segunda-feira, janeiro 28, 2008

Girl with a Pearl Earring











Ontem revi um filme que eu adoro, por duas pequenas grandes razões: Scarlett Johansson (uma de minhas atrizes favoritas) e Vermeer (meu pintor holandês favorito...e juro que não é só porque moro na Holanda mas Vermeer é imprescindível e assunto encerrado). E sem querer esnobar (mas já esnobando, fazer o quê...), no mês passado revi a belíssima tela do pintor, que faz parte do acervo permanente da Mauritshuis em Haia, um dos melhores museus da Holanda e da Europa. É que, ao menos em termos de pintura holandesa, ele não fica devendo quase nada ao Rijksmuseum de Amsterdã (uma das visitas obrigatórias na cidade, diga-se de passagem).

O filme é baseado no romance homônimo de Tracey Chevalier e a fotografia é extremamente bem-cuidada, nos transportando à Golden Age de Vermeer e de tantos outros mestres da pintura holandesa. E sem exagero algum: cada cena é uma pintura em movimento, um colírio para os olhos. Pra quem ainda não assistiu, eu recomendo !!!

2 comentários:

Isabella disse...

Oi Beth, passei uns dias ótimos dias em Amsterdam em 94 e adorei o museu e fiquei muito impressionada com as enormes telas do Vermeer. Espero poder ir a Haia um dia : )

bjs

Antonio Da Vida disse...

Eu já vi o quadro, já li o livro, e já vi o filme, nessa ordem mesmo... gostei de todos...
XXX/A

Tecnologia do Blogger.

Girl with a Pearl Earring











Ontem revi um filme que eu adoro, por duas pequenas grandes razões: Scarlett Johansson (uma de minhas atrizes favoritas) e Vermeer (meu pintor holandês favorito...e juro que não é só porque moro na Holanda mas Vermeer é imprescindível e assunto encerrado). E sem querer esnobar (mas já esnobando, fazer o quê...), no mês passado revi a belíssima tela do pintor, que faz parte do acervo permanente da Mauritshuis em Haia, um dos melhores museus da Holanda e da Europa. É que, ao menos em termos de pintura holandesa, ele não fica devendo quase nada ao Rijksmuseum de Amsterdã (uma das visitas obrigatórias na cidade, diga-se de passagem).

O filme é baseado no romance homônimo de Tracey Chevalier e a fotografia é extremamente bem-cuidada, nos transportando à Golden Age de Vermeer e de tantos outros mestres da pintura holandesa. E sem exagero algum: cada cena é uma pintura em movimento, um colírio para os olhos. Pra quem ainda não assistiu, eu recomendo !!!

2 comentários:

Isabella disse...

Oi Beth, passei uns dias ótimos dias em Amsterdam em 94 e adorei o museu e fiquei muito impressionada com as enormes telas do Vermeer. Espero poder ir a Haia um dia : )

bjs

Antonio Da Vida disse...

Eu já vi o quadro, já li o livro, e já vi o filme, nessa ordem mesmo... gostei de todos...
XXX/A