terça-feira, janeiro 15, 2013

Brasileiros solidários?



Queridos amigos e leitores, 
Alguns devem ter percebido que tenho evitado posts de teor pessoal no blog para me poupar, mas hoje não deu pra segurar a onda. Aí pensei: sabem de uma coisa? o blog é meu e aqui eu escrevo o que eu quero. Então sentem que lá vem estória!

Pois hoje vivi uma situação extremamente desagradável com a amiga de uma (ex)amiga no Facebook. Uma situação que me faz perguntar onde anda a solidariedade do brasileiro? No meu caso específico, onde anda a solidariedade dos brasileiros que vivem na Holanda (não sei se é assim nos outros países, mas espero que não). Porque o que eu tenho vivenciado nos meus 18 anos de Holanda é muito triste. Ou isso ou eu realmente "esbarrei" nas pessoas erradas.

A discussão começou com fulana dizendo que não existe crise (leia-se crise do Euro), que a crise está na cabeças das pessoas. Como eu assisto noticiários, leio jornais, leio resenhas de economistas etc etc etc simplesmente não entendi a colocação da pessoa. Aí me lembrei que esta fulana sempre teve emprego aqui, ela já veio do Brasil com emprego! Então obviamente a crise (ainda) não bateu na porta dela - e Deus a proteja e seu marido para que nunca fiquem desempregados e percam a hipoteca da casa própria, como tem acontecido muito ultimamente. Deus a livre de se divorciar e ter de pagar as contas sozinha...Ela e o marido trabalham (vejam bem) em um dos poucos setores que tem sobrevivido a tal crise do euro: Informática. Claro que para pessoas assim, a crise não existe, né? E pelo jeito nem solidariedade...

O interessante é que meu namorado não apenas tem emprego, como trabalha no mesmo setor e provavelmente ganha tanto ou mais do que ela (o que não vem ao caso) e nunca passou pela cabeça dele que a crise é algo "imaginário" que povoa a cabeça de gente louca. Ele é inteligente o bastante, e sensato o bastante, pra saber que a crise existe sim, mesmo não tendo sido afetado por ela! Ele também tem acompanhado a minha vida há 5 anos (e isso obviamente fez ele entender coisas que algumas pessoas não entendem porque simplesmente não fazem parte da realidade delas). Verdade que ele também viu amigos perderem emprego, amigos sofrerem de burnout com medo de perderem seus empregos e por ai vai. Ou seja, ele tem um bom emprego, ganha bem mas sabe que a crise não está na cabeça das pessoas. E é solidário com quem não teve a mesma sorte.

Quanto a mim, estou desempregada oficialmente há  4 anos e já terminei de completar meu terceiro estágio (isso mesmo, estágio) e portanto, pra mim a crise é mais do que real. Aí vem uma fulana com quem não tenho contato há mais de 5 anos e não tem a menor idéia da minha vida e como se não bastasse ainda me diz que mesmo na época em que a Holanda estava "bombando" eu já estava desempregada. Em outras palavras, além da crise não existir, a culpa de estar desempregada é apenas minha! E depois eu é que sou louca? Eu e milhões de desempregados na Europa inteira - aqui na Holanda ainda são 7% da população, na Espanha já passa de 25% (1 em cada 4 espanhóis está desempregado). Eu acho inconcebível uma pessoa estar tão alienada da realidade de milhões porque tem emprego e consegue pagar as contas em dia e viajar todo ano. Não sei se isso é alienação ou falta de solidariedade - ou ambos.

Como pode uma pessoa que nunca ficou desempregada neste país, que nunca passou por um divórcio com filho pequeno pra criar (sem família por perto pra dar uma força), dizer que crise não existe? Em que mundo vivemos em que as pessoas estão cada vez mais individualistas, do tipo "Eu por mim e Deus por todos"?  Nessas horas me bate um cansaço e uma tristeza profunda...e eu constato (novamente) que os verdadeiros amigos são aqueles que estão ao seu lado quando você não tem dinheiro, por  ex. Porque quando a pessoa tem emprego, dinheiro, carro, casa com piscina etc etc etc (deu pra sacar né?) amigo é o que não falta. Todo mundo gosta de jantares e festas. Basta a pessoa perder o emprego, entrar em crise ou pior ainda, em depressão (Deus a proteja de um dia ter uma "coisa" dessas) que todo mundo some. Eu sei que isso não acontece só com os brasileiros morando no exterior mas no Brasil e em toda parte do mundo.

