sexta-feira, novembro 06, 2009

Dos nossos desafios

Interessante como os desafios mudam à medida em que nossa vida muda. A verdade é que desafios nunca faltam - basta estarmos vivos. O que nem é ruim porque um desafio é antes de mais nada, uma oportunidade de crescimento. Vencido o desafio, nos tornamos mais fortes e mais sábios. Ou pelo menos é o que eu gostaria de acreditar, né?

De qualquer forma, só sei que com o meu novo estágio o tempo que eu achava que era escasso ficou ainda mais escasso! Melhor seria dizer: o tempo ficou escasso e ponto final. Ou melhor ainda: eu tinha tempo e não sabia! Então meu maior desafio nessas primeiras seis semanas de estágio tem sido definir prioridades. O que, entre outras coisas, inclui a arte de dizer não. Para algumas pessoas isso já é uma segunda natureza (muitos holandeses se incluem neste grupo seleto). Já outras pessoas precisam seguir um longo e tortuoso caminho até aprender a dizer esta palavrinha mágica. Diga-se de passagem, uma lição indispensável. Eu que o diga...

A boa notícia é que minha vida era e continua sendo um caos - mas agora este caos está tomando forma. A cada dia as coisas começam a se encaixar, a rotina começa a se estabelecer e eu começo a perceber que posso definir o rumo das coisas. Para algumas pessoas isso é o óbvio olulante, pra mim nunca foi (eu nunca fui daquelas pessoas de planejar tudo). Com todas as consequências possíveis e imagináveis. Sim caros amigos, eu complico a minha vida.

Mas voltando àquela palavrinha mágica, tenho percebido que ANTES de aprender a dizer NÃO a gente tem de aprender a definir nossas prioridades. Definir o que é essencial pra gente, o que é importante, e o que é importante mas pode ficar pra depois. Porque eu sou humana e meu dia tem apenas 24 horas. Trocando em miúdos, no momento meu estágio, meu filho, o namorado que mora em outra cidade e só vejo no fim-de-semana, a fisioterapia e natação pra coluna, as tarefas básicas pra manter a casa andando (porque não tenho empregada nem faxineira...) e as 2 horas diárias de descanso obrigatório - eu me obrigo a descansar no meio desta correria porque não pretendo operar a coluna de novo - já me tomam mais tempo do que eu gostaria! Então acaba faltando tempo pros amigos, pra ir ao cinema e para hobbies como scrapbooking. Pensando bem, até escrever aqui neste singelo blog já está virando luxo! O que é uma pena mas a gente precisa sobreviver. E percebo que muitos aqui na Holanda vivem este mesmo dilema diariamente. A diferença é que antes eu não entendia. Porque vida de freelance é outra coisa: períodos em que você mal consegue respirar intercalados de períodos de calmaria total. Foi assim que vivi mais de 15 anos. Believe me, I know what I am saying.

Mas chega de resmungar...a título de ilustração, no momento em que escrevo estou cozinhando uma sopa de batata com alho-poró (receita inglesa) e lavando roupa. Ainda vou lavar mais uma leva porque só hoje à tarde meu filho foi pra casa do pai e não tive tempo de lavar roupa a semana inteira!!!! Sem falar que nos últimos dois meses nem fui pra casa do namorado em Haia por pura falta de energia. Ele é que tem encarado o trem no sábado e vindo pra cá. É mole ou quer mais?!!




PS. Ao menos consegui tempo pra reclamar da falta de tempo, rsrsrs.

1 comentários:

Irene disse...

Querida Beth Blue,
Estou aqui em meu notebook há cinco horas sem interrupçoes, devorando tudo que escreveste porque além de te conhecer como adulta (eu te conhecia na infancia) estou descobrindo quem realmente somos. Sou iniciante como sabes nesta arte da internet.Agora vou "digerir" tudo que li, estou encantada,fascinada com o que escreves.Vivo fazendo
listas, roteiros, planejamentos e corro p. cumpri-los ... escrevo muito, coleciono agendas...
Hoje é minha estreia, quero ser "blogueira".
irenedorada@yahoo.com.br

Tecnologia do Blogger.

