sábado, outubro 20, 2012

Nunca vou entender...

Os famosos telhados de Paris

Eu sempre fico impressionada quando vejo estes brasileiros morando anos aqui na Holanda e que viajam todo ano religiosamente para o Brasil. Até entendo quem tenha família (digo mãe, pai, irmãos o que não é o meu caso). Mas continua achando estranho. Essas pessoas moram na Europa e não conhecem praticamente nada deste rico e variado continente.

Claro que o Brasil é lindo, e eu adoraria poder me dar ao luxo de ir ao Brasil todo ano. Mas a grana não dá mesmo e ai nem adianta reclamar. Por outro lado, mesmo que eu tivesse muita grana, eu ainda ia querer conhecer lugares aqui na Europa.


Praga (Liam de camiseta laranja)

Felizmente tive a oportunidade de viajar e conhecer muitos lugares quando ainda trabalhava com traduções e ganhava bem (tempos áureos aqueles). Visitei Londres, Paris, Praga, Barcelona, Munique. Morei em Dublin, Edinburgh. Conheci muitas cidades da Inglaterra, entre elas York, Cambridge, Oxford, etc. Também tive a felicidade de conhecer o belo Lake District (inglaterra) e as belíssimas Terras Altas (Escócia). Conheci Lisboa, Cascais e a bela região do Minho. Conheci o sul da França, incluindo Cannes, Nice e Monte Carlo. E as pitorescas Antibes e Menton, também na região.


Menton, Cote D'Azur

Mas nos últimos anos a grana encurtou...e mesmo assim fui à Tunísia dois anos atrás! E ano passado realizei a tão sonhada viagem de levar meu filho para conhecer finalmente o Brasil, ele já com 11 anos! Claro que o menino amou e mal pode esperar o ano que vem. Mas neste exato momento ele está curtindo o Tirol e os belos alpes. Sim, ele embarcou ontem com o pai num trem noturno para Innsbruck! E eu fiquei aqui morrendo de vontade de ir junto...


Innsbruck

Ou seja, simplesmente não dá pra entender como alguns brasileiros que moram aqui só pensam em tirar férias no Brasil...Eu ainda quero conhecer tantos lugares, no topo da minha lista estão: Istanbul, Budapeste, Viena, Cracóvia, Veneza, Firenze, Sevilla e Andaluzia...Nunca fui à Itália nem à Grécia..enfim, tem de ter muita grana pra conhecer tudo que a Europa tem a oferecer e poucos que conheço tem ou tiveram este privilégio. As pessoas visitam Londres, Paris, Roma e Madri e já acham que conhecem a Europa!


Istanbul, um sonho a ser realizado

Enfim, voltando ao assunto do post: nunca irei entender estes brasileiros que moram aqui e juntam dinheiro o ano todo pra ir ao Brasil! Uma das minhas melhores amigas ontem me disse assim: você deveria ir ao Brasil TODO ano! Dá um jeito de juntar grana, etc. E eu pensei: quem é ela pra dizer o que eu devo ou não devo fazer?!! O filho dela tem 4 anos e, se não me engano, já foi 4 ou 5 vezes ao Brasil (juro que perdi a conta). Detalhe, estão indo pra lá de novo semana que vem! Por outro lado, tudo indica que o garoto vai crescer sem conhecer nenhuma cidade da Europa (e ele nasceu aqui.  Já o meu filho, viajou por muitos lugares, já conhece Londres, Paris, Praga e agora Innsbruck. Já esteve comigo na Tunísia, apaixonou-se pelo Brasil ano pasado e um dia ainda o levarei para o Egito! No mais, Liam sonha em conhecer a Austrália e a África do Sul, entre outros...Filho de peixe, peixinho é!

Só sei que nessas horas me sinto a cidadã do mundo e crio meu filho para apreciar as maravilhas de todo o mundo - e não apenas do nosso abençoado Brasil. Mas eu nem discuto mais com as pessoas porque cada um vive a vida como bem entender, né?

Mas que eu nunca vou entender, isso é verdade.


Lake District
Edinburgh Castle

17 comentários:

Pri S. disse...

