quarta-feira, novembro 30, 2011

Uma homenagem a nós leitoras compulsivas






Namore uma garota que lê
Namore uma garota que gasta seu dinheiro em livros, em vez de roupas. Ela também tem problemas com o espaço do armário, mas é só porque tem livros demais. Namore uma garota que tem uma lista de livros que quer ler e que possui seu cartão de biblioteca desde os doze anos.

Encontre uma garota que lê. Você sabe que ela lê porque ela sempre vai ter um livro não lido na bolsa. Ela é aquela que olha amorosamente para as prateleiras da livraria, a única que surta (ainda que em silêncio) quando encontra o livro que quer. Você está vendo uma garota estranha cheirar as páginas de um livro antigo em um sebo? Essa é a leitora. Nunca resiste a cheirar as páginas, especialmente quando ficaram amarelas.

Ela é a garota que lê enquanto espera em um Café na rua. Se você espiar sua xícara, verá que a espuma do leite ainda flutua por sobre a bebida, porque ela está absorta. Perdida em um mundo criado pelo autor. Sente-se. Se quiser ela pode vê-lo de relance, porque a maior parte das garotas que leem não gostam de ser interrompidas. Pergunte se ela está gostando do livro.

Compre para ela outra xícara de café.

Diga o que realmente pensa sobre o Murakami. Descubra se ela foi além do primeiro capítulo da Irmandade. Entenda que, se ela diz que compreendeu o Ulisses de James Joyce, é só para parecer inteligente. Pergunte se ela gosta ou gostaria de ser a Alice.

É fácil namorar uma garota que lê. Ofereça livros no aniversário dela, no Natal e em comemorações de namoro. Ofereça o dom das palavras na poesia, na música. Ofereça Neruda, Sexton Pound, cummings. Deixe que ela saiba que você entende que as palavras são amor. Entenda que ela sabe a diferença entre os livros e a realidade mas, juro por Deus, ela vai tentar fazer com que a vida se pareça um pouco como seu livro favorito. E se ela conseguir não será por sua causa.

É que ela tem que arriscar, de alguma forma.
Minta. Se ela compreender sintaxe, vai perceber a sua necessidade de mentir. Por trás das palavras existem outras coisas: motivação, valor, nuance, diálogo. E isto nunca será o fim do mundo.

Trate de desiludi-la. Porque uma garota que lê sabe que o fracasso leva sempre ao clímax. Essas garotas sabem que todas as coisas chegam ao fim. E que sempre se pode escrever uma continuação. E que você pode começar outra vez e de novo, e continuar a ser o herói. E que na vida é preciso haver um vilão ou dois.

Por que ter medo de tudo o que você não é? As garotas que leem sabem que as pessoas, tal como as personagens, evoluem. Exceto as da série Crepúsculo.

Se você encontrar uma garota que leia, é melhor mantê-la por perto. Quando encontrá-la acordada às duas da manhã, chorando e apertando um livro contra o peito, prepare uma xícara de chá e abrace-a. Você pode perdê-la por um par de horas, mas ela sempre vai voltar para você. E falará como se as personagens do livro fossem reais – até porque, durante algum tempo, são mesmo.

Você tem de se declarar a ela em um balão de ar quente. Ou durante um show de rock. Ou, casualmente, na próxima vez que ela estiver doente. Ou pelo Skype.

Você vai sorrir tanto que acabará por se perguntar por que é que o seu coração ainda não explodiu e espalhou sangue por todo o peito. Vocês escreverão a história das suas vidas, terão crianças com nomes estranhos e gostos mais estranhos ainda. Ela vai apresentar os seus filhos ao Gato do Chapéu [Cat in the Hat] e a Aslam, talvez no mesmo dia. Vão atravessar juntos os invernos de suas velhices, e ela recitará Keats, num sussurro, enquanto você sacode a neve das botas.

Namore uma garota que lê porque você merece. Merece uma garota que pode te dar a vida mais colorida que você puder imaginar. Se você só puder oferecer-lhe monotonia, horas requentadas e propostas meia-boca, então estará melhor sozinho. Mas se quiser o mundo, e outros mundos além, namore uma garota que lê.

Ou, melhor ainda, namore uma garota que escreve.





