terça-feira, dezembro 18, 2007

Pintura de museu

Me inspirei em um post recente da Andrea e resolvi brincar de museu também. E como eu adoro fazer arte, aí está uma foto minha e do meu namorado, tirada por ele semanas atrás. Acho que agora matei a curiosidade dos amigos, né?!!

E quem achou que o namorado holandês era louro de olhos azuis se enganou redondamente, rsrsrs. F. é filho de imigrantes da Indonésia, seus pais moram há quase 60 anos na Holanda. Ele nasceu e cresceu aqui no país dos moinhos (nem nunca foi à Indonésia, quem sabe um dia eu convenço ele e vou junto). Mas não se iludam com a pele morena, ele é mais holandês do que muito holandês que eu conheço - o que é bom e ruim, claro! Aquela velha discussão de nature x nurture, que aliás eu percebo também no meu filho, nascido na Holanda de pais estrangeiros (mãe brasileira e pai inglês porque eu adoro complicar as coisas). Falando em louro, louros mesmo são meus ex-marido e filho (que é uma versão melhorada do pai, como todas as crianças costumam ser nesta idade, hehehe).

Coisas de Holanda...ou melhor dizendo, de Europa no séc. XXI. Lição de geografia pra quem não sabe: nas quatro maiores cidades holandesas (Amsterdã, Haia, Roterdã e Utrecht) mais da metade da população já é composta de imigrantes e filhos e netos de imigrantes (as chamadas segunda e terceira geração). A maioria dessa população é de origem muçulmana, o que é assunto pra outro post...Nada contra Alah e o islamismo em termos gerais - até porque, sou avessa a generalizações, basta lembrar do nazismo de Hitler e dos atuais partidos neonazis que volta e meia insistem em aparecer nos principais centros urbanos da Europa - mas a situação social aqui na Holanda está pra lá de complicada e eu ando com uma preguiça danada de escrever sobre isso. E sim, este assunto dá muito pano pra manga. Mas o meu querido Antônio escreveu um post excelente sobre a questão. Quem quiser ficar informado, é só ler o que ele escreveu aqui. (Antônio, desculpa roubar seu texto mas eu ando tão preguiçosa e você escreveu tão bem).

2 comentários:

Eu penso que... disse...

Oi, Beth!
Que legal poder te conhecer um pouco mais.
Vc teve bom gosto, esta moldura é a mais bonita...rsrsrsrs
E, sim, vc matou a curiosidade da gente.
Adorei te ver.
Bjo grande

Anônimo disse...

Heb jij ook zo'n zin in erwtensoep met roggebrood?*

* Haring met uitjes mag ook!

Tecnologia do Blogger.

Pintura de museu

Me inspirei em um post recente da Andrea e resolvi brincar de museu também. E como eu adoro fazer arte, aí está uma foto minha e do meu namorado, tirada por ele semanas atrás. Acho que agora matei a curiosidade dos amigos, né?!!

E quem achou que o namorado holandês era louro de olhos azuis se enganou redondamente, rsrsrs. F. é filho de imigrantes da Indonésia, seus pais moram há quase 60 anos na Holanda. Ele nasceu e cresceu aqui no país dos moinhos (nem nunca foi à Indonésia, quem sabe um dia eu convenço ele e vou junto). Mas não se iludam com a pele morena, ele é mais holandês do que muito holandês que eu conheço - o que é bom e ruim, claro! Aquela velha discussão de nature x nurture, que aliás eu percebo também no meu filho, nascido na Holanda de pais estrangeiros (mãe brasileira e pai inglês porque eu adoro complicar as coisas). Falando em louro, louros mesmo são meus ex-marido e filho (que é uma versão melhorada do pai, como todas as crianças costumam ser nesta idade, hehehe).

Coisas de Holanda...ou melhor dizendo, de Europa no séc. XXI. Lição de geografia pra quem não sabe: nas quatro maiores cidades holandesas (Amsterdã, Haia, Roterdã e Utrecht) mais da metade da população já é composta de imigrantes e filhos e netos de imigrantes (as chamadas segunda e terceira geração). A maioria dessa população é de origem muçulmana, o que é assunto pra outro post...Nada contra Alah e o islamismo em termos gerais - até porque, sou avessa a generalizações, basta lembrar do nazismo de Hitler e dos atuais partidos neonazis que volta e meia insistem em aparecer nos principais centros urbanos da Europa - mas a situação social aqui na Holanda está pra lá de complicada e eu ando com uma preguiça danada de escrever sobre isso. E sim, este assunto dá muito pano pra manga. Mas o meu querido Antônio escreveu um post excelente sobre a questão. Quem quiser ficar informado, é só ler o que ele escreveu aqui. (Antônio, desculpa roubar seu texto mas eu ando tão preguiçosa e você escreveu tão bem).

2 comentários:

Eu penso que... disse...

Oi, Beth!
Que legal poder te conhecer um pouco mais.
Vc teve bom gosto, esta moldura é a mais bonita...rsrsrsrs
E, sim, vc matou a curiosidade da gente.
Adorei te ver.
Bjo grande

Anônimo disse...

Heb jij ook zo'n zin in erwtensoep met roggebrood?*

* Haring met uitjes mag ook!