Cada um tem suas prioridades, mas taí uma coisa que eu tb não faria, viu? Se eu morasse na Europa, acho que iria fazer o máximo pra conhecer o que eu pudesse por aí mesmo. Mas é difícil falar sobre uma situação que eu não vivo... rs

Line disse...

Beth, mas por que isso é assim tão incompreensível pra vc?

Acho que é uma questão apenas de prioridades, e de escolhas pessoais. Eu nunca passaria anos sem visitar o Brasil, a não ser por questões financeiras. E posso imaginar que quando se tem filhos a vontade de compartilhar momentos aumente ainda mais.

Quanto às férias, bom, aqui geralmente temos entre 25, 30 dias úteis de férias. Na empresa anterior eu tinha 38 dias úteis de férias, que é coisa pra kct.

Eu tento combinar 1 viagem ao Brasil e uma por aqui mesmo, mas se tivesse que escolher, escolheria sem sombra de dúvidas visitar a minha família, porque o resto é resto, as pessoas às vezes se vão cedo demais, e depois a gente fica com aquele questionamento de que deveria ter aproveitado mais, isso e aquilo, choramingando pelis cantos.

Anita disse...

Europa pra mim é o melhor continente do mundo pra quem gosta de arquitetura e cultura. Seguro, tudo pertinho, grande variedade. Nunca me canso e cada vez quero mais. Mas, bom... cada um é cada um ne'?

Cristina Pavani disse...

Oi Beth e demais leitoras!
Eu escolheria tudo... Vale do Jequitinhonha com Egito; Pantanal com Leste Europeu; Rio Amazonas com Austrália; Nordeste Brasileiro com restante da África; Foz do Iguaçu com Escandinávia; Serras Gaúchas com o restante da Europa; Prais Brasileiras com o restante da América do Sul; minha (linda) região com a Ásia!
Que tal? Não é mesmo fofo este planeta Terra?

Beth Blue disse...

Cristina,
você disse exatamente o que eu penso! O planeta inteiro tem lugares maravilhosos a serem explorados...e se eu tivesse dinheiro iria 1x ano ao Brasil e 1x ano faria uma viagem aqui na Europa, por exemplo...mas não tenho!

Line,
Provavelmente estou sendo incompreensível sim, assim como ninguém nunca entende quando digo que fiquei 11 anos sem ir ao Brasil (me acham LOUCA). Mas ninguém sabe da vida de ninguém, cada um tem seus motivos, né? Quando a minha mãe era viva, eu ia a cada 2 anos, no máximo. Depois que ela morreu, fiquei 11 anos sem ir...meu pai sempre foi ausente na minha vida, sou filha única, etc.

No fundo, é tudo uma questão de prioridades mesmo...eu sempre amei viajar e não consigo entender porque pessoas que moram na Europa não aproveitam pra conhecer os lugares aqui...se pudesse passaria o ano viajando!

Maria Valéria disse...

Minha irma mora ai,( Londres ) e ja viajou diversas vezes pela Europa,pro Brasil ela vem todo ano porque tem familia( pai, mae e Irma ) aqui,
Nao adianta ela pedir pra meus pais irem pra lá, pois meu pai nao gosta de viajar(cada louco com suas manias, rs),minha mae topa, mas acabou nao dando certo e esse ano ela nao ficou bem de saude,
Entao, em cinco anos, a única que foi pra lá fui eu, e so uma vez,porque tive ferias adiadas duas vezes nesse meio tempo, e esse ano minhas ferias foram na alta temporada., muito caro.
Mas a melhor viagem que fiz foi quando fui a Europa ano passado,viajei com minha Irma, com meu tio, e fui conhecer vc,visitamos Noruega e Espanha,
Viajar pra outros lugares que vc ainda nao conhece nao tem preço mesmo!!!
;)) bejjos

Milena F. disse...

Adorei essa sua "retrospectiva"! Ficou muito bacana, principalmente com as fotos desses lugares tão lindos!
Penso como você! O Brasil tem sim tantas coisas lindas, mas não é o centro do mundo nem se resume ao mundo inteiro... Por isso tento dividir as minhas férias entre a Europa e o Brasil (e esse ano a China, que adorei!). Mas ontem eu estava com um grupo mostrando Paris e uma mulher que estava "odiando" tudo... Ela detestava a arquitetura, os jardins, as praças... Para ela Arco do Triunfo, sacre-Coeur e Notre-Dame, tudo era a mesma coisa, ela via tudo igual! e a torre, ela odiou, achou tão feia!!! Para pessoas que não se interessam a nada, melhor ficar no Brasil mesmo!!!

