quarta-feira, abril 03, 2013

Identidade cultural: Caso 2


Borobudur Stupa, Java, Indonesia



Continuando o assunto do post anterior, este caso é ainda mais intrigante. Então senta que lá vem estória, né?

Meu namorado nasceu na Holanda fiho de imigrantes da Indonésia (Java). Seus pais vieram bem jovens pra cá, ambos antes de completarem 18 anos. E ele nunca visitou a Indonésia nem nunca teve vontade. Detalhe que ele estudou um ano na universidade em Pequim, onde conheceu uma chinesa com a qual foi casado durante 10 anos...Sem falar que ele também morou em Tokyo e conhece até Hong Kong (duas cidades que sonho em conhecer um dia). Mas nada de Indonésia!

O que mais me intriga é que F. é uma das pessoas mais holandesas que conheço, apesar de ambos os pais não serem holandeses. Por outro lado, tenho de levar em consideração o fato de que os pais dele (a mãe faleceu há pouco mais de 2 anos) viveram praticamente suas vidas inteiras aqui na Holanda. Ou seja, menos de 18 anos na Indonésia e quase 70 anos de Holanda. Mas mesmo assim, eu sempre li que a infância - e em especial os primeiros 7 anos, os anos de formação - sempre foi importante e eles foram criados na Indonésia! Complicado isso...

Só sei que quando começamos a namorar (e lá se vão quase 6 anos), eu sempre ficava perplexa com a total falta de interesse de F. em tudo que se relaciona à Indonésia. Pra terem uma idéia, embora a mãe cozinhasse regurarmente pratos da cozinha Indonésia (nos fins de semana, verdade seja dita mas ela cozinhava muito bem), ele nunca tinha ido a um restaurante Indonésio (e aqui na Holanda é o que mais tem, fora os chineses)...até começar a namorar comigo!

Tudo bem que F. já completou 50 anos (!) e isso significa que ele já vive há meio século (!) na Holanda, mas eu continuo sem entender como uma pessoa pode passar a vida inteira sem ter nenhum interesse em suas origens - ou melhor dizendo, a origem de seus pais! Liam, por exemplo, nasceu na Holanda e tem uma criação nos padrões holandeses em muitos aspectos, mas é educado por uma mãe brasileira e isso faz uma diferença enorme! Sem falar no pai inglês, claro. Enfim, Liam convive com três culturas desde que nasceu. E ele adorou conhecer o Brasil, voltou do Rio se achando "carioca" e reclama de alguns aspectos da cultura holandesa (como disse no post anterior, Liam não se sente holandês).

No caso de F., uma das prováveis explicações é que os próprios pais escolheram a Holanda. Eles emigraram ainda jovens para cá com suas respectivas famílias. E um dos principais motivos dessa imigração foi religioso: sua família é cristã num país cada vez mais muçulmano! Pra quem não sabe, a Indonésia é o país com a maior população de muçumanos do mundo. Então, se eu for refletir bem, isso certamente influiu na escolha dos pais (e avós) dele. Mas mesmo assim, você ter pais indonésios e nenhuma curiosidade em conhecer o país onde eles cresceram? Continuo tentando entender...até porque, eu mesma adoraria conhecer a Indonésia (só falta mesmo dinheiro).



Plantações de arroz na Indonésia


5 comentários:

Line disse...

Beth, e os pais dele chegaram a retornar outras vezes pra visitar familiares?

Eu acho que os motivos que te fazem ter curiosidade ou vontade de retornar à terra natal estão diretamente relacionados aos motivos que te fizeram sair de lá. Acho que se vc sai numa boa, é muito provável que tenha mais interesse em conhecer um pouco mais sobre as suas origens. Acho mais difícil restabelecer esse contato se você sai meio que “contra a vontade”, seja por motivos religiosos,ou por qualquer outro motivo que te traga lembranças dolorosas.

No caso do seu namorado ele nem era nascido quando os pais imigraram, mas talvez tenha crescido ouvindo histórias sobre como era a vida na terra natal deles?

Dos quatro primos holandeses que tenho (todos eles nasceram na Holanda e nenhum deles fala português) apenas uma prima não tem vontade nenhuma de conhecer o Brasil; e é justamente a minha prima mais nova, que presenciou um divórcio meio traumático dos pais e também a doença do meu tio (câncer) que foi uam época muito triste. Talvez ela associe esses acontecimentos, talvez o Brasil traga lembranças dolorosas? Não sei…

Eliana disse...

