens, quanto mais a fundo eles vão, mais prazeirosa é a leitura, mais libertadora fica a alma. Beijos e quero ver a Beth Blue de volta, já!

Line disse...

Partilho do mesmo pensamento e nao vejoa hora de poder comecar a escrever como antigamente! :)
Andei relendo meu blog e percebi que ele esta vazio, superficial.
Dei um tempo porque estava sem tempo no trabalho, depois sem computador em casa, e depois inventei de trocar de blog. Mas essa semana tudo de ajeitara, e eu voltarei a ativa!
Providenciarei um botao "foda-se" para quem nao gostar, rs.

Beijos!

Simone Pedroso disse...

Beth, um bom blogueiro escreve como se estivesse conversando com a própria irmã... O objetivo do Facebook é outro. Assim como o Tweeter preenche outra lacuna. E tudo co-existe numa sopa digital.

Não se tolha, tome apenas cuidado para não machucar pessoas queridas com julgamentos extremos e continue desenvolvendo suas elocubrações nesse espaço!

X
Simone

Pri S. disse...

Beth,

Vc sabe que eu tb vivo me questionando sobre essas mesmas coisas. E eu sou completamente "de fases". Às vezes escrevo sem dó nem piedade, esquecendo que as pessoas podem ler e fazer julgamentos precipitados sobre mim sem me conhecer. Neste momento, estou "pegando mais leve", numa postura de exposição menor, aproveitando essa coisa lúdica dos meus projetinhos de perguntas, de fotos e de memes alheios. Uma vez que a gente coloca nosso nome e dá a nossa cara pra bater, é irreal dizer que a gente não "freia" a escrita. O anonimato dá maior liberdade e ponto final. rsrsrs Mas quando vemos "pessoas de verdade" se relacionando na blogosfera, colocando seus questionamentos, se aprofundando, a troca é tão mais plena!

Facebook é superficial, sim. Lugarzinho pra fazer um social, dizer que vc está no mundo, dar uma opinião, compartilhar alguma coisa que não te comprometa. Blog no estilo do nosso, mais pessoal, é outra coisa mesmo. Ou pelo menos deveria ser... rs

Sim, a superficialidade impera! E eu tenho paciência "menos um" pra isso. Tudo tão vazio e descartável... Por isso prefiro manter contato com quem agregue de alguma forma. Quem se permite reflexão e aprofundamento, ótimo. Com aqueles que querem um relacionamento de superficialidade, ótimo tb. Pago na mesma moeda. O que não dá é pra investir tempo e afeto quando a troca é desigual. Porque tempo é precioso. E amizade tb. Preservação acima de tudo. rs

Bjos!

Anita disse...

Já te falei que não me exponho pessoalmente no meu blog e depois te digo o resto, o por quê, como etc. Mas só pessoalmente, né ?

Tecnologia do Blogger.

À moda antiga

Hoje me deu uma vontade enorme de escrever como nos velhos tempos, como eu costumava escrever nos primeiros tempos deste blog. É que ando sentindo falta de mim mesma.

Pra quem não sabe, meu blog já fez 5 anos e nos primeiros tempos, eu escrevia o que tinha vontade de escrever. Sem me preocupar se alguém iria ler ou não. Sem me preocupar sobre o que as pessoas iriam pensar. Mas os tempos mudam, o número de visitas aumenta, a gente fica menos ingênuo e um belo dia se dá conta que escreve mais posts mentais do que publica (e eu sou campeã de posts mentais, acreditem). A gente começa a se policiar, a se reprimir. E sabem de uma coisa? Eu odeio isso! Eu queria sinceramente poder voltar aos tempos em que eu não estava nem aí. Porque minha cabeça continua cheia de idéias e acima de tudo, questionamentos.