Eliana disse...

Eu fecho com a Milena, ela explicou uma situação que vivenciei com a minha cunhada aqui...e sim, tem muita gente que tem necessidade tb de se exibir no Brasil pra família. Chegar lá botando banca! rs... Outro fato é o que a Line comentou: quando somos apegados a família, a saudade é grande e a gente vai mesmo para estar com eles, matar saudades dos quitutes, visitar os lugares que conhecemos e ver gente que nos conhece...pra mim funciona como recarregar as baterias, refrescar a minha memória pessoal. No entanto, a gente aqui também procura equilibrar passeios, porque conhecer lugares novos é muito bom também, porém isso para mim tem menos prioridade neste momento. Talvez isso mude um dia, mas por enquanto "voltar pra casa"ainda é prioridade.rs Bjs

feijaocomcurrywurst disse...

Olha, eu também não entendo. E estou há pouco tempo por aqui, mas poderia muito bem ir a cada dois anos, se meus pais viessem me visitar. Mas como minha mãe cismou que não voa, ou que vai ser muito frio, ou que isso e aquilo, eu vou, porque senão não nos vemos. Meu pai morre de vontade de vir à Europa, mas fica dividido entre vir me ver e deixar minha mãe sozinha lá enquanto isso. Mas confesso que aos poucos tenho perdido essa vontade de ficar 12 horas ou mais dentro de um avião pra descer no Brasil... E ano que vem, com bebê, eu realmente tenho pensado. Por mais que todo mundo fale que não tem problema, eu não tô afim de enfiar um bebê pequeno numa viagem tão longa...Talvez isso ainda venha um dia, mas ainda não sinto essa falta enorme do Brasil e gostaria de conhecer mais do mundo.

Mas cada um no seu cada um, né? Que bom!

Bjs,

Marina.

Milena F. disse...

Outro assunto nada a ver com o tema, mas que que fez pensar a sua primeira foto dos "tetos de Paris". Vc viu o filme "Les Femmes du 6e étage"? Fala de Paris, anos 60, e as empregadas de origem espanhola que vivem nos "tetos" de Paris, nos antigos quartinhos de empregadas que escondem esses tetos! Filme muito agradável, cheio de sentimentos e delicadeza.

Simone Pedroso disse...

Oi Beth, uma outra opinião para enriquecer o assunto: eu viajo pro Brasil porque tem gente lá que me ama e sofreria muito se eu sumisse, se não aparecece pra dar um abraço apertado.

E só de pensar que o coração desse povo fica apertado, me quebra...

A vida da gente pode acabar assim, do nada, ao acaso.. Puffff!!!... Experiência própria.

Então a gente dá prioridade, junta todos os centavos e bora nóis atravessar o oceano! As vezes me revolto, queria tanto ir à Bali! Voltar à Grécia, ir pro leste Europeu... Mas não me sobra nem tempo nem dinheiro...

Todo domingo que eu falo com os meus pais no telefone, fica bem claro onde a prioridade está. Ao menos por enquanto!

Um grande abraço!

Ange disse...

Beth, boa noite! Entrei aqui por puro acaso, mas gostei muito que este acaso me dirigiu até esta sua pagina.
Li seu texto, entendo muito bem esta sua visão a qual eu não só entendo como também confesso que existe muitos lugares por aqui os quais eu não conheço, mas pretendo conhecer!
Bete, também sou brasileira, resido a mais de 20 anos em Holanda, moro em uma pequena "dorp"in de Hoeksche Waard uns 25 minutos de Rotterdam.
Eu gostaria muito de manter contacto com voce; talvez trocar ideias através do blog ou outro meio se desejar...
Também mantenho um blog de rabiscos... seja bem vinda!
Uma maravilhosa noite para você!
Lembranças,
Ange de souza

Palavras Vagabundas disse...

Beth,
olhando dai deve ser mesmo difícil de entender. Se eu morasse aí, provavelmnte viria ao Brasil em um ano e noutro iria passear, logico se o dinheiro desse, risos
bjs
Jussara

Georgia Aegerter disse...

