quinta-feira, dezembro 08, 2011

Nada é para sempre.


No dia que a gente aprende isso (e muitos nunca aprendem), a vida fica mais fácil. Porque só assim deixamos de ter a ilusão de que nada muda, tudo permanece...Mera ilusão. As pessoas mudam, as situações mudam, nossas necessidades mudam. O mundo muda o  tempo todo. Dias, noites, estações do ano. Sol, chuva, calor, frio. Tempestade, trovão, neve.

Quando a gente aprende que a mudança é inevitável, tudo fica mais fácil - e mesmo assim é difícil. Porque a verdade é que não adianta nos apegarmos a uma pessoa, idéia ou sentimento, porque eles mudam, a gente muda. Nada é para sempre.

E assim as relações começam, algumas se desfazem, outras amadurecem. Elas cumprem seu papel, a gente aprende (ou não) a lição. Tem gente que precisa cometer o mesmo erro ad infinitum (teimosia ou burrice?). E tem gente que se recusa a ir pelo mesmo caminho. Que reconhece os sinais de perigo na estrada. As curvas perigosas, aquele velho beco sem saída.

Tem relacionamento pra todo tipo de gente. Tem relacionamento em que os dois vivem em total simbiose, grudados o tempo todo...esses geralmente não duram porque o sacrifício de abrir mão de sua individualidade sai caro (e nem todos estão dispostos a pagar o preço). Desse tipo de relacionamento eu fujo instintivamente...não tenho culpa de ter nascido sagitariana dupla e prezar por meu espaço e minha liberdade.

Tem relacionamento em que um dos parceiros insiste em tentar mudar o outro...desnecessário dizer, isso nunca dá certo. Então se você está tentando mudar o seu parceiro, economize suas energias e em vez disso, tente mudar a maneira como você lida com o parceiro em questão. E se isso não for possível, pense duas vezes se não está sonhando com o parceiro ideal (irreal).

Tem relacionamento em que uma pessoa tem tanto medo de ficar sozinha que ela prefere manter a relação a todo custo. Ela briga, chora, se escabela mas "não larga o osso" (como dizia uma sábia amiga que não vejo há tempos). A relação se desgata mas ela continua insistindo que tem solução, que ainda é possível mudar o rumo. Muitos casamentos são assim porque a pessoa tem medo da solidão. Agora convenhamos: medo de ficar sozinho não é a melhor base para um relacionamento.

Relação ideal não existe. O que existe é amor. Vontade de ficar juntos. E vontade de dar certo. É preciso cultivar a relação, e para isso é preciso tempo e acima de tudo, energia. Quem não tem energia pra investir numa relação, melhor ficar sozinho. Porque "empurrar com a barriga" é uma forma de egoísmo. Não dá!

No final das contas - e com alguma sorte - a melhor companhia que você terá ao longo de toda a sua vida é você mesmo. E isso não é necessariamente ruim. Nascemos sozinhos. Morremos sozinhos. Fica dado o recado.

12 comentários:

Eve disse...

Inspiraçao total ao escrever esse texto, hein?
E a "moral" é essa mesma: nascemos sozinhos, morremos sozinhos. Duro é aceitar, né?
Bjs!

Lilly disse...

Que triste. É verdade mas ainda não consegui aceitar totalmente.

Aline Aimée disse...

Assino embaixo! Concordo completamente e acho que todo mundo deveria ler esse seu texto, cedo!
rsrs

Beijinhos!

Anônimo disse...

Lindo esse seu texto. Uma reflexão e tanto! Já te disse que vc escreve super bem? Ana Luisa

Dama de Cinzas disse...

Para mim relacionamento ideal é aquele que os dois caminham juntos, com vidas paralelas que se entrelaçam em alguns pontos da jornada. Tenho uma certa agonia com pessoas que vivem em função das outras e perdem sua individualidade!

Beijocas

Maria Valéria disse...

pra variar, concordo!!! adorei o texto. nem precisa dizer que estou passando pelo mesmo, né? beijão

Line disse...

Concordo com tudo!
E diria que isso serve pra qualquer tipo de relacionamento afetivo, e em alguns casos se aplicaria até a algumas questões relacionadas aos relacionamentos no ambiente de trabalho.
Eu acredito que as pessoas possam mudar sim, mas essa decisão tem que partir da própria pessoa, porque ninguém muda ninguém! A gente "se muda", se molda, se adapta, isso vem de dentro.

Beijos!

Anita disse...