Este texto anda circulando pelo Facebook e achei tão lindo (e tão a minha cara) que resolvi compartilhá-lo com vocês aqui no blog. Tradução e adaptação de Gabriela Ventura, o texto original (em inglês) está  aqui.

11 comentários:

Lia disse...

Muito fofo esse texto mesmo, Beth.. Já vi a versão masculina, ou seja, namore um garoto que lê. Bjs

João disse...

Beth,muito bonito o texto e,de certa forma real! :D

PS:leio seu blog ha algum tempo,nunca comentei,mas hoje resolvi sair do anonimato! :D

A Viajante disse...

rs...

Simplesmente M.A.R.A.V.I.L.H.O.S.O !

Como uma amante da leitura (leia-se: leitora compulsiva que se apaixona por cada história que lê), me vi descrita neste post...

ADOREI! Principalmente a ultima frase.


PS: Peço licença... postarei esta tradução no facebook, com o devido crédito ao blog. Caso não permita basta responder ao comment no meu blog.

Obrigada por compartilhar este texto!

Labelle® Paz disse...

E eu, após quase 1 ano sem escrever, retomei ontem, um pouco antes de receber esse texto... Claro, que minha primeira postagem teria que ser essa... Tive que compartilhar...
Estou de volta, amiga!!! Beijo grande!

Maria Valéria disse...

adorei o texto!! não sou leitora compulsiva, mas para mim, poderia se dizer ' namore uma garota obcecada por filmes'...kkkkk pela mesma razão que vc é pelos livros!!
spirbeijos ,querida

Anônimo disse...

Acho que sou essa garota (você também é!)...
Quando leio um livro muito bom, após terminar, sinto saudade dos personagens, como se fossem amigos que se mudaram para um país distante.
Na infância/adolescência, minha mãe às vezes se zangava, pois eu ficava horas incomunicável, deitada no sofá lendo - as pessoas falavam comigo e eu nem escutava...
Confesso que não cheiro livros, pois sou extremamente alérgica. Isso nunca me impediu de frequentar sebos - mas, se eu cheirasse os livros, a quantidade de espirros seria muito maior :)
Guardo ótimas recordações da biblioteca de minha escola e da Biblioteca do Ibeu. Por aqui, uma de minhas tradições preferidas era ir à biblioteca central todo sábado de manhã.
Minha vida é bastante complicada atualmente (vai melhorar!) e não dá mais tempo de ir à biblioteca, entre outras coisas. Minha solução foi tornar-me adepta da leitura no celular. Qualquer minutinho livre se converte em tempo de leitura. Não que eu tenha deixado de gostar dos livros impressos - é só pela enorme praticidade.
E porque não poderia viver sem a leitura - ou, melhor dizendo, sem a companhia constante das palavras.
Muito a propósito, alguns achados do Etsy.com:
http://tinyurl.com/cngf9lg
http://tinyurl.com/brepsat
http://tinyurl.com/bo2uj28
http://tinyurl.com/dy63r6o
(essa é uma de minhas "trasury lists")
Bjs,
Gi

Mateus Medina disse...

Fantástico!

Passei, li, indiquei e mais não digo.

bjos

Sandra disse...

Beth! Descobri o seu blog há pouco tempo em um desses cliques da vida..rs..e digo: seu blog é lindo! porque ele tem alma, tem vida, tem lágrimas, sorrisos... vc. consegue transpor tão bem os seus sentimentos que a gente vai sentindo o que vai lendo. Aliás o blog tem me ajudado a entender muitas coisas na condição de imigrante (estou na Suíça). Virei fã :-). Quem sabe um dia não me animo e começo um blog também?!. Um abraço. Sandra

Eve disse...

Que fofo!
E, ó, eu tenho o cartao da biblioteca da universidade até hoje. Guardei de lembrança. rsrsrs
Na minha infancia, nao tinha biblioteca, mas um monte de "garota que liam" e me emprestavam os livros. ;)

Bjs!

Palavras Vagabundas disse...

Beth, esse texto é tão bom e tão a nossa cara. Também já publiquei.
bjs
Jussara

Lilly disse...

Vou confessar que eu sempre comprei livro em sebo mas tenho um pouco de nojo. Agora hj eu me peguei cheirando e acariciando um livro novo! ;)

Tecnologia do Blogger.