Beth, penso exatamente como vc.

Nós vamos ao Brasil a cada 4 anos e quer saber nao sinto falta de nada lá.
Brasil está cada vez mais caro, cada vez mais perigoso e Brasil é pura ilusao. Nós vamos pra lá, e as pessoas nao têm tempo pra vc, nós vamos vai pra lá e as pessoas fazem uma lista e encomandam um montao de coisas achando que somos papai noel.

Qdo estamos lá nao viajamos pelo Brasil porque só se visita parente e parente nem tá te ligando a minima a nao ser pra te dizer que vc mudou que vc ficou esnobe. Se vc dá uma opiniao na vida de um deles dizem que a gente ficou com mania de gringa. Enfim, eles nao mudam uma virgula, nao melhoram em nada e eu sinto que estou cada vez mais longe da minha primeira casa.

Por isso ir ao Brasil fica cada vez mais distante. Prefiro mesmo ganhar pernas e conhecer o mundo como vc e que meus filhos possam ver o mundo com outros olhos e nao estagnarem no tempo como muita gente.

E quer saber. Hoje em dia com tantas redes de ligacao, skypem Facebook e outros dá pra matar as saudades muito bem.

Uma semana colorida pra vc

Bjao

Denise disse...

Milena, sempre adorei "os tetos de Paris", quando li seu comentário, logo fui procurar o filme. Adorei, valeu a dica. Beijos.

Denise disse...

Oi Beth, o Brasil está cada vez mais caro, um bom hotel aqui está impossível . Aproveite para conhecer a Europa. Bjs.

Anônimo disse...

Beth,
Você esqueceu de comentar que essa sua amiga tem um apartamento no Rio para administrar e que vai permitir que ela finalmente possa viajar mais pela Europa, depois de longos anos de problemas financeiros e muito sofrimento por causa da mãe idosa e doente que morava no.... (quem adivinha?) ,,. Brasil!
E honestamente? Eu quero sim compartilhar minha cultura e minhas raízes com meu filho que tem a sorte de ter ido várias vezes ao Rio, que também considero minha casa, (e isso nunca vai mudar). Que como ele mesmo diz, tem sorte de ter duas casas, dois países, dois idiomas, já aos quatro anos de idade. Vou levar sim, para que ele absorva cada vez mais a doçura e o carinho das pessoas ali, para não acabar nos padrões passivos-agressivos tão em voga por aqui nos últimos anos. Meu filho desde bem pequeno se comunica com todos os tipos de pessoas e encanta muita gente por onde passa, por sua inteligência e simpatia, gente de todos os lugares, de qualquer classe, sem nenhum preconceito, espalhando sorrisos por aí. Mais cdadão do mundo, impossível. Você sabe muito bem que isso não é papo de mãe coruja. 
E por último, pelo menos aqui no Blog, viajar para seu lugar se orígem e fazer turismo são duas experiências muito diferentes. Voltar às orígens é uma experiência muito profunda e complexa, que carrega baterias e nos leva para perto de nossa essência. E eu adoro isso! Quanto ao turismo, a maioria das pessoas se limita a visitar pontos turísticos e tirar fotos e mais fotos sem realmente tentar conhecer um pouco da essência do lugar. Em quase todos os lugares que visitei tive a chance de viver situações que um turista normalmente jamais viveria e consegui experimentar outros sabores, saindo do lugar comum, conhecendo figuras e lugares estranhos, muitas vezes desconhecidos da maioria dos moradores mas que traduzem ao seu modo a cultura local, as coisas a meu ver mais interessantes. Não que eu torça o nariz para o turismo convencional, eu também gosto de visitar os pontos turísticos, adoro museus, etc. Mas são aquelas experiências as que mais resistem ao tempo e ao esquecimento, pelo menos comigo é assim. 
No final das contas ninguém é melhor do que ninguém por optar por uma ou por outra coisa. Cada um tem seus motivos, seus desejos, sua história  e não dá para comparar. Quando eu disse que devia ir todo ano, Beth, foi como amiga, porque vi como fez bem a você e ao Liam.  E acho que tinha razão, olha só, esse ano você não foi e já está atacando  a melhor amiga... 