Moral da estória: falta solidariedade no ser humano. E digo mais, se as pessoas tivessem alguma idéia da vida de quem estão falando, se pudessem por (apenas) uma semana trocar de lugar e ver como a vida do outro realmente é...quem sabe?

Confesso que perdi as esperanças...felizmente ainda tenho amizades que passaram pela "prova de fogo" e estas irei valorizar a vida inteira. Obrigada por serem meus amigos!

Pronto, falei.



19 comentários:

Rosa de Paiva Lopes disse...

Barra pesada colega blogueira!!
Eu também duvido que se trate de ignorância da situação europeia. Por favor, né?
O que a pessoa ganha com isso, aí é que não sei.
Bete espero que vc saia dessa fase de estágios, quem sabe montando seu negócio ou voltando pra UK, bom, espero que não se estenda por mais um ano.
Sorte, viu?
E pensando bem, sorte também por ter "perdido" a "amiga".
às vezes pessoas em situação previlegiada esquecem que são também vulneráveis.
Bj

Milena F. disse...

Beth, entendo como vc se sente. A pessoa ignorar a crise, então realmente ela vive em uma bolha! Felizmente a crise ainda não bateu aqui em casa, pois meu marido e eu trabalhamos, mas vemos a realidade dos nossos amigos, familiares (dele) e vizinhos...
Mas é complicado mesmo lidar com brasileiros que vivem aqui no exterior perto da gente, pois muitas vezes, como diz uma amiga, séao pessoas com quem não teríamos nenhuma finidade no Brasil, mas aqui acabamos tendo contato pelo simples fato de sermos "brasileiros". Eu participo de uma comunidade de Brasileiros na França (antes era no orkut e agora no Face) e estou sempre me estressando... Eu dei a cara a tapa ao dizer que mesmo o Brasil contando com cidades com muitas opções de atividades culturais como Sampa e Rio, para mim não tinha comparaçéao com tudo o que acontece nesse domínio aqui em Paris. Para quê! A pessoa me soltou os cachorros, no início achei que ela conhecia sobre o mundo da arte e fiquei contente de ter com quem dialogar... Até que ela vem falar que Picasso era impressionista. Falei que ela deveria ter se enganado, ela me disse que prefere acreditar nos curadores do museu de SP que disseram isso (eu acho que ela entendeu mal, não pode ser possível) a acreditar em uma pessoa como eu. Ainda pediu que eu parasse de harcelá-la, pediu "socorro à moderação". para mim era uma discussão normal. Mas depois percebi que a pessoa não entendia nada do assunto, pois para acreditar sem discutir e repetir aos 4 cantos que Picasso era impressionista, essa pessoa néao tem nenhum raciocínio crítico. E ela ainda escreveu que SP era capital do Brasil... Será que estou tão desatualizada assim?

Paty Michele disse...

Olá Beth,
desabafar é importante, mas não dê tanta importância pra gente insensível.
Tenho amigos que viveram anos na Espanha e voltaram pra Bahia pq a situação ficou insustentável. Por aqui vivemos mtos anos de crise, mas agora a economia se estabilizou e a situação está bem melhor.

Espero que dê tudo certo pra vc.
Um abraço.

Lilly disse...

Oi Beth!

eu não sei se é falta de solidariedade ou de visão. A maior parte das pessoas não consegue se colocar no lugar dos outros e entender o que elas estão passando. É uma espécie de ignorância, vamos dizer. Se você fosse espírita, eu ia dizer que ela provavelmente vai viver mais uma vida, se não for nessa vida a dificuldade que ela vai encontrar para mostrar esse tipo de situação. Ela ainda não evoluiu, ela simplesmente não enxerga a situação, na minha opinião. E de sua parte, acho que faz bem não esperar que ela enxergue. Eu venho aprendendo isso com o tempo, a me desapegar das pessoas nesse sentido, no de esperar atitudes ou ética, ou opiniões corretas segundo o meu ponto de vista. Quando eu olho para uma pessoa assim, olho dessa forma. Enfim... Espero que ajude um pouco.

Pat Ferret disse...

Pela minha experiência, infelizmente, o "Venha a nós e o Vosso Reino que se dane" virou regra por aqui, também. Não acho que seja oriundo somente da crise, mas do entorpecimento moral que acomete a Humanidade atualmente. A gente, que é mais sensível e percebe o quê está acontecendo, acaba sofrendo e pagando o pato pelo egoísmo alheio, fazer o quê? Não fique triste: você continuará sendo uma pessoa decente, não importa o que essa gente diga. E essa moça continuará sendo uma medíocre mental que não merece um minuto da sua atenção, quanto mais a sua amizade. Algum dia a roda virará e ELA poderá acabar precisando de você, nem que seja como um ombro pra chorar as mágoas – aí, o peso das consequências acabará caindo em cima dela. Se bem que não fará muito estrago, porque certamente quicará em todo esse vento dentro da cabeça oca que ela tem....