Agora não se iludam. No fundo, eu não estou nem aí pro que os outros pensam. Mas ao mesmo tempo, eu entendo hoje melhor do que ontem que a internet é um ESPAÇO PÚBLICO. E isso é bom e ruim. Bom porque ela nos dá mil oportunidades de conhecer muita gente, em vários níveis (e felizmente não apenas no nível superficial do Facebook com o qual ainda tento me acostumar mas no qual acho que nunca me "encaixarei", eu me sinto mais em casa na blogosfera ). Ruim porque as pessoas estão se poupando e se escondendo cada vez mais. Até mesmo nos blogs ditos "pessoais", como o meu sempre foi. E eu, de certa forma, acabei entrando neste movimento. Mas tem dia que dá vontade de mandar todo mundo se danar e botar a boca no trombone...

Eu acho que o que faz o sucesso de um blog pessoal é justamente esta capacidade que a pessoa tem de se comunicar e se expor sem medos (dentro dos limites, claro). É esta espontaneidade cada vez mais rara (e a dose necessário de ingenuidade) que diferencia um blog de tantos outros. Porque a maioria dos blogueiros diz muito mas não conta nada! Eles mais escondem do que expõe. Enfim, é uma escolha.

Então quando digo que sinto falta de mim mesma, na verdade o que eu quero dizer é que não quero mudar (e que se danem os outros). No fundo sei muito bom que o que me faz especial é justamente esta capacidade de me expressar sem medo, de ter meu próprio referencial apesar de tudo e de todos. Esta necessidade (ou teimosia) de ir a fundo quando todo mundo à sua volta se contenta em "voar raso". Quando todo mundo evita a todo custo pensar em qualquer coisa, como vejo no Facebook quase que diariamente.

Sinceramente? Eu tenho a (forte) impressão de que as pessoas estão cada vez com mais preguiça de pensar, de dar sua opinião. Não é nem mais uma questão de se expor ou não. Em alguns casos, é mera preguiça mental mesmo. E nessas horas, nada como o  botão I like pra resolver o problema e encerrar a discussão que nem sequer foi iniciada.

Tá bom que as pessoas tem mais o que fazer e que a vida lá fora é muito mais (e melhor) do que nossas vidinhas virtuais. Mas o nível de superficialidade tem me incomodado. Não apenas no Facebook como na própria blogosfera. Porque eu queria conhecer pessoas autênticas, pessoas pessoas! Pessoas corajosas e capazes de auto-expressão e de auto-reflexão (com ou sem hífen). Pessoas que não necessariamente se escondem atrás da opinião ou das palavras dos outros.

Gente, será que é pedir demais?

8 comentários:

Maria Valéria disse...

penso muito nesse assunto, sabia?

para que eu faça um blog mais pessoal, com mais desabafos, acredito que a melhor saída seria trancar o blog só para convidados.assim, somente as pessoas que eu escolher irão ler, sem ( teoricamente) me julgar. Ou, pelo menos se não me julgassem, seriam pessoas de confiança, que teriam mais o que fazer da vida do que ficar de divertindo às custas do que desabafo.
às vezes , penso em fazer isso, mas desisto.
Mas, não se preocupe, que se eu trancar o blog com certeza vc, assim como a Pri, Tania e outros com certeza serão meus convidados.. hehe!!
quanto ao facebook,meu medo é me expor com relação a contatos profissionais ( colegas, superiores), porque de fofoca e diz- que- diz de gente que não tem esse tipo de contato comigo, eu n]ao tenho medo e ligo o ' foda- se'. então, no meu caso, é preciso saber dosar o que escrevo, porque há coisas que profissionalmente podem ser usadas contra vc( e olha que na minha profissão nem tanto, viu?? em outras há que se ter mais cuidado ainda)
tambem não acho saudavel comentar no facebook sobre início ou término de relacionamentos e seus pormenores... num blog, ainda vai.,.. até porque, nao mostro meu blog pra todo mundo e não o divulgo em redes sociais.
enfim adorei sua reflexão.
estou na fase de fazer memes e responder perguntas e de poucos posts com desabafos ou polêmicas...
mas, tudo é fase..
me aguarde!! hehe.
bjs;))

Mateus Medina disse...