Beth, é intrigante mesmo mas eu penso que ninguém sente falta do que não teve. Pra mim, é bem compreensível a falta de interesse dele pela Indonésia. Os pais praticamente se criaram na Holanda. Ele nasceu aqui. O mundo dele é holandês. Diferente de vc que já saiu adulta do Brasil e agora estimula o seu filho com "sua cultura", pra vc é muito próximo. Talvez os seus netos sejam como o seu namorado, vão saber que tem um avó brasileira mas provavelmente nunca irão ao Brasil. Se a gente for olhar lá atrás, a história dos imigrantes que foram pro Brasil...acontece o mesmo também.

Beth Blue disse...

Line e Eliana,

Sabe que vocês me fizeram pensar?!! Eu sempre fiquei intrigada com esta estória mas na verdade faz sentido.

Como a Eliana bem disse, F. nasceu e viveu a vida inteira na Holanda e não tem nenhuma lembrança da Indonésia. E eu sinceramente nem sei dizer se os pais dele tem lembranças boas ou ruins, como disse a Line ali encima.

Esta questão de identidade cultural é tão complexa, né? Eu me mesmo admito que me sinto brasileira e holandesa - dependenda da situação e do lugar!

Quanto ao Liam, não sei não...ele tem muitos planos de morar no Brasil ou em outro país. Ele quer estudar aqui e trabalhar no exterior...se for possível, claro. E eu como cidadã do mundo criando um filho para o mundo...dou toda a força!

Enfim, obrigada pelos comentários...me deram o que pensar ;-)

Ligia Costa disse...

Oi Beth, estou adorando seu blog, toda noite leio alguns posts, prefiro os que vc fala sobre sua vida e suas questoe entre o Brasil e a Holanda( mesmo q sejam posts antigos) pois tb morei em Londres por uase 5 anos, e me identifico com muita coisa q vc diz. Parabens

Maria Valéria disse...

Nossa , lendo seu post me deu uma vontade de conhecer a Indonésia...deve ser um paraíso, ne?;)) quem sabe nao pode ser um roteiro de viagem para voces dois, que tal?;))
Bjs

Tecnologia do Blogger.

Identidade cultural: Caso 2


Borobudur Stupa, Java, Indonesia



Continuando o assunto do post anterior, este caso é ainda mais intrigante. Então senta que lá vem estória, né?

Meu namorado nasceu na Holanda fiho de imigrantes da Indonésia (Java). Seus pais vieram bem jovens pra cá, ambos antes de completarem 18 anos. E ele nunca visitou a Indonésia nem nunca teve vontade. Detalhe que ele estudou um ano na universidade em Pequim, onde conheceu uma chinesa com a qual foi casado durante 10 anos...Sem falar que ele também morou em Tokyo e conhece até Hong Kong (duas cidades que sonho em conhecer um dia). Mas nada de Indonésia!

O que mais me intriga é que F. é uma das pessoas mais holandesas que conheço, apesar de ambos os pais não serem holandeses. Por outro lado, tenho de levar em consideração o fato de que os pais dele (a mãe faleceu há pouco mais de 2 anos) viveram praticamente suas vidas inteiras aqui na Holanda. Ou seja, menos de 18 anos na Indonésia e quase 70 anos de Holanda. Mas mesmo assim, eu sempre li que a infância - e em especial os primeiros 7 anos, os anos de formação - sempre foi importante e eles foram criados na Indonésia! Complicado isso...

Só sei que quando começamos a namorar (e lá se vão quase 6 anos), eu sempre ficava perplexa com a total falta de interesse de F. em tudo que se relaciona à Indonésia. Pra terem uma idéia, embora a mãe cozinhasse regurarmente pratos da cozinha Indonésia (nos fins de semana, verdade seja dita mas ela cozinhava muito bem), ele nunca tinha ido a um restaurante Indonésio (e aqui na Holanda é o que mais tem, fora os chineses)...até começar a namorar comigo!