Tecnologia do Blogger.

Nunca vou entender...

Os famosos telhados de Paris

Eu sempre fico impressionada quando vejo estes brasileiros morando anos aqui na Holanda e que viajam todo ano religiosamente para o Brasil. Até entendo quem tenha família (digo mãe, pai, irmãos o que não é o meu caso). Mas continua achando estranho. Essas pessoas moram na Europa e não conhecem praticamente nada deste rico e variado continente.

Claro que o Brasil é lindo, e eu adoraria poder me dar ao luxo de ir ao Brasil todo ano. Mas a grana não dá mesmo e ai nem adianta reclamar. Por outro lado, mesmo que eu tivesse muita grana, eu ainda ia querer conhecer lugares aqui na Europa.


Praga (Liam de camiseta laranja)

Felizmente tive a oportunidade de viajar e conhecer muitos lugares quando ainda trabalhava com traduções e ganhava bem (tempos áureos aqueles). Visitei Londres, Paris, Praga, Barcelona, Munique. Morei em Dublin, Edinburgh. Conheci muitas cidades da Inglaterra, entre elas York, Cambridge, Oxford, etc. Também tive a felicidade de conhecer o belo Lake District (inglaterra) e as belíssimas Terras Altas (Escócia). Conheci Lisboa, Cascais e a bela região do Minho. Conheci o sul da França, incluindo Cannes, Nice e Monte Carlo. E as pitorescas Antibes e Menton, também na região.


Menton, Cote D'Azur

Mas nos últimos anos a grana encurtou...e mesmo assim fui à Tunísia dois anos atrás! E ano passado realizei a tão sonhada viagem de levar meu filho para conhecer finalmente o Brasil, ele já com 11 anos! Claro que o menino amou e mal pode esperar o ano que vem. Mas neste exato momento ele está curtindo o Tirol e os belos alpes. Sim, ele embarcou ontem com o pai num trem noturno para Innsbruck! E eu fiquei aqui morrendo de vontade de ir junto...


Innsbruck

Ou seja, simplesmente não dá pra entender como alguns brasileiros que moram aqui só pensam em tirar férias no Brasil...Eu ainda quero conhecer tantos lugares, no topo da minha lista estão: Istanbul, Budapeste, Viena, Cracóvia, Veneza, Firenze, Sevilla e Andaluzia...Nunca fui à Itália nem à Grécia..enfim, tem de ter muita grana pra conhecer tudo que a Europa tem a oferecer e poucos que conheço tem ou tiveram este privilégio. As pessoas visitam Londres, Paris, Roma e Madri e já acham que conhecem a Europa!


Istanbul, um sonho a ser realizado

Enfim, voltando ao assunto do post: nunca irei entender estes brasileiros que moram aqui e juntam dinheiro o ano todo pra ir ao Brasil! Uma das minhas melhores amigas ontem me disse assim: você deveria ir ao Brasil TODO ano! Dá um jeito de juntar grana, etc. E eu pensei: quem é ela pra dizer o que eu devo ou não devo fazer?!! O filho dela tem 4 anos e, se não me engano, já foi 4 ou 5 vezes ao Brasil (juro que perdi a conta). Detalhe, estão indo pra lá de novo semana que vem! Por outro lado, tudo indica que o garoto vai crescer sem conhecer nenhuma cidade da Europa (e ele nasceu aqui.  Já o meu filho, viajou por muitos lugares, já conhece Londres, Paris, Praga e agora Innsbruck. Já esteve comigo na Tunísia, apaixonou-se pelo Brasil ano pasado e um dia ainda o levarei para o Egito! No mais, Liam sonha em conhecer a Austrália e a África do Sul, entre outros...Filho de peixe, peixinho é!

Só sei que nessas horas me sinto a cidadã do mundo e crio meu filho para apreciar as maravilhas de todo o mundo - e não apenas do nosso abençoado Brasil. Mas eu nem discuto mais com as pessoas porque cada um vive a vida como bem entender, né?

Mas que eu nunca vou entender, isso é verdade.


Lake District
Edinburgh Castle

17 comentários:

Pri S. disse...