Pat Ferret disse...

Milena F: Picasso foi contemporâneo de pintores impressionistas e pós-impressionistas como Henri Matisse, Claude Monet e Cezanne. Sua obra teve várias fases e algumas de suas pinturas, no começo da carreira, tiveram mesmo grande influência impressionista. Mas, Picasso era um grande experimentador, e também tentou o pontilismo, o abstracionismo, o realismo... e, por fim, tornou-se um dos criadores do cubismo, pelo qual ele é mais conhecido. Talvez o curador que falou com a moça tenha apontado a presença impressionista em algumas pinturas em particular, e ela confundiu tudo?... Rs ;-)

Anônimo disse...

Beth, acho inconcebível, mas possível, infelizmente, que ainda tenham pessoas tão alienadas em relação a realidade...a crise existe, fato.Portanto nem gaste seu português com pessoas deste tipo, porém sinto-me na obrigação de fazer uma observação.Ser alienada ou não ser solidária não esta relacionado a sua nacionalidade.Eu sou brasileira, você é Brasileira, a Milena é brasileira...mas nem por isso ignoramos a crise ou deixamos de ser solidárias.Enfim, confesso que me incomoda, sobremaneira, a forma reducionista com a qual vejo este aspecto ser tratado nos blogs de expatriadas.Não é o fato da garota ser brasileira que a torna menos solidária, mas sim sua ignorância...ou seja, ela pode ser holandesa, francesa, mexicana que ainda sim seria ignorante.Não nego várias aspectos da nossa cultura que me incomodam, porém sempre procuro não julgar a pessoa pela nacionalidade e sim pelo caráter, que é inerente a nacionalidade.Talvez tenha te interpretado mal, se o fiz peço desculpas...mas a pergunta "brasileiro solidários?" tendo como inspiração a atitude de uma única me pessoa, não me pareceu adequada,afinal, na minha opinião, somos sim um povo solidário em geral, mas isto é minha opinião... enfim, torço muito por você...sempre leio o seu blog e sei que vai superar a crise!! beijos e boa sorte! gabi

Maria Valéria disse...

independente do fato de ela ser brasileira ou nao, e que ha uma falta de empatia da parte dela.e isso nao sera so com vc, mas com qualquer outra pessoa do circulo de relações dela, pode apostar.quem e grosso com um, chato com um, machista com um, infiel com um, será com todos,Nao acredito que existe alguem com o poder de mudar nossa personalidade.

Deixa essa ' amiga' de lado, que tem coisa bem melhor te esperando.

Bjs

Beth Blue disse...

Oi, Gabi

Sim, você está certa. Gente solidária (ou não) existe em qualquer lugar, de qualquer nacionalidade. Assim como gente boa e gente ruim, né?

Eu generalizei por causa da minha experiência com brasileiros na Holanda - mas eu mesma também fiz algumas amizades sinceras por aqui (elas existem!), brasileiros que moram aqui e sabem que nem tudo é fácil para todos...e que sabem valorizar a sua luta (em vez de minimizar seu sofrimento).

Enfim, obrigada por visitar o blog e torcer por mim!

Beth Blue disse...

Rosa e Pat,

Obrigada por continuarem visitando o blog! Eu tenho tentado variar os temas e escrito mais sobre livros e filmes (que todo mundo curte)...mas um desabafo vez ou outra pode, né?

Se não a vida fica pesada demais...

Beth Blue disse...

Milena, Lily, Pat e Val,

Obrigada por serem estarem "por perto", mesmo estando longe! Amizade pra mim é isso: se preocupar com o outro, dar apoio quando a pessoa se sente enfraquecida e prestes a desistir.

Acima de tudo: amizade não julga, amizade ouve e tenta apaziguar a dor do outro da melhor forma possível...o que não necessariamente significa colocar a mão na cabeça mas ajudar a pessoa a ver a crise sob uma nova perspectiva.

beijos

Eliana disse...