Tudo bem que F. já completou 50 anos (!) e isso significa que ele já vive há meio século (!) na Holanda, mas eu continuo sem entender como uma pessoa pode passar a vida inteira sem ter nenhum interesse em suas origens - ou melhor dizendo, a origem de seus pais! Liam, por exemplo, nasceu na Holanda e tem uma criação nos padrões holandeses em muitos aspectos, mas é educado por uma mãe brasileira e isso faz uma diferença enorme! Sem falar no pai inglês, claro. Enfim, Liam convive com três culturas desde que nasceu. E ele adorou conhecer o Brasil, voltou do Rio se achando "carioca" e reclama de alguns aspectos da cultura holandesa (como disse no post anterior, Liam não se sente holandês).

No caso de F., uma das prováveis explicações é que os próprios pais escolheram a Holanda. Eles emigraram ainda jovens para cá com suas respectivas famílias. E um dos principais motivos dessa imigração foi religioso: sua família é cristã num país cada vez mais muçulmano! Pra quem não sabe, a Indonésia é o país com a maior população de muçumanos do mundo. Então, se eu for refletir bem, isso certamente influiu na escolha dos pais (e avós) dele. Mas mesmo assim, você ter pais indonésios e nenhuma curiosidade em conhecer o país onde eles cresceram? Continuo tentando entender...até porque, eu mesma adoraria conhecer a Indonésia (só falta mesmo dinheiro).



Plantações de arroz na Indonésia


5 comentários:

Line disse...

Beth, e os pais dele chegaram a retornar outras vezes pra visitar familiares?

Eu acho que os motivos que te fazem ter curiosidade ou vontade de retornar à terra natal estão diretamente relacionados aos motivos que te fizeram sair de lá. Acho que se vc sai numa boa, é muito provável que tenha mais interesse em conhecer um pouco mais sobre as suas origens. Acho mais difícil restabelecer esse contato se você sai meio que “contra a vontade”, seja por motivos religiosos,ou por qualquer outro motivo que te traga lembranças dolorosas.

No caso do seu namorado ele nem era nascido quando os pais imigraram, mas talvez tenha crescido ouvindo histórias sobre como era a vida na terra natal deles?

Dos quatro primos holandeses que tenho (todos eles nasceram na Holanda e nenhum deles fala português) apenas uma prima não tem vontade nenhuma de conhecer o Brasil; e é justamente a minha prima mais nova, que presenciou um divórcio meio traumático dos pais e também a doença do meu tio (câncer) que foi uam época muito triste. Talvez ela associe esses acontecimentos, talvez o Brasil traga lembranças dolorosas? Não sei…

Eliana disse...

Beth, é intrigante mesmo mas eu penso que ninguém sente falta do que não teve. Pra mim, é bem compreensível a falta de interesse dele pela Indonésia. Os pais praticamente se criaram na Holanda. Ele nasceu aqui. O mundo dele é holandês. Diferente de vc que já saiu adulta do Brasil e agora estimula o seu filho com "sua cultura", pra vc é muito próximo. Talvez os seus netos sejam como o seu namorado, vão saber que tem um avó brasileira mas provavelmente nunca irão ao Brasil. Se a gente for olhar lá atrás, a história dos imigrantes que foram pro Brasil...acontece o mesmo também.

Beth Blue disse...

Line e Eliana,

Sabe que vocês me fizeram pensar?!! Eu sempre fiquei intrigada com esta estória mas na verdade faz sentido.

Como a Eliana bem disse, F. nasceu e viveu a vida inteira na Holanda e não tem nenhuma lembrança da Indonésia. E eu sinceramente nem sei dizer se os pais dele tem lembranças boas ou ruins, como disse a Line ali encima.

Esta questão de identidade cultural é tão complexa, né? Eu me mesmo admito que me sinto brasileira e holandesa - dependenda da situação e do lugar!

Quanto ao Liam, não sei não...ele tem muitos planos de morar no Brasil ou em outro país. Ele quer estudar aqui e trabalhar no exterior...se for possível, claro. E eu como cidadã do mundo criando um filho para o mundo...dou toda a força!

Enfim, obrigada pelos comentários...me deram o que pensar ;-)

Ligia Costa disse...

Oi Beth, estou adorando seu blog, toda noite leio alguns posts, prefiro os que vc fala sobre sua vida e suas questoe entre o Brasil e a Holanda( mesmo q sejam posts antigos) pois tb morei em Londres por uase 5 anos, e me identifico com muita coisa q vc diz. Parabens

Maria Valéria disse...

Nossa , lendo seu post me deu uma vontade de conhecer a Indonésia...deve ser um paraíso, ne?;)) quem sabe nao pode ser um roteiro de viagem para voces dois, que tal?;))
Bjs