Pô, não tem botão de like aqui? Tô fora :P

Falando sério, entendo perfeitamente. :)

bjs

Georgia disse...

Beth, comigo aconteceu o contrário. No comeco me preocupava quem estaria visitando o meu blog. No que eu iria escrever e se atrairia alguém para lê-lo.
Hooje em dia, nao estou nem ai. Escrevo o que quero, pois o blog é meu caderno de anotacoes.

Um bjao e um lindo fim de semana prá vcs

Bebete Indarte disse...

Eu acho que temos que ser FIEL à nós mesmos, sempre. E nos fazer a pergunta: A quem queremos enganar? A vida é muito curta pra inventarmos e acreditarmos em nossas próprias mentiras, um dia a casa cai. O dia de amanhã pode nunca chegar. E quando ao blog, eu acho que não precisa colocar no 'pessoal' , só pra convidados, isso é coisa pra 'boiola' hahaha. Existem pessoas que gostam de esconder suas dores e temores, e existem pessoas que gostam e necessitam desabafar, alivia a dor, faz a caminhada mais leve. Coloca sim a boca no trombone, vc lê tanto, deve saber que quanto mais verdadeiro as vidas dos personagens, quanto mais a fundo eles vão, mais prazeirosa é a leitura, mais libertadora fica a alma. Beijos e quero ver a Beth Blue de volta, já!

Line disse...

Partilho do mesmo pensamento e nao vejoa hora de poder comecar a escrever como antigamente! :)
Andei relendo meu blog e percebi que ele esta vazio, superficial.
Dei um tempo porque estava sem tempo no trabalho, depois sem computador em casa, e depois inventei de trocar de blog. Mas essa semana tudo de ajeitara, e eu voltarei a ativa!
Providenciarei um botao "foda-se" para quem nao gostar, rs.

Beijos!

Simone Pedroso disse...

Beth, um bom blogueiro escreve como se estivesse conversando com a própria irmã... O objetivo do Facebook é outro. Assim como o Tweeter preenche outra lacuna. E tudo co-existe numa sopa digital.

Não se tolha, tome apenas cuidado para não machucar pessoas queridas com julgamentos extremos e continue desenvolvendo suas elocubrações nesse espaço!

X
Simone

Pri S. disse...

Beth,

Vc sabe que eu tb vivo me questionando sobre essas mesmas coisas. E eu sou completamente "de fases". Às vezes escrevo sem dó nem piedade, esquecendo que as pessoas podem ler e fazer julgamentos precipitados sobre mim sem me conhecer. Neste momento, estou "pegando mais leve", numa postura de exposição menor, aproveitando essa coisa lúdica dos meus projetinhos de perguntas, de fotos e de memes alheios. Uma vez que a gente coloca nosso nome e dá a nossa cara pra bater, é irreal dizer que a gente não "freia" a escrita. O anonimato dá maior liberdade e ponto final. rsrsrs Mas quando vemos "pessoas de verdade" se relacionando na blogosfera, colocando seus questionamentos, se aprofundando, a troca é tão mais plena!

Facebook é superficial, sim. Lugarzinho pra fazer um social, dizer que vc está no mundo, dar uma opinião, compartilhar alguma coisa que não te comprometa. Blog no estilo do nosso, mais pessoal, é outra coisa mesmo. Ou pelo menos deveria ser... rs

Sim, a superficialidade impera! E eu tenho paciência "menos um" pra isso. Tudo tão vazio e descartável... Por isso prefiro manter contato com quem agregue de alguma forma. Quem se permite reflexão e aprofundamento, ótimo. Com aqueles que querem um relacionamento de superficialidade, ótimo tb. Pago na mesma moeda. O que não dá é pra investir tempo e afeto quando a troca é desigual. Porque tempo é precioso. E amizade tb. Preservação acima de tudo. rs

Bjos!

Anita disse...

Já te falei que não me exponho pessoalmente no meu blog e depois te digo o resto, o por quê, como etc. Mas só pessoalmente, né ?