Uma homenagem a nós leitoras compulsivas






Namore uma garota que lê
Namore uma garota que gasta seu dinheiro em livros, em vez de roupas. Ela também tem problemas com o espaço do armário, mas é só porque tem livros demais. Namore uma garota que tem uma lista de livros que quer ler e que possui seu cartão de biblioteca desde os doze anos.

Encontre uma garota que lê. Você sabe que ela lê porque ela sempre vai ter um livro não lido na bolsa. Ela é aquela que olha amorosamente para as prateleiras da livraria, a única que surta (ainda que em silêncio) quando encontra o livro que quer. Você está vendo uma garota estranha cheirar as páginas de um livro antigo em um sebo? Essa é a leitora. Nunca resiste a cheirar as páginas, especialmente quando ficaram amarelas.

Ela é a garota que lê enquanto espera em um Café na rua. Se você espiar sua xícara, verá que a espuma do leite ainda flutua por sobre a bebida, porque ela está absorta. Perdida em um mundo criado pelo autor. Sente-se. Se quiser ela pode vê-lo de relance, porque a maior parte das garotas que leem não gostam de ser interrompidas. Pergunte se ela está gostando do livro.

Compre para ela outra xícara de café.

Diga o que realmente pensa sobre o Murakami. Descubra se ela foi além do primeiro capítulo da Irmandade. Entenda que, se ela diz que compreendeu o Ulisses de James Joyce, é só para parecer inteligente. Pergunte se ela gosta ou gostaria de ser a Alice.

É fácil namorar uma garota que lê. Ofereça livros no aniversário dela, no Natal e em comemorações de namoro. Ofereça o dom das palavras na poesia, na música. Ofereça Neruda, Sexton Pound, cummings. Deixe que ela saiba que você entende que as palavras são amor. Entenda que ela sabe a diferença entre os livros e a realidade mas, juro por Deus, ela vai tentar fazer com que a vida se pareça um pouco como seu livro favorito. E se ela conseguir não será por sua causa.

É que ela tem que arriscar, de alguma forma.
Minta. Se ela compreender sintaxe, vai perceber a sua necessidade de mentir. Por trás das palavras existem outras coisas: motivação, valor, nuance, diálogo. E isto nunca será o fim do mundo.

Trate de desiludi-la. Porque uma garota que lê sabe que o fracasso leva sempre ao clímax. Essas garotas sabem que todas as coisas chegam ao fim. E que sempre se pode escrever uma continuação. E que você pode começar outra vez e de novo, e continuar a ser o herói. E que na vida é preciso haver um vilão ou dois.

Por que ter medo de tudo o que você não é? As garotas que leem sabem que as pessoas, tal como as personagens, evoluem. Exceto as da série Crepúsculo.

Se você encontrar uma garota que leia, é melhor mantê-la por perto. Quando encontrá-la acordada às duas da manhã, chorando e apertando um livro contra o peito, prepare uma xícara de chá e abrace-a. Você pode perdê-la por um par de horas, mas ela sempre vai voltar para você. E falará como se as personagens do livro fossem reais – até porque, durante algum tempo, são mesmo.

Você tem de se declarar a ela em um balão de ar quente. Ou durante um show de rock. Ou, casualmente, na próxima vez que ela estiver doente. Ou pelo Skype.

Você vai sorrir tanto que acabará por se perguntar por que é que o seu coração ainda não explodiu e espalhou sangue por todo o peito. Vocês escreverão a história das suas vidas, terão crianças com nomes estranhos e gostos mais estranhos ainda. Ela vai apresentar os seus filhos ao Gato do Chapéu [Cat in the Hat] e a Aslam, talvez no mesmo dia. Vão atravessar juntos os invernos de suas velhices, e ela recitará Keats, num sussurro, enquanto você sacode a neve das botas.

Namore uma garota que lê porque você merece. Merece uma garota que pode te dar a vida mais colorida que você puder imaginar. Se você só puder oferecer-lhe monotonia, horas requentadas e propostas meia-boca, então estará melhor sozinho. Mas se quiser o mundo, e outros mundos além, namore uma garota que lê.

Ou, melhor ainda, namore uma garota que escreve.