Cada um tem suas prioridades, mas taí uma coisa que eu tb não faria, viu? Se eu morasse na Europa, acho que iria fazer o máximo pra conhecer o que eu pudesse por aí mesmo. Mas é difícil falar sobre uma situação que eu não vivo... rs

Line disse...

Beth, mas por que isso é assim tão incompreensível pra vc?

Acho que é uma questão apenas de prioridades, e de escolhas pessoais. Eu nunca passaria anos sem visitar o Brasil, a não ser por questões financeiras. E posso imaginar que quando se tem filhos a vontade de compartilhar momentos aumente ainda mais.

Quanto às férias, bom, aqui geralmente temos entre 25, 30 dias úteis de férias. Na empresa anterior eu tinha 38 dias úteis de férias, que é coisa pra kct.

Eu tento combinar 1 viagem ao Brasil e uma por aqui mesmo, mas se tivesse que escolher, escolheria sem sombra de dúvidas visitar a minha família, porque o resto é resto, as pessoas às vezes se vão cedo demais, e depois a gente fica com aquele questionamento de que deveria ter aproveitado mais, isso e aquilo, choramingando pelis cantos.

Anita disse...

Europa pra mim é o melhor continente do mundo pra quem gosta de arquitetura e cultura. Seguro, tudo pertinho, grande variedade. Nunca me canso e cada vez quero mais. Mas, bom... cada um é cada um ne'?

Cristina Pavani disse...

Oi Beth e demais leitoras!
Eu escolheria tudo... Vale do Jequitinhonha com Egito; Pantanal com Leste Europeu; Rio Amazonas com Austrália; Nordeste Brasileiro com restante da África; Foz do Iguaçu com Escandinávia; Serras Gaúchas com o restante da Europa; Prais Brasileiras com o restante da América do Sul; minha (linda) região com a Ásia!
Que tal? Não é mesmo fofo este planeta Terra?

Beth Blue disse...

Cristina,
você disse exatamente o que eu penso! O planeta inteiro tem lugares maravilhosos a serem explorados...e se eu tivesse dinheiro iria 1x ano ao Brasil e 1x ano faria uma viagem aqui na Europa, por exemplo...mas não tenho!

Line,
Provavelmente estou sendo incompreensível sim, assim como ninguém nunca entende quando digo que fiquei 11 anos sem ir ao Brasil (me acham LOUCA). Mas ninguém sabe da vida de ninguém, cada um tem seus motivos, né? Quando a minha mãe era viva, eu ia a cada 2 anos, no máximo. Depois que ela morreu, fiquei 11 anos sem ir...meu pai sempre foi ausente na minha vida, sou filha única, etc.

No fundo, é tudo uma questão de prioridades mesmo...eu sempre amei viajar e não consigo entender porque pessoas que moram na Europa não aproveitam pra conhecer os lugares aqui...se pudesse passaria o ano viajando!

Maria Valéria disse...

Minha irma mora ai,( Londres ) e ja viajou diversas vezes pela Europa,pro Brasil ela vem todo ano porque tem familia( pai, mae e Irma ) aqui,
Nao adianta ela pedir pra meus pais irem pra lá, pois meu pai nao gosta de viajar(cada louco com suas manias, rs),minha mae topa, mas acabou nao dando certo e esse ano ela nao ficou bem de saude,
Entao, em cinco anos, a única que foi pra lá fui eu, e so uma vez,porque tive ferias adiadas duas vezes nesse meio tempo, e esse ano minhas ferias foram na alta temporada., muito caro.
Mas a melhor viagem que fiz foi quando fui a Europa ano passado,viajei com minha Irma, com meu tio, e fui conhecer vc,visitamos Noruega e Espanha,
Viajar pra outros lugares que vc ainda nao conhece nao tem preço mesmo!!!
;)) bejjos

Milena F. disse...

Adorei essa sua "retrospectiva"! Ficou muito bacana, principalmente com as fotos desses lugares tão lindos!
Penso como você! O Brasil tem sim tantas coisas lindas, mas não é o centro do mundo nem se resume ao mundo inteiro... Por isso tento dividir as minhas férias entre a Europa e o Brasil (e esse ano a China, que adorei!). Mas ontem eu estava com um grupo mostrando Paris e uma mulher que estava "odiando" tudo... Ela detestava a arquitetura, os jardins, as praças... Para ela Arco do Triunfo, sacre-Coeur e Notre-Dame, tudo era a mesma coisa, ela via tudo igual! e a torre, ela odiou, achou tão feia!!! Para pessoas que não se interessam a nada, melhor ficar no Brasil mesmo!!!

