terça-feira, novembro 15, 2011

Water for Elephants





Domingo assisti em casa ao filme Water for Elephants, baseado no livro homônimo da autora Sara Gruen. O filme fez muito sucesso de crítica mas na época não consegui assistir no cinema.

Não li o livro mas gostei muito do filme (mais do que esperava). E confesso que até chorei em algumas cenas...Um filme cheio de emoção, paixão e também maldade por parte de um dos protagonistas. Os personagens principais da estória são o jovem Jacob (Robert Pattinson, o famoso vampiro da série Twillight que, diga-se de passagem, não assisti), Marlena, a jovem e bela estrela do circo (Reese Witherspoon). E last but not least, August o malvado dono do circo (Christoph Waltz, que literalmente rouba a cena dos outros dois protagonistas com sua brilhante atuação).

Outro personagem essencial na estória é a elefante Rosie, que tem um papel importante no desfecho do filme (não vou contar pra não estragar, né?). Como se não bastasse, a simpática elefante também é responsável por algumas das cenas mais emocionantes do filme (se é que se pode esperar isso de um elefante, rsrsrs). Quem duvida, assista o filme e confira!




Water for Elephants conta a estória do jovem veterinário Jacob, que depois de uma grande (e inesperada) perda, decide largar os estudos e recomeçar a vida em outra cidade. Por obra do destino, ele acaba pegando carona no trem de uma companhia de circo. E a partir daí passa a acompanhar o circo em suas andanças. Ele acaba sendo contratado para cuidar dos animais do circo - que certamente serão muito gratos pelos seus cuidados, pois sofrem maus tratos do proprietário do circo e também vilão da estória, August. Pra complicar, Jacob se apaixona perdidamente pela esposa de August, a estrela do circo. E o desfecho é inevitável, deixando o público quase sem fôlego na expectativa dos próximos acontecimentos. O clima tenso domina boa parte do filme, até o confronto inevitável entre os dois protagonistas masculinos.

Destaque especial para o excelente cenário e costumes, que nos transportam ao cotidiano de uma companhia de circo nos anos 30, época da Grande Depressão americana, no período entre guerras. Em alguns aspectos, a fotografia me fez lembrar um dos meus filmes favoritos, Moulin Rouge.

Enfim, fica a dica pra quem curte uma bela estória de amor!

10 comentários:

Milena F. disse...

Queria assistir esse filme, mas tb não conseguir ver na época...
Mas sabe que não gosto de filmes que mostram circo, ainda mais dessa época? Detesto circo!!! Até queria ir ao Cirque du Soleil, mas todo mundo aqui me diz que não muda quase nada de um circo normal, então fico com medo de me decepcionar!!!

Simone Pedroso disse...

Boa dica!

Beth Blue disse...

Milena, eu também não gosto do circo daquela época: odeio circo com animais, acho uma grande judiação! Prefiro mil vezes Cirque du Soleil (que ainda não vi).

Mas apesar deste pequeno grande detalhe, o filme vale a pena...eu fiquei tão comovida em algumas cenas que chorei igual criança! :-0

Mateus Medina disse...

Já ouvi falar demais, tanto do livro como do filme.

Não sei a razão, possivelmente é só a minha implicância natural, mas achei com cara de chato... rsrssr

O problema é que quando eu implico, eu implico mesmo rsrsrsrs

Pri S. disse...

Tb gostei do filme. Meu único problema com ele é que tenho MUITA pena qdo vejo maus tratos aos bichinhos. Aí fico agoniada assistindo... rs É daqueles filmes tristes, legais, divertidos e românticos tudo ao mesmo tempo! :-)

Beth Blue disse...

Mateus, eu te entendo...e digo mais: estou pra conhecer alguém mais implicante que eu! Eu também odeio assistir blockbusters (porque acha que nao vi Twillight?) e evito ler bestsellers (mas não resisto alguns).

Enfim, de vez em quando a gente tem de deixar de ser implicante e dar uma chance pra nós mesmos de descobrir coisas novas!

Mateus Medina disse...

Beth, a minha implicância é meio "aleatória". Quem dera foi assim mais "direcionada", como a sua com os blockbusters / clássicos.

Tem muito blockbusters / clássico que eu adoro, mas alguns especialmente me afastam... não digo que não verei o filme, é possível que eu veja e bem possível que eu até goste... eu sou meio bobão hehehehehe

O lance da implicância é meio inexplicável, sei lá... eu não sou normal... vai continuar aqui na fila, agora com mais uma indicação positiva =)

bjos

Maria Valéria disse...

vi esse filme há 2 meses e achei muito bonito.
O Christoph Waltz, o ator que vc diz que rouba a cena, é o coronel nazista de bastardos inglórios. não poderia esperar nada diferente dele !! ;-)
bjs

Vivia disse...

Eu li o livro e vi o filme. Pela primeira vez achei que o filme não ficou a desejar...

Vale a pena!

Lia disse...

Oi, Beth
O filme nao decepciona mesmo, mas leia o livro; eh muito melhor! Bjs

Tecnologia do Blogger.