Oi Beth, não sei se já te desejei Feliz 2013... fecho com os comentários de uma forma geral. Aqui no Brasil, mesmo o povo ainda se endividando horrores, não há sequer idéia de crise...parece que as pessoas vivem como se não houvesse o amanhã. rs...É engraçado porque eu brinquei dizendo ao marido estes dias, me baseando no cenário brasileiro: " Fofis, será que a crise está nas nossas cabeças?!?!?!Será ela psicológica?" rs Fato é que tem sim muita gente achando que os menos afortunados é que são fracassados e só. Bom, como vc disse, tomara que nem todo mundo seja pego pela crise porque aí não restará mesmo mais nenhuma esperança. E aqueles que por ventura estejam trabalhando e levando a vida, que agradeçam todos os dias e que Deus os proteja. Bjs

Anônimo disse...

Querida Beth,

Achei ótimo você ter exteriorizado esse pensamento. Deveria fazer mais, pois vai te ajudar a desabafar toda e qualquer mágoa.
Obviamente você não encontrou as pessoas 'certas', na Holanda; pelo menos, até agora. As vezes é preciso passar por uma (muitas) e boas, como essa, pra você se desapegar de quem te faz mal. Por que, com toda certeza, essa pessoa te fez mal. alem da falta de sensibilidade dela, provou estar alienada do mundo real - onde as pessoas sofrem com o desemprego e a insegurança financeira crescente.
Ela deve viver numa bolha de sabão que certamente um dia irá estourar.
No entanto, o comentario dela soa mais `a desprezo e maldade do que `a falta de solidariedade. Deve ser um problema DELA, e das outras pessoas que encontrou anteriormente.
Quando uma porta se fecha, uma outra se abre. Alguém sai da nossa vida e outro alguém entra. Pelo visto, voce nada perdeu com esta saída.
Irritação e' um estado e, como tal, passa. Quando passar, pense nela como alguém que simplesmente nao sabe; nao sabe que existe um universo paralelo ao dela, onde pessoas com problemas reais, fazem de tudo para manter a cabeça acima da agua. Que querer, as vezes, nao e' poder. Poder envolve muitos outros fatores que, unidos, permitem-nos alcançar o que almejamos.
Nao desista de outras pessoas por causa disso.
Olha so' quanta gente esta' aqui, pra voce?...A gente te entende. A gente gosta de voce e somos, todos acho, solidarios contigo.

Beijos, querida.
xx
Fatima de Kwant

Milena F. disse...

Par, foi mais ou menos isso que eu tentei explicar, mas a pessoa disse que não estava interessada e que era harcelamento da minha parte! rs

Pri S. disse...

Falta de solidariedade, de empatia, de sensibilidade e uma boa dose de alienação - tudo junto e misturado! rsrsrsrs

E desconfio que a pessoa nem se dá conta disso. Geralmente quem tem esse tipo de postura não olha muito além do próprio umbigo. Tem tanto medo de encarar que todos estamos à mercê do caos que prefere enterrar a cabeça num buraco e ser dura e crítica com os outros, como se isso pudesse livrá-la da situação que, no fundo, deve temer.

Posso falar? Quero distância de coisas assim.... rs Ando um pouco cansada do mundo cor de rosa ilusório que as pessoas insistem em pintar para si mesmas, enquanto tingem de preto tudo o que concerne à vida alheia...

Beth Blue disse...

Querida Eliana, como você bem disse: Fato é que tem sim muita gente achando que os menos afortunados é que são fracassados e só. Hoje em dia as pessoas parecem dividirem o mundo em winners e loser, tudo muito preto e branco pro meu gosto...não sei dizer se é falta de visão ou visão curta mesmo.

Até um dia que algo fora do planejado acontece nas vidas dessas pessoas e elas passam a entender que nem tudo depende delas. Enfim, vivendo e aprendendo!

Beth Blue disse...

Querida Pri...nós pensamos e vivenciamos as coisas de forma muito parecida, hein? Tem dias que acho que você é a minha "doppelganger" no outro lado do oceano...tem dias que tenho até certeza!

Obrigada pelas palavras sábias e pelo apoio de sempre. Estamos juntas nesta batalha, cara amiga.

Beth Blue disse...

Querida Fátima...eu digo e repito: o mundo seria um lugar melhor para se viver se existissem mais pessoas como você!

Uma pessoa privilegiada que sabe ver o mundo além de sua própria realidade. EMPATIA é o que não falta em você. Coisa cada dia mais rara neste mundo individualista em que vivemos...sou sua fã, sabia?

feijaocomcurrywurst disse...

Falando no popular: Gente sem noção existe aos montes. A crise está aí pra quem quiser ver. Quem não foi afetado deve se sentir muito grato e se esforçar pra que uma má onda o/a atinja.

Realmente, o que falta nestas pessoas é empatia, e infelizmente isso é uma questão humana atualmente, ultrapassando as fronteiras da nacionalidade. É muito mais fácil colocar o outro como o errado da história e tirar o corpo fora.