Este texto anda circulando pelo Facebook e achei tão lindo (e tão a minha cara) que resolvi compartilhá-lo com vocês aqui no blog. Tradução e adaptação de Gabriela Ventura, o texto original (em inglês) está  aqui.

11 comentários:

Lia disse...

Muito fofo esse texto mesmo, Beth.. Já vi a versão masculina, ou seja, namore um garoto que lê. Bjs

João disse...

Beth,muito bonito o texto e,de certa forma real! :D

PS:leio seu blog ha algum tempo,nunca comentei,mas hoje resolvi sair do anonimato! :D

A Viajante disse...

rs...

Simplesmente M.A.R.A.V.I.L.H.O.S.O !

Como uma amante da leitura (leia-se: leitora compulsiva que se apaixona por cada história que lê), me vi descrita neste post...

ADOREI! Principalmente a ultima frase.


PS: Peço licença... postarei esta tradução no facebook, com o devido crédito ao blog. Caso não permita basta responder ao comment no meu blog.

Obrigada por compartilhar este texto!

Labelle® Paz disse...

E eu, após quase 1 ano sem escrever, retomei ontem, um pouco antes de receber esse texto... Claro, que minha primeira postagem teria que ser essa... Tive que compartilhar...
Estou de volta, amiga!!! Beijo grande!

Maria Valéria disse...

adorei o texto!! não sou leitora compulsiva, mas para mim, poderia se dizer ' namore uma garota obcecada por filmes'...kkkkk pela mesma razão que vc é pelos livros!!
spirbeijos ,querida

Anônimo disse...

Acho que sou essa garota (você também é!)...
Quando leio um livro muito bom, após terminar, sinto saudade dos personagens, como se fossem amigos que se mudaram para um país distante.
Na infância/adolescência, minha mãe às vezes se zangava, pois eu ficava horas incomunicável, deitada no sofá lendo - as pessoas falavam comigo e eu nem escutava...
Confesso que não cheiro livros, pois sou extremamente alérgica. Isso nunca me impediu de frequentar sebos - mas, se eu cheirasse os livros, a quantidade de espirros seria muito maior :)
Guardo ótimas recordações da biblioteca de minha escola e da Biblioteca do Ibeu. Por aqui, uma de minhas tradições preferidas era ir à biblioteca central todo sábado de manhã.
Minha vida é bastante complicada atualmente (vai melhorar!) e não dá mais tempo de ir à biblioteca, entre outras coisas. Minha solução foi tornar-me adepta da leitura no celular. Qualquer minutinho livre se converte em tempo de leitura. Não que eu tenha deixado de gostar dos livros impressos - é só pela enorme praticidade.
E porque não poderia viver sem a leitura - ou, melhor dizendo, sem a companhia constante das palavras.
Muito a propósito, alguns achados do Etsy.com:
http://tinyurl.com/cngf9lg
http://tinyurl.com/brepsat
http://tinyurl.com/bo2uj28
http://tinyurl.com/dy63r6o
(essa é uma de minhas "trasury lists")
Bjs,
Gi

Mateus Medina disse...

Fantástico!

Passei, li, indiquei e mais não digo.

bjos

Sandra disse...

Beth! Descobri o seu blog há pouco tempo em um desses cliques da vida..rs..e digo: seu blog é lindo! porque ele tem alma, tem vida, tem lágrimas, sorrisos... vc. consegue transpor tão bem os seus sentimentos que a gente vai sentindo o que vai lendo. Aliás o blog tem me ajudado a entender muitas coisas na condição de imigrante (estou na Suíça). Virei fã :-). Quem sabe um dia não me animo e começo um blog também?!. Um abraço. Sandra

Eve disse...

Que fofo!
E, ó, eu tenho o cartao da biblioteca da universidade até hoje. Guardei de lembrança. rsrsrs
Na minha infancia, nao tinha biblioteca, mas um monte de "garota que liam" e me emprestavam os livros. ;)

Bjs!

Palavras Vagabundas disse...

Beth, esse texto é tão bom e tão a nossa cara. Também já publiquei.
bjs
Jussara

Lilly disse...

Vou confessar que eu sempre comprei livro em sebo mas tenho um pouco de nojo. Agora hj eu me peguei cheirando e acariciando um livro novo! ;)