Water for Elephants





Domingo assisti em casa ao filme Water for Elephants, baseado no livro homônimo da autora Sara Gruen. O filme fez muito sucesso de crítica mas na época não consegui assistir no cinema.

Não li o livro mas gostei muito do filme (mais do que esperava). E confesso que até chorei em algumas cenas...Um filme cheio de emoção, paixão e também maldade por parte de um dos protagonistas. Os personagens principais da estória são o jovem Jacob (Robert Pattinson, o famoso vampiro da série Twillight que, diga-se de passagem, não assisti), Marlena, a jovem e bela estrela do circo (Reese Witherspoon). E last but not least, August o malvado dono do circo (Christoph Waltz, que literalmente rouba a cena dos outros dois protagonistas com sua brilhante atuação).

Outro personagem essencial na estória é a elefante Rosie, que tem um papel importante no desfecho do filme (não vou contar pra não estragar, né?). Como se não bastasse, a simpática elefante também é responsável por algumas das cenas mais emocionantes do filme (se é que se pode esperar isso de um elefante, rsrsrs). Quem duvida, assista o filme e confira!




Water for Elephants conta a estória do jovem veterinário Jacob, que depois de uma grande (e inesperada) perda, decide largar os estudos e recomeçar a vida em outra cidade. Por obra do destino, ele acaba pegando carona no trem de uma companhia de circo. E a partir daí passa a acompanhar o circo em suas andanças. Ele acaba sendo contratado para cuidar dos animais do circo - que certamente serão muito gratos pelos seus cuidados, pois sofrem maus tratos do proprietário do circo e também vilão da estória, August. Pra complicar, Jacob se apaixona perdidamente pela esposa de August, a estrela do circo. E o desfecho é inevitável, deixando o público quase sem fôlego na expectativa dos próximos acontecimentos. O clima tenso domina boa parte do filme, até o confronto inevitável entre os dois protagonistas masculinos.

Destaque especial para o excelente cenário e costumes, que nos transportam ao cotidiano de uma companhia de circo nos anos 30, época da Grande Depressão americana, no período entre guerras. Em alguns aspectos, a fotografia me fez lembrar um dos meus filmes favoritos, Moulin Rouge.

Enfim, fica a dica pra quem curte uma bela estória de amor!

10 comentários:

Milena F. disse...

Queria assistir esse filme, mas tb não conseguir ver na época...
Mas sabe que não gosto de filmes que mostram circo, ainda mais dessa época? Detesto circo!!! Até queria ir ao Cirque du Soleil, mas todo mundo aqui me diz que não muda quase nada de um circo normal, então fico com medo de me decepcionar!!!

Simone Pedroso disse...

Boa dica!

Beth Blue disse...

Milena, eu também não gosto do circo daquela época: odeio circo com animais, acho uma grande judiação! Prefiro mil vezes Cirque du Soleil (que ainda não vi).

Mas apesar deste pequeno grande detalhe, o filme vale a pena...eu fiquei tão comovida em algumas cenas que chorei igual criança! :-0

Mateus Medina disse...

Já ouvi falar demais, tanto do livro como do filme.

Não sei a razão, possivelmente é só a minha implicância natural, mas achei com cara de chato... rsrssr

O problema é que quando eu implico, eu implico mesmo rsrsrsrs

Pri S. disse...

Tb gostei do filme. Meu único problema com ele é que tenho MUITA pena qdo vejo maus tratos aos bichinhos. Aí fico agoniada assistindo... rs É daqueles filmes tristes, legais, divertidos e românticos tudo ao mesmo tempo! :-)

Beth Blue disse...

Mateus, eu te entendo...e digo mais: estou pra conhecer alguém mais implicante que eu! Eu também odeio assistir blockbusters (porque acha que nao vi Twillight?) e evito ler bestsellers (mas não resisto alguns).

Enfim, de vez em quando a gente tem de deixar de ser implicante e dar uma chance pra nós mesmos de descobrir coisas novas!

Mateus Medina disse...

Beth, a minha implicância é meio "aleatória". Quem dera foi assim mais "direcionada", como a sua com os blockbusters / clássicos.

Tem muito blockbusters / clássico que eu adoro, mas alguns especialmente me afastam... não digo que não verei o filme, é possível que eu veja e bem possível que eu até goste... eu sou meio bobão hehehehehe

O lance da implicância é meio inexplicável, sei lá... eu não sou normal... vai continuar aqui na fila, agora com mais uma indicação positiva =)

bjos

Maria Valéria disse...

vi esse filme há 2 meses e achei muito bonito.
O Christoph Waltz, o ator que vc diz que rouba a cena, é o coronel nazista de bastardos inglórios. não poderia esperar nada diferente dele !! ;-)
bjs

Vivia disse...

Eu li o livro e vi o filme. Pela primeira vez achei que o filme não ficou a desejar...

Vale a pena!

Lia disse...

Oi, Beth
O filme nao decepciona mesmo, mas leia o livro; eh muito melhor! Bjs