Eliana disse...

Eu fecho com a Milena, ela explicou uma situação que vivenciei com a minha cunhada aqui...e sim, tem muita gente que tem necessidade tb de se exibir no Brasil pra família. Chegar lá botando banca! rs... Outro fato é o que a Line comentou: quando somos apegados a família, a saudade é grande e a gente vai mesmo para estar com eles, matar saudades dos quitutes, visitar os lugares que conhecemos e ver gente que nos conhece...pra mim funciona como recarregar as baterias, refrescar a minha memória pessoal. No entanto, a gente aqui também procura equilibrar passeios, porque conhecer lugares novos é muito bom também, porém isso para mim tem menos prioridade neste momento. Talvez isso mude um dia, mas por enquanto "voltar pra casa"ainda é prioridade.rs Bjs

feijaocomcurrywurst disse...

Olha, eu também não entendo. E estou há pouco tempo por aqui, mas poderia muito bem ir a cada dois anos, se meus pais viessem me visitar. Mas como minha mãe cismou que não voa, ou que vai ser muito frio, ou que isso e aquilo, eu vou, porque senão não nos vemos. Meu pai morre de vontade de vir à Europa, mas fica dividido entre vir me ver e deixar minha mãe sozinha lá enquanto isso. Mas confesso que aos poucos tenho perdido essa vontade de ficar 12 horas ou mais dentro de um avião pra descer no Brasil... E ano que vem, com bebê, eu realmente tenho pensado. Por mais que todo mundo fale que não tem problema, eu não tô afim de enfiar um bebê pequeno numa viagem tão longa...Talvez isso ainda venha um dia, mas ainda não sinto essa falta enorme do Brasil e gostaria de conhecer mais do mundo.

Mas cada um no seu cada um, né? Que bom!

Bjs,

Marina.

Milena F. disse...

Outro assunto nada a ver com o tema, mas que que fez pensar a sua primeira foto dos "tetos de Paris". Vc viu o filme "Les Femmes du 6e étage"? Fala de Paris, anos 60, e as empregadas de origem espanhola que vivem nos "tetos" de Paris, nos antigos quartinhos de empregadas que escondem esses tetos! Filme muito agradável, cheio de sentimentos e delicadeza.

Simone Pedroso disse...

Oi Beth, uma outra opinião para enriquecer o assunto: eu viajo pro Brasil porque tem gente lá que me ama e sofreria muito se eu sumisse, se não aparecece pra dar um abraço apertado.

E só de pensar que o coração desse povo fica apertado, me quebra...

A vida da gente pode acabar assim, do nada, ao acaso.. Puffff!!!... Experiência própria.

Então a gente dá prioridade, junta todos os centavos e bora nóis atravessar o oceano! As vezes me revolto, queria tanto ir à Bali! Voltar à Grécia, ir pro leste Europeu... Mas não me sobra nem tempo nem dinheiro...

Todo domingo que eu falo com os meus pais no telefone, fica bem claro onde a prioridade está. Ao menos por enquanto!

Um grande abraço!

Ange disse...

Beth, boa noite! Entrei aqui por puro acaso, mas gostei muito que este acaso me dirigiu até esta sua pagina.
Li seu texto, entendo muito bem esta sua visão a qual eu não só entendo como também confesso que existe muitos lugares por aqui os quais eu não conheço, mas pretendo conhecer!
Bete, também sou brasileira, resido a mais de 20 anos em Holanda, moro em uma pequena "dorp"in de Hoeksche Waard uns 25 minutos de Rotterdam.
Eu gostaria muito de manter contacto com voce; talvez trocar ideias através do blog ou outro meio se desejar...
Também mantenho um blog de rabiscos... seja bem vinda!
Uma maravilhosa noite para você!
Lembranças,
Ange de souza

Palavras Vagabundas disse...

Beth,
olhando dai deve ser mesmo difícil de entender. Se eu morasse aí, provavelmnte viria ao Brasil em um ano e noutro iria passear, logico se o dinheiro desse, risos
bjs
Jussara

Georgia Aegerter disse...

