quarta-feira, fevereiro 24, 2010

O menino maluquinho


Finalmente consegui assistir o filme que comentei por aqui tempos atrás. E para os distraídos, já aviso que não é um filme para crianças, embora seja baseado num clássico infantil. A melhor parte é que assisti o filme sobre um menino de 9 anos que queria ser lobo que queria ser rei com o meu menino de 9 anos! E eu e o meu menino maluquinho (mas não tão maluquinho quanto o Max deste filme) gostamos muito. Liam não queria ver o filme porque tinha achado o trailer meio esquisito (e é mesmo). Mas a minha intuição de mãe sabia que se ele assistisse o filme, iria gostar muito...até porque, filho de peixe peixinho é! E não deu outra, meu filho passou o filme inteiro absorvido nas imagens do telão. Também pudera, a fotografia é mesmo de sonhos e reflete a poesia da infância, com seus sonhos e pesadelos.

Uma das coisas mais legais do filme é que ele nos faz ver a estória através dos olhos de um menino de 9 anos. Max é um menino de 9 anos que mora com sua mãe ocupada demais pra lher dar atenção e uma irmã mais velha que nunca o defende. A aventura de Max começa no dia em que ele tem um ataque de raiva, morde sua mãe e decide fugir de casa. Após atravessar um enorme oceano num barquinho, ele vai parar numa terra populada por monstros. E sim, os monstros em questão são todos eles um pouco Max. Cada um deles representa aquelas emoções negativas que muitas crianças sentem e não conseguem explicar (muito menos expressar) porque ainda são pequenas demais. Raiva. Tristeza. Ciúme. Solidão. Enfim, sentimentos profundamente humanos com os quais somos obrigados a lidar durante todas nossas vidas - em maior ou menor grau. E convenhamos, se nós adultos temos dificuldade em lidar com essas emoções, imaginem uma criança!

Talvez o fato de eu mesma ter um menino de 9 anos em casa tenha ajudado a me identificar com a estória. Como Max, Liam também é filho de pais separados. Eu mesma tive uma infância protegida mas era uma criança medrosa e muito, muito sensível. Eu não tinha os ataques de raiva de Max, que saía destruindo tudo. Mas era uma criança medrosa e com uma imaginação infinita. E como ele, me lembro de ter tido momentos de solidão na minha infância.

Moral da estória: se você tem filhos nesta idade, assista com eles! Garanto que será uma experiência inesquecível para todos.

2 comentários:

Márcia Albuquerque disse...

Muito legal que o filme tenha te despertado tanta coisa!
bjs

Maria Valéria disse...

eu li o livro. não sei se tenho curiosidade de ver o filme, mas pelo que vc escreveu, acho que verei sim.
Ah, nunca esqueço de um trecho do livro... " o menino maluquinho não conseguiu para ... O TEMPO!... E SE TORNOU UM ADULTO... qaundo se tornou adulto viu que não tinha sido um menino maluquinho... ele tinha sido um menino... FELIZ"( não sei se estava escrito exatamente com essas palavras, mas lembro que li isso e nunca esqueci...) beijos
Val

Tecnologia do Blogger.

O menino maluquinho


Finalmente consegui assistir o filme que comentei por aqui tempos atrás. E para os distraídos, já aviso que não é um filme para crianças, embora seja baseado num clássico infantil. A melhor parte é que assisti o filme sobre um menino de 9 anos que queria ser lobo que queria ser rei com o meu menino de 9 anos! E eu e o meu menino maluquinho (mas não tão maluquinho quanto o Max deste filme) gostamos muito. Liam não queria ver o filme porque tinha achado o trailer meio esquisito (e é mesmo). Mas a minha intuição de mãe sabia que se ele assistisse o filme, iria gostar muito...até porque, filho de peixe peixinho é! E não deu outra, meu filho passou o filme inteiro absorvido nas imagens do telão. Também pudera, a fotografia é mesmo de sonhos e reflete a poesia da infância, com seus sonhos e pesadelos.

Uma das coisas mais legais do filme é que ele nos faz ver a estória através dos olhos de um menino de 9 anos. Max é um menino de 9 anos que mora com sua mãe ocupada demais pra lher dar atenção e uma irmã mais velha que nunca o defende. A aventura de Max começa no dia em que ele tem um ataque de raiva, morde sua mãe e decide fugir de casa. Após atravessar um enorme oceano num barquinho, ele vai parar numa terra populada por monstros. E sim, os monstros em questão são todos eles um pouco Max. Cada um deles representa aquelas emoções negativas que muitas crianças sentem e não conseguem explicar (muito menos expressar) porque ainda são pequenas demais. Raiva. Tristeza. Ciúme. Solidão. Enfim, sentimentos profundamente humanos com os quais somos obrigados a lidar durante todas nossas vidas - em maior ou menor grau. E convenhamos, se nós adultos temos dificuldade em lidar com essas emoções, imaginem uma criança!

Talvez o fato de eu mesma ter um menino de 9 anos em casa tenha ajudado a me identificar com a estória. Como Max, Liam também é filho de pais separados. Eu mesma tive uma infância protegida mas era uma criança medrosa e muito, muito sensível. Eu não tinha os ataques de raiva de Max, que saía destruindo tudo. Mas era uma criança medrosa e com uma imaginação infinita. E como ele, me lembro de ter tido momentos de solidão na minha infância.

Moral da estória: se você tem filhos nesta idade, assista com eles! Garanto que será uma experiência inesquecível para todos.

2 comentários:

Márcia Albuquerque disse...

Muito legal que o filme tenha te despertado tanta coisa!
bjs

Maria Valéria disse...

eu li o livro. não sei se tenho curiosidade de ver o filme, mas pelo que vc escreveu, acho que verei sim.
Ah, nunca esqueço de um trecho do livro... " o menino maluquinho não conseguiu para ... O TEMPO!... E SE TORNOU UM ADULTO... qaundo se tornou adulto viu que não tinha sido um menino maluquinho... ele tinha sido um menino... FELIZ"( não sei se estava escrito exatamente com essas palavras, mas lembro que li isso e nunca esqueci...) beijos
Val