O melhor que você faz é, além de desabafar :), se livrar deste tipo de companhia. Só te traz energia negativa.

Beijos e força!
Marina.

Tecnologia do Blogger.

Brasileiros solidários?



Queridos amigos e leitores, 
Alguns devem ter percebido que tenho evitado posts de teor pessoal no blog para me poupar, mas hoje não deu pra segurar a onda. Aí pensei: sabem de uma coisa? o blog é meu e aqui eu escrevo o que eu quero. Então sentem que lá vem estória!

Pois hoje vivi uma situação extremamente desagradável com a amiga de uma (ex)amiga no Facebook. Uma situação que me faz perguntar onde anda a solidariedade do brasileiro? No meu caso específico, onde anda a solidariedade dos brasileiros que vivem na Holanda (não sei se é assim nos outros países, mas espero que não). Porque o que eu tenho vivenciado nos meus 18 anos de Holanda é muito triste. Ou isso ou eu realmente "esbarrei" nas pessoas erradas.

A discussão começou com fulana dizendo que não existe crise (leia-se crise do Euro), que a crise está na cabeças das pessoas. Como eu assisto noticiários, leio jornais, leio resenhas de economistas etc etc etc simplesmente não entendi a colocação da pessoa. Aí me lembrei que esta fulana sempre teve emprego aqui, ela já veio do Brasil com emprego! Então obviamente a crise (ainda) não bateu na porta dela - e Deus a proteja e seu marido para que nunca fiquem desempregados e percam a hipoteca da casa própria, como tem acontecido muito ultimamente. Deus a livre de se divorciar e ter de pagar as contas sozinha...Ela e o marido trabalham (vejam bem) em um dos poucos setores que tem sobrevivido a tal crise do euro: Informática. Claro que para pessoas assim, a crise não existe, né? E pelo jeito nem solidariedade...

O interessante é que meu namorado não apenas tem emprego, como trabalha no mesmo setor e provavelmente ganha tanto ou mais do que ela (o que não vem ao caso) e nunca passou pela cabeça dele que a crise é algo "imaginário" que povoa a cabeça de gente louca. Ele é inteligente o bastante, e sensato o bastante, pra saber que a crise existe sim, mesmo não tendo sido afetado por ela! Ele também tem acompanhado a minha vida há 5 anos (e isso obviamente fez ele entender coisas que algumas pessoas não entendem porque simplesmente não fazem parte da realidade delas). Verdade que ele também viu amigos perderem emprego, amigos sofrerem de burnout com medo de perderem seus empregos e por ai vai. Ou seja, ele tem um bom emprego, ganha bem mas sabe que a crise não está na cabeça das pessoas. E é solidário com quem não teve a mesma sorte.

Quanto a mim, estou desempregada oficialmente há  4 anos e já terminei de completar meu terceiro estágio (isso mesmo, estágio) e portanto, pra mim a crise é mais do que real. Aí vem uma fulana com quem não tenho contato há mais de 5 anos e não tem a menor idéia da minha vida e como se não bastasse ainda me diz que mesmo na época em que a Holanda estava "bombando" eu já estava desempregada. Em outras palavras, além da crise não existir, a culpa de estar desempregada é apenas minha! E depois eu é que sou louca? Eu e milhões de desempregados na Europa inteira - aqui na Holanda ainda são 7% da população, na Espanha já passa de 25% (1 em cada 4 espanhóis está desempregado). Eu acho inconcebível uma pessoa estar tão alienada da realidade de milhões porque tem emprego e consegue pagar as contas em dia e viajar todo ano. Não sei se isso é alienação ou falta de solidariedade - ou ambos.

Como pode uma pessoa que nunca ficou desempregada neste país, que nunca passou por um divórcio com filho pequeno pra criar (sem família por perto pra dar uma força), dizer que crise não existe? Em que mundo vivemos em que as pessoas estão cada vez mais individualistas, do tipo "Eu por mim e Deus por todos"?  Nessas horas me bate um cansaço e uma tristeza profunda...e eu constato (novamente) que os verdadeiros amigos são aqueles que estão ao seu lado quando você não tem dinheiro, por  ex. Porque quando a pessoa tem emprego, dinheiro, carro, casa com piscina etc etc etc (deu pra sacar né?) amigo é o que não falta. Todo mundo gosta de jantares e festas. Basta a pessoa perder o emprego, entrar em crise ou pior ainda, em depressão (Deus a proteja de um dia ter uma "coisa" dessas) que todo mundo some. Eu sei que isso não acontece só com os brasileiros morando no exterior mas no Brasil e em toda parte do mundo.