Dos nossos desafios

Interessante como os desafios mudam à medida em que nossa vida muda. A verdade é que desafios nunca faltam - basta estarmos vivos. O que nem é ruim porque um desafio é antes de mais nada, uma oportunidade de crescimento. Vencido o desafio, nos tornamos mais fortes e mais sábios. Ou pelo menos é o que eu gostaria de acreditar, né?

De qualquer forma, só sei que com o meu novo estágio o tempo que eu achava que era escasso ficou ainda mais escasso! Melhor seria dizer: o tempo ficou escasso e ponto final. Ou melhor ainda: eu tinha tempo e não sabia! Então meu maior desafio nessas primeiras seis semanas de estágio tem sido definir prioridades. O que, entre outras coisas, inclui a arte de dizer não. Para algumas pessoas isso já é uma segunda natureza (muitos holandeses se incluem neste grupo seleto). Já outras pessoas precisam seguir um longo e tortuoso caminho até aprender a dizer esta palavrinha mágica. Diga-se de passagem, uma lição indispensável. Eu que o diga...

A boa notícia é que minha vida era e continua sendo um caos - mas agora este caos está tomando forma. A cada dia as coisas começam a se encaixar, a rotina começa a se estabelecer e eu começo a perceber que posso definir o rumo das coisas. Para algumas pessoas isso é o óbvio olulante, pra mim nunca foi (eu nunca fui daquelas pessoas de planejar tudo). Com todas as consequências possíveis e imagináveis. Sim caros amigos, eu complico a minha vida.

Mas voltando àquela palavrinha mágica, tenho percebido que ANTES de aprender a dizer NÃO a gente tem de aprender a definir nossas prioridades. Definir o que é essencial pra gente, o que é importante, e o que é importante mas pode ficar pra depois. Porque eu sou humana e meu dia tem apenas 24 horas. Trocando em miúdos, no momento meu estágio, meu filho, o namorado que mora em outra cidade e só vejo no fim-de-semana, a fisioterapia e natação pra coluna, as tarefas básicas pra manter a casa andando (porque não tenho empregada nem faxineira...) e as 2 horas diárias de descanso obrigatório - eu me obrigo a descansar no meio desta correria porque não pretendo operar a coluna de novo - já me tomam mais tempo do que eu gostaria! Então acaba faltando tempo pros amigos, pra ir ao cinema e para hobbies como scrapbooking. Pensando bem, até escrever aqui neste singelo blog já está virando luxo! O que é uma pena mas a gente precisa sobreviver. E percebo que muitos aqui na Holanda vivem este mesmo dilema diariamente. A diferença é que antes eu não entendia. Porque vida de freelance é outra coisa: períodos em que você mal consegue respirar intercalados de períodos de calmaria total. Foi assim que vivi mais de 15 anos. Believe me, I know what I am saying.

Mas chega de resmungar...a título de ilustração, no momento em que escrevo estou cozinhando uma sopa de batata com alho-poró (receita inglesa) e lavando roupa. Ainda vou lavar mais uma leva porque só hoje à tarde meu filho foi pra casa do pai e não tive tempo de lavar roupa a semana inteira!!!! Sem falar que nos últimos dois meses nem fui pra casa do namorado em Haia por pura falta de energia. Ele é que tem encarado o trem no sábado e vindo pra cá. É mole ou quer mais?!!




PS. Ao menos consegui tempo pra reclamar da falta de tempo, rsrsrs.

1 comentários:

Irene disse...

Querida Beth Blue,
Estou aqui em meu notebook há cinco horas sem interrupçoes, devorando tudo que escreveste porque além de te conhecer como adulta (eu te conhecia na infancia) estou descobrindo quem realmente somos. Sou iniciante como sabes nesta arte da internet.Agora vou "digerir" tudo que li, estou encantada,fascinada com o que escreves.Vivo fazendo
listas, roteiros, planejamentos e corro p. cumpri-los ... escrevo muito, coleciono agendas...
Hoje é minha estreia, quero ser "blogueira".
irenedorada@yahoo.com.br