terça-feira, agosto 15, 2006

Amsterdam

Hoje resolvi escrever algo sobre a cidade pela qual me apaixonei à primeira vista há 12 anos atrás, e onde tenho a sorte de morar até os dias de hoje.

Amsterdam, onde vivi meus melhores e piores momentos. Aqui conheci uma cultura diferente, aprendi um idioma estranho, me casei, tive meu filho, sofri uma depressão que não desejo ao meu pior inimigo e me divorciei. Aqui descobri verdades sobre mim mesma que não teria descoberto se tivesse ficado em meu país natal. No estrangeiro, somos confrontados com nós mesmos de forma aguda e inevitável.

Viajar é descobrir novas culturas e acima de tudo, correr riscos...estar aberto para o desconhecido, sem preconceitos e bairrismos que apenas limitam e atrapalham a jornada de quem vive fora. Engraçado é que com os anos, fui percebendo que morar fora do Brasil não é coisa pra qualquer um. Muitos vem e voltam, poucos ficam.

Eu mesma passei por todas as conhecidas fases de adaptação do brasileiro que mora fora, sendo obrigada a conviver diariamente com duas culturas (no meu caso três pois meu ex-marido é inglês e a cultura inglesa é uma forte influência na minha vida, já era mesmo antes de conhecê-lo). E com o tempo, aprendi a tirar o melhor de cada uma dessas culturas e a (re)criar meus próprios valores a partir delas. Aprendi a assimilar os valores que valem a pena ser assimilados e a me desfazer de valores que não me permitam crescer. Na minha opinião, esta é a única forma de viver - e sobreviver - no estrangeiro.

Em 13 anos fora do Brasil, cheguei à conclusão de que no fundo, sou mesmo é cidadã do mundo - nem brasileira nem holandesa. E esta foi uma das descobertas mais libertadoras que fiz em toda a minha vida. The world is my shell.

2 comentários:

Sheila disse...

Beth,
Eu sempre te admirei pela sua força de estar num país estranho e se manter aí mesmo nas piores crises.
Amei os sapatinhos!!!! Coloque mais fotos da cidade!
beijo,
Sheila

- dhimi disse...

Olá! Achei seu blog por acaso e estou querendo muito ir morar em Amsterdam. O grande problema é a falta de informação na internet. Não encontro quase nada sobre o assunto :/
E como você também é sagitariana, acho que podemos nos dar bem. :)

Aguardo resposta, okay? ^^

=**

Tecnologia do Blogger.

Amsterdam

Hoje resolvi escrever algo sobre a cidade pela qual me apaixonei à primeira vista há 12 anos atrás, e onde tenho a sorte de morar até os dias de hoje.

Amsterdam, onde vivi meus melhores e piores momentos. Aqui conheci uma cultura diferente, aprendi um idioma estranho, me casei, tive meu filho, sofri uma depressão que não desejo ao meu pior inimigo e me divorciei. Aqui descobri verdades sobre mim mesma que não teria descoberto se tivesse ficado em meu país natal. No estrangeiro, somos confrontados com nós mesmos de forma aguda e inevitável.

Viajar é descobrir novas culturas e acima de tudo, correr riscos...estar aberto para o desconhecido, sem preconceitos e bairrismos que apenas limitam e atrapalham a jornada de quem vive fora. Engraçado é que com os anos, fui percebendo que morar fora do Brasil não é coisa pra qualquer um. Muitos vem e voltam, poucos ficam.

Eu mesma passei por todas as conhecidas fases de adaptação do brasileiro que mora fora, sendo obrigada a conviver diariamente com duas culturas (no meu caso três pois meu ex-marido é inglês e a cultura inglesa é uma forte influência na minha vida, já era mesmo antes de conhecê-lo). E com o tempo, aprendi a tirar o melhor de cada uma dessas culturas e a (re)criar meus próprios valores a partir delas. Aprendi a assimilar os valores que valem a pena ser assimilados e a me desfazer de valores que não me permitam crescer. Na minha opinião, esta é a única forma de viver - e sobreviver - no estrangeiro.

Em 13 anos fora do Brasil, cheguei à conclusão de que no fundo, sou mesmo é cidadã do mundo - nem brasileira nem holandesa. E esta foi uma das descobertas mais libertadoras que fiz em toda a minha vida. The world is my shell.

2 comentários:

Sheila disse...

Beth,
Eu sempre te admirei pela sua força de estar num país estranho e se manter aí mesmo nas piores crises.
Amei os sapatinhos!!!! Coloque mais fotos da cidade!
beijo,
Sheila

- dhimi disse...

Olá! Achei seu blog por acaso e estou querendo muito ir morar em Amsterdam. O grande problema é a falta de informação na internet. Não encontro quase nada sobre o assunto :/
E como você também é sagitariana, acho que podemos nos dar bem. :)

Aguardo resposta, okay? ^^

=**