segunda-feira, fevereiro 18, 2008

Sessão de cinema: Juno

Além dos filmes citados no post aqui embaixo, este fim-de-semana assistimos ainda Juno, um filme que eu estava curiosíssima pra conferir e que vem fazendo furor nas telas e na mídia americana. Ele já vem sendo considerado por alguns como o novo Little Miss Sunshine, mas na minha opinião, qualquer semelhança é mera coincidência (mesmo). Sim, são dois filmes alternativos com roteiros originais e muito bem cuidados e é claro, protagonistas instigantes. Mas a comparação pára por ai (na dúvida, assista aos dois).

Juno é uma estória cativante (pra não dizer hilária) que surpreende o expectador sem apelar para os clichês da adolescência. Diálogos curtos e recheados de sarcasmo, com ácidas críticas ao conservador american-way-of-life retratado em tantos outros filmes. Acima de tudo, diálogos inteligentes que vão direto ao ponto, exatamente como a personagem principal, a adolescente de 16 anos. Porque fiquem avisados: Juno é uma garota de atitude! Daquelas que sabe o que quer da vida ou ao menos pensa que sabe do alto dos seus 16 anos. E ela está se lixando pra opinião alheia e pros comentários maldosos à sua volta (let them eat cake). Assim sendo, um belo dia ela engravida e, apesar das más línguas e do pânico inicial da descoberta, decide assumir a gravidez e arrumar um casal para adotar o bebê. A barriga vai crescendo e Juno continua frequentando a escola, onde vai se tornando cada vez mais uma espécie de anti-herói da turma mais conformada (o que me lembra outro filme alternativo que gosto muito, Ghost World). Ela não se deixa abater e circula de barrigão e cabeça erguida, sem o menor problema.

O problema começa mesmo é quando Juno descobre que não podemos planejar tudo e que alguns detalhes independem da nossa vontade (mesmo que tenhamos a maior boa vontade do mundo). Em busca de pais adotivos, ela se vê obrigada a questionar o amor e as relações adultas. E acaba encontrando o amor onde menos estava procurando...Mas o resto eu não conto pra não estragar a surpresa. Assistam!

4 comentários:

Paloma disse...

A crítica aqui na França está amando Juno!! Estou curiosíssima! Adorei sua perspectiva do filme!Beijo!

Paola disse...

Oi.
Leio seu blog tem um tempinho...
Nunca comentei...
Estou doida para ver esse filme.
Bjo

Eu penso que... disse...

Estou curiosíssima também para ver este filme. Ainda mais agora que ganhou o Oscar de roteiro original.
Por aqui estão comentando muito a trilha sonora. Já baixei no meu mp4e escuto direto, apesar de não ser fã de indie music.

Anônimo disse...

Assisti semana passada e amei!

bjs,L

Tecnologia do Blogger.

Sessão de cinema: Juno

Além dos filmes citados no post aqui embaixo, este fim-de-semana assistimos ainda Juno, um filme que eu estava curiosíssima pra conferir e que vem fazendo furor nas telas e na mídia americana. Ele já vem sendo considerado por alguns como o novo Little Miss Sunshine, mas na minha opinião, qualquer semelhança é mera coincidência (mesmo). Sim, são dois filmes alternativos com roteiros originais e muito bem cuidados e é claro, protagonistas instigantes. Mas a comparação pára por ai (na dúvida, assista aos dois).

Juno é uma estória cativante (pra não dizer hilária) que surpreende o expectador sem apelar para os clichês da adolescência. Diálogos curtos e recheados de sarcasmo, com ácidas críticas ao conservador american-way-of-life retratado em tantos outros filmes. Acima de tudo, diálogos inteligentes que vão direto ao ponto, exatamente como a personagem principal, a adolescente de 16 anos. Porque fiquem avisados: Juno é uma garota de atitude! Daquelas que sabe o que quer da vida ou ao menos pensa que sabe do alto dos seus 16 anos. E ela está se lixando pra opinião alheia e pros comentários maldosos à sua volta (let them eat cake). Assim sendo, um belo dia ela engravida e, apesar das más línguas e do pânico inicial da descoberta, decide assumir a gravidez e arrumar um casal para adotar o bebê. A barriga vai crescendo e Juno continua frequentando a escola, onde vai se tornando cada vez mais uma espécie de anti-herói da turma mais conformada (o que me lembra outro filme alternativo que gosto muito, Ghost World). Ela não se deixa abater e circula de barrigão e cabeça erguida, sem o menor problema.

O problema começa mesmo é quando Juno descobre que não podemos planejar tudo e que alguns detalhes independem da nossa vontade (mesmo que tenhamos a maior boa vontade do mundo). Em busca de pais adotivos, ela se vê obrigada a questionar o amor e as relações adultas. E acaba encontrando o amor onde menos estava procurando...Mas o resto eu não conto pra não estragar a surpresa. Assistam!

4 comentários:

Paloma disse...

A crítica aqui na França está amando Juno!! Estou curiosíssima! Adorei sua perspectiva do filme!Beijo!

Paola disse...

Oi.
Leio seu blog tem um tempinho...
Nunca comentei...
Estou doida para ver esse filme.
Bjo

Eu penso que... disse...

Estou curiosíssima também para ver este filme. Ainda mais agora que ganhou o Oscar de roteiro original.
Por aqui estão comentando muito a trilha sonora. Já baixei no meu mp4e escuto direto, apesar de não ser fã de indie music.

Anônimo disse...

Assisti semana passada e amei!

bjs,L