Moral da estória: falta solidariedade no ser humano. E digo mais, se as pessoas tivessem alguma idéia da vida de quem estão falando, se pudessem por (apenas) uma semana trocar de lugar e ver como a vida do outro realmente é...quem sabe?

Confesso que perdi as esperanças...felizmente ainda tenho amizades que passaram pela "prova de fogo" e estas irei valorizar a vida inteira. Obrigada por serem meus amigos!

Pronto, falei.



19 comentários:

Rosa de Paiva Lopes disse...

Barra pesada colega blogueira!!
Eu também duvido que se trate de ignorância da situação europeia. Por favor, né?
O que a pessoa ganha com isso, aí é que não sei.
Bete espero que vc saia dessa fase de estágios, quem sabe montando seu negócio ou voltando pra UK, bom, espero que não se estenda por mais um ano.
Sorte, viu?
E pensando bem, sorte também por ter "perdido" a "amiga".
às vezes pessoas em situação previlegiada esquecem que são também vulneráveis.
Bj

Milena F. disse...

Beth, entendo como vc se sente. A pessoa ignorar a crise, então realmente ela vive em uma bolha! Felizmente a crise ainda não bateu aqui em casa, pois meu marido e eu trabalhamos, mas vemos a realidade dos nossos amigos, familiares (dele) e vizinhos...
Mas é complicado mesmo lidar com brasileiros que vivem aqui no exterior perto da gente, pois muitas vezes, como diz uma amiga, séao pessoas com quem não teríamos nenhuma finidade no Brasil, mas aqui acabamos tendo contato pelo simples fato de sermos "brasileiros". Eu participo de uma comunidade de Brasileiros na França (antes era no orkut e agora no Face) e estou sempre me estressando... Eu dei a cara a tapa ao dizer que mesmo o Brasil contando com cidades com muitas opções de atividades culturais como Sampa e Rio, para mim não tinha comparaçéao com tudo o que acontece nesse domínio aqui em Paris. Para quê! A pessoa me soltou os cachorros, no início achei que ela conhecia sobre o mundo da arte e fiquei contente de ter com quem dialogar... Até que ela vem falar que Picasso era impressionista. Falei que ela deveria ter se enganado, ela me disse que prefere acreditar nos curadores do museu de SP que disseram isso (eu acho que ela entendeu mal, não pode ser possível) a acreditar em uma pessoa como eu. Ainda pediu que eu parasse de harcelá-la, pediu "socorro à moderação". para mim era uma discussão normal. Mas depois percebi que a pessoa não entendia nada do assunto, pois para acreditar sem discutir e repetir aos 4 cantos que Picasso era impressionista, essa pessoa néao tem nenhum raciocínio crítico. E ela ainda escreveu que SP era capital do Brasil... Será que estou tão desatualizada assim?

Paty Michele disse...

Olá Beth,
desabafar é importante, mas não dê tanta importância pra gente insensível.
Tenho amigos que viveram anos na Espanha e voltaram pra Bahia pq a situação ficou insustentável. Por aqui vivemos mtos anos de crise, mas agora a economia se estabilizou e a situação está bem melhor.

Espero que dê tudo certo pra vc.
Um abraço.

Lilly disse...

Oi Beth!

eu não sei se é falta de solidariedade ou de visão. A maior parte das pessoas não consegue se colocar no lugar dos outros e entender o que elas estão passando. É uma espécie de ignorância, vamos dizer. Se você fosse espírita, eu ia dizer que ela provavelmente vai viver mais uma vida, se não for nessa vida a dificuldade que ela vai encontrar para mostrar esse tipo de situação. Ela ainda não evoluiu, ela simplesmente não enxerga a situação, na minha opinião. E de sua parte, acho que faz bem não esperar que ela enxergue. Eu venho aprendendo isso com o tempo, a me desapegar das pessoas nesse sentido, no de esperar atitudes ou ética, ou opiniões corretas segundo o meu ponto de vista. Quando eu olho para uma pessoa assim, olho dessa forma. Enfim... Espero que ajude um pouco.

Pat Ferret disse...