Beth, penso exatamente como vc.

Nós vamos ao Brasil a cada 4 anos e quer saber nao sinto falta de nada lá.
Brasil está cada vez mais caro, cada vez mais perigoso e Brasil é pura ilusao. Nós vamos pra lá, e as pessoas nao têm tempo pra vc, nós vamos vai pra lá e as pessoas fazem uma lista e encomandam um montao de coisas achando que somos papai noel.

Qdo estamos lá nao viajamos pelo Brasil porque só se visita parente e parente nem tá te ligando a minima a nao ser pra te dizer que vc mudou que vc ficou esnobe. Se vc dá uma opiniao na vida de um deles dizem que a gente ficou com mania de gringa. Enfim, eles nao mudam uma virgula, nao melhoram em nada e eu sinto que estou cada vez mais longe da minha primeira casa.

Por isso ir ao Brasil fica cada vez mais distante. Prefiro mesmo ganhar pernas e conhecer o mundo como vc e que meus filhos possam ver o mundo com outros olhos e nao estagnarem no tempo como muita gente.

E quer saber. Hoje em dia com tantas redes de ligacao, skypem Facebook e outros dá pra matar as saudades muito bem.

Uma semana colorida pra vc

Bjao

Denise disse...

Milena, sempre adorei "os tetos de Paris", quando li seu comentário, logo fui procurar o filme. Adorei, valeu a dica. Beijos.

Denise disse...

Oi Beth, o Brasil está cada vez mais caro, um bom hotel aqui está impossível . Aproveite para conhecer a Europa. Bjs.

Anônimo disse...

Beth,
Você esqueceu de comentar que essa sua amiga tem um apartamento no Rio para administrar e que vai permitir que ela finalmente possa viajar mais pela Europa, depois de longos anos de problemas financeiros e muito sofrimento por causa da mãe idosa e doente que morava no.... (quem adivinha?) ,,. Brasil!
E honestamente? Eu quero sim compartilhar minha cultura e minhas raízes com meu filho que tem a sorte de ter ido várias vezes ao Rio, que também considero minha casa, (e isso nunca vai mudar). Que como ele mesmo diz, tem sorte de ter duas casas, dois países, dois idiomas, já aos quatro anos de idade. Vou levar sim, para que ele absorva cada vez mais a doçura e o carinho das pessoas ali, para não acabar nos padrões passivos-agressivos tão em voga por aqui nos últimos anos. Meu filho desde bem pequeno se comunica com todos os tipos de pessoas e encanta muita gente por onde passa, por sua inteligência e simpatia, gente de todos os lugares, de qualquer classe, sem nenhum preconceito, espalhando sorrisos por aí. Mais cdadão do mundo, impossível. Você sabe muito bem que isso não é papo de mãe coruja. 
E por último, pelo menos aqui no Blog, viajar para seu lugar se orígem e fazer turismo são duas experiências muito diferentes. Voltar às orígens é uma experiência muito profunda e complexa, que carrega baterias e nos leva para perto de nossa essência. E eu adoro isso! Quanto ao turismo, a maioria das pessoas se limita a visitar pontos turísticos e tirar fotos e mais fotos sem realmente tentar conhecer um pouco da essência do lugar. Em quase todos os lugares que visitei tive a chance de viver situações que um turista normalmente jamais viveria e consegui experimentar outros sabores, saindo do lugar comum, conhecendo figuras e lugares estranhos, muitas vezes desconhecidos da maioria dos moradores mas que traduzem ao seu modo a cultura local, as coisas a meu ver mais interessantes. Não que eu torça o nariz para o turismo convencional, eu também gosto de visitar os pontos turísticos, adoro museus, etc. Mas são aquelas experiências as que mais resistem ao tempo e ao esquecimento, pelo menos comigo é assim. 
No final das contas ninguém é melhor do que ninguém por optar por uma ou por outra coisa. Cada um tem seus motivos, seus desejos, sua história  e não dá para comparar. Quando eu disse que devia ir todo ano, Beth, foi como amiga, porque vi como fez bem a você e ao Liam.  E acho que tinha razão, olha só, esse ano você não foi e já está atacando  a melhor amiga...