Nada é para sempre e tudo é relativo. Quanto mais eu rezo mais assombração me aparece. No começo tudo é difícil e depois fica pior ainda.

Bebete Indarte disse...

Eu acho que relacionamentos vêm e vão, todas as pessoas e combinações são diferentes, não existe uma fórmula pronta. Mesmo com o 'outro' estamos sozinhos, algumas vezes. Mas num relacionamento afetivo, a primeira palavra é respeito, depois admiração mútua e tranquilidade na relação, para que as duas partes continuem desenvolvendo a sua individualidade. Ninguém muda na sua essência, mas as pessoas evoluem, se desenvolvem, nada é estático. É uma pena que acabou, porque vocês pareciam combinar em muita coisa. Acredito que tiveram bons tempos juntos, mas agora é ir em frente, se recompor, e guardar boas lembranças. Boa sorte!

Palavras Vagabundas disse...

"No final das contas - e com alguma sorte - a melhor companhia que você terá ao longo de toda a sua vida é você mesmo", por isso devemos nos amar cada vez mais.
Bela reflexão e todos deveriam ler
bjs e bom fim de semana
Jussara

Milena F. disse...

Adorei o texto, profundo e diz muita coisa importante! Relacionamentos nunca foram fáceis para mim; sou uma pessoa bem difícil de conviver, penso muito em mim e sou muito exigente com os outros.
Até amizade é difícil para mim, pois acabo esquecendo de ligar e fico um tempão sem procurar... Sempre fiquei muito mais tempo com os livros do que com as pessoas reais... As pessoas, para mim eram muito mais uma fonte de estudo e de observação do que íntimas.

Mas eu acho muito trsite terminar a vida sozinha... Prefiro evitar, mesmo sabendo que estatísticamente as mulheres vivem mais do que os homens e terminam a vida sozinhas (ainda mais se não tiverem filhos...)
Melhor nem pensar!

Pri S. disse...

Tema delicado. Mas bem escrito, sincero e verdadeiro, ué... rs Não é fácil refletir sobre essas coisas todas. Mas sabe, concordo com tudo. Acho importante as pessoas se despirem de idealizações e começarem a ter clareza. Não pessimismo - apenas clareza, como foi o caso aqui.

Bom te ler! :-)

Bjos!

Tecnologia do Blogger.

Nada é para sempre.


No dia que a gente aprende isso (e muitos nunca aprendem), a vida fica mais fácil. Porque só assim deixamos de ter a ilusão de que nada muda, tudo permanece...Mera ilusão. As pessoas mudam, as situações mudam, nossas necessidades mudam. O mundo muda o  tempo todo. Dias, noites, estações do ano. Sol, chuva, calor, frio. Tempestade, trovão, neve.

Quando a gente aprende que a mudança é inevitável, tudo fica mais fácil - e mesmo assim é difícil. Porque a verdade é que não adianta nos apegarmos a uma pessoa, idéia ou sentimento, porque eles mudam, a gente muda. Nada é para sempre.

E assim as relações começam, algumas se desfazem, outras amadurecem. Elas cumprem seu papel, a gente aprende (ou não) a lição. Tem gente que precisa cometer o mesmo erro ad infinitum (teimosia ou burrice?). E tem gente que se recusa a ir pelo mesmo caminho. Que reconhece os sinais de perigo na estrada. As curvas perigosas, aquele velho beco sem saída.

Tem relacionamento pra todo tipo de gente. Tem relacionamento em que os dois vivem em total simbiose, grudados o tempo todo...esses geralmente não duram porque o sacrifício de abrir mão de sua individualidade sai caro (e nem todos estão dispostos a pagar o preço). Desse tipo de relacionamento eu fujo instintivamente...não tenho culpa de ter nascido sagitariana dupla e prezar por meu espaço e minha liberdade.

Tem relacionamento em que um dos parceiros insiste em tentar mudar o outro...desnecessário dizer, isso nunca dá certo. Então se você está tentando mudar o seu parceiro, economize suas energias e em vez disso, tente mudar a maneira como você lida com o parceiro em questão. E se isso não for possível, pense duas vezes se não está sonhando com o parceiro ideal (irreal).

Tem relacionamento em que uma pessoa tem tanto medo de ficar sozinha que ela prefere manter a relação a todo custo. Ela briga, chora, se escabela mas "não larga o osso" (como dizia uma sábia amiga que não vejo há tempos). A relação se desgata mas ela continua insistindo que tem solução, que ainda é possível mudar o rumo. Muitos casamentos são assim porque a pessoa tem medo da solidão. Agora convenhamos: medo de ficar sozinho não é a melhor base para um relacionamento.