Pela minha experiência, infelizmente, o "Venha a nós e o Vosso Reino que se dane" virou regra por aqui, também. Não acho que seja oriundo somente da crise, mas do entorpecimento moral que acomete a Humanidade atualmente. A gente, que é mais sensível e percebe o quê está acontecendo, acaba sofrendo e pagando o pato pelo egoísmo alheio, fazer o quê? Não fique triste: você continuará sendo uma pessoa decente, não importa o que essa gente diga. E essa moça continuará sendo uma medíocre mental que não merece um minuto da sua atenção, quanto mais a sua amizade. Algum dia a roda virará e ELA poderá acabar precisando de você, nem que seja como um ombro pra chorar as mágoas – aí, o peso das consequências acabará caindo em cima dela. Se bem que não fará muito estrago, porque certamente quicará em todo esse vento dentro da cabeça oca que ela tem....

Pat Ferret disse...

Milena F: Picasso foi contemporâneo de pintores impressionistas e pós-impressionistas como Henri Matisse, Claude Monet e Cezanne. Sua obra teve várias fases e algumas de suas pinturas, no começo da carreira, tiveram mesmo grande influência impressionista. Mas, Picasso era um grande experimentador, e também tentou o pontilismo, o abstracionismo, o realismo... e, por fim, tornou-se um dos criadores do cubismo, pelo qual ele é mais conhecido. Talvez o curador que falou com a moça tenha apontado a presença impressionista em algumas pinturas em particular, e ela confundiu tudo?... Rs ;-)

Anônimo disse...

Beth, acho inconcebível, mas possível, infelizmente, que ainda tenham pessoas tão alienadas em relação a realidade...a crise existe, fato.Portanto nem gaste seu português com pessoas deste tipo, porém sinto-me na obrigação de fazer uma observação.Ser alienada ou não ser solidária não esta relacionado a sua nacionalidade.Eu sou brasileira, você é Brasileira, a Milena é brasileira...mas nem por isso ignoramos a crise ou deixamos de ser solidárias.Enfim, confesso que me incomoda, sobremaneira, a forma reducionista com a qual vejo este aspecto ser tratado nos blogs de expatriadas.Não é o fato da garota ser brasileira que a torna menos solidária, mas sim sua ignorância...ou seja, ela pode ser holandesa, francesa, mexicana que ainda sim seria ignorante.Não nego várias aspectos da nossa cultura que me incomodam, porém sempre procuro não julgar a pessoa pela nacionalidade e sim pelo caráter, que é inerente a nacionalidade.Talvez tenha te interpretado mal, se o fiz peço desculpas...mas a pergunta "brasileiro solidários?" tendo como inspiração a atitude de uma única me pessoa, não me pareceu adequada,afinal, na minha opinião, somos sim um povo solidário em geral, mas isto é minha opinião... enfim, torço muito por você...sempre leio o seu blog e sei que vai superar a crise!! beijos e boa sorte! gabi

Maria Valéria disse...

independente do fato de ela ser brasileira ou nao, e que ha uma falta de empatia da parte dela.e isso nao sera so com vc, mas com qualquer outra pessoa do circulo de relações dela, pode apostar.quem e grosso com um, chato com um, machista com um, infiel com um, será com todos,Nao acredito que existe alguem com o poder de mudar nossa personalidade.

Deixa essa ' amiga' de lado, que tem coisa bem melhor te esperando.

Bjs

Beth Blue disse...

Oi, Gabi

Sim, você está certa. Gente solidária (ou não) existe em qualquer lugar, de qualquer nacionalidade. Assim como gente boa e gente ruim, né?

Eu generalizei por causa da minha experiência com brasileiros na Holanda - mas eu mesma também fiz algumas amizades sinceras por aqui (elas existem!), brasileiros que moram aqui e sabem que nem tudo é fácil para todos...e que sabem valorizar a sua luta (em vez de minimizar seu sofrimento).

Enfim, obrigada por visitar o blog e torcer por mim!

Beth Blue disse...

Rosa e Pat,

Obrigada por continuarem visitando o blog! Eu tenho tentado variar os temas e escrito mais sobre livros e filmes (que todo mundo curte)...mas um desabafo vez ou outra pode, né?

Se não a vida fica pesada demais...

Beth Blue disse...

Milena, Lily, Pat e Val,

Obrigada por serem estarem "por perto", mesmo estando longe! Amizade pra mim é isso: se preocupar com o outro, dar apoio quando a pessoa se sente enfraquecida e prestes a desistir.

Acima de tudo: amizade não julga, amizade ouve e tenta apaziguar a dor do outro da melhor forma possível...o que não necessariamente significa colocar a mão na cabeça mas ajudar a pessoa a ver a crise sob uma nova perspectiva.

beijos

Eliana disse...