Relação ideal não existe. O que existe é amor. Vontade de ficar juntos. E vontade de dar certo. É preciso cultivar a relação, e para isso é preciso tempo e acima de tudo, energia. Quem não tem energia pra investir numa relação, melhor ficar sozinho. Porque "empurrar com a barriga" é uma forma de egoísmo. Não dá!

No final das contas - e com alguma sorte - a melhor companhia que você terá ao longo de toda a sua vida é você mesmo. E isso não é necessariamente ruim. Nascemos sozinhos. Morremos sozinhos. Fica dado o recado.

12 comentários:

Eve disse...

Inspiraçao total ao escrever esse texto, hein?
E a "moral" é essa mesma: nascemos sozinhos, morremos sozinhos. Duro é aceitar, né?
Bjs!

Lilly disse...

Que triste. É verdade mas ainda não consegui aceitar totalmente.

Aline Aimée disse...

Assino embaixo! Concordo completamente e acho que todo mundo deveria ler esse seu texto, cedo!
rsrs

Beijinhos!

Anônimo disse...

Lindo esse seu texto. Uma reflexão e tanto! Já te disse que vc escreve super bem? Ana Luisa

Dama de Cinzas disse...

Para mim relacionamento ideal é aquele que os dois caminham juntos, com vidas paralelas que se entrelaçam em alguns pontos da jornada. Tenho uma certa agonia com pessoas que vivem em função das outras e perdem sua individualidade!

Beijocas

Maria Valéria disse...

pra variar, concordo!!! adorei o texto. nem precisa dizer que estou passando pelo mesmo, né? beijão

Line disse...

Concordo com tudo!
E diria que isso serve pra qualquer tipo de relacionamento afetivo, e em alguns casos se aplicaria até a algumas questões relacionadas aos relacionamentos no ambiente de trabalho.
Eu acredito que as pessoas possam mudar sim, mas essa decisão tem que partir da própria pessoa, porque ninguém muda ninguém! A gente "se muda", se molda, se adapta, isso vem de dentro.

Beijos!

Anita disse...

Nada é para sempre e tudo é relativo. Quanto mais eu rezo mais assombração me aparece. No começo tudo é difícil e depois fica pior ainda.

Bebete Indarte disse...

Eu acho que relacionamentos vêm e vão, todas as pessoas e combinações são diferentes, não existe uma fórmula pronta. Mesmo com o 'outro' estamos sozinhos, algumas vezes. Mas num relacionamento afetivo, a primeira palavra é respeito, depois admiração mútua e tranquilidade na relação, para que as duas partes continuem desenvolvendo a sua individualidade. Ninguém muda na sua essência, mas as pessoas evoluem, se desenvolvem, nada é estático. É uma pena que acabou, porque vocês pareciam combinar em muita coisa. Acredito que tiveram bons tempos juntos, mas agora é ir em frente, se recompor, e guardar boas lembranças. Boa sorte!

Palavras Vagabundas disse...

"No final das contas - e com alguma sorte - a melhor companhia que você terá ao longo de toda a sua vida é você mesmo", por isso devemos nos amar cada vez mais.
Bela reflexão e todos deveriam ler
bjs e bom fim de semana
Jussara

Milena F. disse...

Adorei o texto, profundo e diz muita coisa importante! Relacionamentos nunca foram fáceis para mim; sou uma pessoa bem difícil de conviver, penso muito em mim e sou muito exigente com os outros.
Até amizade é difícil para mim, pois acabo esquecendo de ligar e fico um tempão sem procurar... Sempre fiquei muito mais tempo com os livros do que com as pessoas reais... As pessoas, para mim eram muito mais uma fonte de estudo e de observação do que íntimas.

Mas eu acho muito trsite terminar a vida sozinha... Prefiro evitar, mesmo sabendo que estatísticamente as mulheres vivem mais do que os homens e terminam a vida sozinhas (ainda mais se não tiverem filhos...)
Melhor nem pensar!

Pri S. disse...

Tema delicado. Mas bem escrito, sincero e verdadeiro, ué... rs Não é fácil refletir sobre essas coisas todas. Mas sabe, concordo com tudo. Acho importante as pessoas se despirem de idealizações e começarem a ter clareza. Não pessimismo - apenas clareza, como foi o caso aqui.

Bom te ler! :-)

Bjos!