Oi Beth, não sei se já te desejei Feliz 2013... fecho com os comentários de uma forma geral. Aqui no Brasil, mesmo o povo ainda se endividando horrores, não há sequer idéia de crise...parece que as pessoas vivem como se não houvesse o amanhã. rs...É engraçado porque eu brinquei dizendo ao marido estes dias, me baseando no cenário brasileiro: " Fofis, será que a crise está nas nossas cabeças?!?!?!Será ela psicológica?" rs Fato é que tem sim muita gente achando que os menos afortunados é que são fracassados e só. Bom, como vc disse, tomara que nem todo mundo seja pego pela crise porque aí não restará mesmo mais nenhuma esperança. E aqueles que por ventura estejam trabalhando e levando a vida, que agradeçam todos os dias e que Deus os proteja. Bjs

Anônimo disse...

Querida Beth,

Achei ótimo você ter exteriorizado esse pensamento. Deveria fazer mais, pois vai te ajudar a desabafar toda e qualquer mágoa.
Obviamente você não encontrou as pessoas 'certas', na Holanda; pelo menos, até agora. As vezes é preciso passar por uma (muitas) e boas, como essa, pra você se desapegar de quem te faz mal. Por que, com toda certeza, essa pessoa te fez mal. alem da falta de sensibilidade dela, provou estar alienada do mundo real - onde as pessoas sofrem com o desemprego e a insegurança financeira crescente.
Ela deve viver numa bolha de sabão que certamente um dia irá estourar.
No entanto, o comentario dela soa mais `a desprezo e maldade do que `a falta de solidariedade. Deve ser um problema DELA, e das outras pessoas que encontrou anteriormente.
Quando uma porta se fecha, uma outra se abre. Alguém sai da nossa vida e outro alguém entra. Pelo visto, voce nada perdeu com esta saída.
Irritação e' um estado e, como tal, passa. Quando passar, pense nela como alguém que simplesmente nao sabe; nao sabe que existe um universo paralelo ao dela, onde pessoas com problemas reais, fazem de tudo para manter a cabeça acima da agua. Que querer, as vezes, nao e' poder. Poder envolve muitos outros fatores que, unidos, permitem-nos alcançar o que almejamos.
Nao desista de outras pessoas por causa disso.
Olha so' quanta gente esta' aqui, pra voce?...A gente te entende. A gente gosta de voce e somos, todos acho, solidarios contigo.

Beijos, querida.
xx
Fatima de Kwant

Milena F. disse...

Par, foi mais ou menos isso que eu tentei explicar, mas a pessoa disse que não estava interessada e que era harcelamento da minha parte! rs

Pri S. disse...

Falta de solidariedade, de empatia, de sensibilidade e uma boa dose de alienação - tudo junto e misturado! rsrsrsrs

E desconfio que a pessoa nem se dá conta disso. Geralmente quem tem esse tipo de postura não olha muito além do próprio umbigo. Tem tanto medo de encarar que todos estamos à mercê do caos que prefere enterrar a cabeça num buraco e ser dura e crítica com os outros, como se isso pudesse livrá-la da situação que, no fundo, deve temer.

Posso falar? Quero distância de coisas assim.... rs Ando um pouco cansada do mundo cor de rosa ilusório que as pessoas insistem em pintar para si mesmas, enquanto tingem de preto tudo o que concerne à vida alheia...

Beth Blue disse...

Querida Eliana, como você bem disse: Fato é que tem sim muita gente achando que os menos afortunados é que são fracassados e só. Hoje em dia as pessoas parecem dividirem o mundo em winners e loser, tudo muito preto e branco pro meu gosto...não sei dizer se é falta de visão ou visão curta mesmo.

Até um dia que algo fora do planejado acontece nas vidas dessas pessoas e elas passam a entender que nem tudo depende delas. Enfim, vivendo e aprendendo!

Beth Blue disse...

Querida Pri...nós pensamos e vivenciamos as coisas de forma muito parecida, hein? Tem dias que acho que você é a minha "doppelganger" no outro lado do oceano...tem dias que tenho até certeza!

Obrigada pelas palavras sábias e pelo apoio de sempre. Estamos juntas nesta batalha, cara amiga.

Beth Blue disse...

Querida Fátima...eu digo e repito: o mundo seria um lugar melhor para se viver se existissem mais pessoas como você!

Uma pessoa privilegiada que sabe ver o mundo além de sua própria realidade. EMPATIA é o que não falta em você. Coisa cada dia mais rara neste mundo individualista em que vivemos...sou sua fã, sabia?

feijaocomcurrywurst disse...

Falando no popular: Gente sem noção existe aos montes. A crise está aí pra quem quiser ver. Quem não foi afetado deve se sentir muito grato e se esforçar pra que uma má onda o/a atinja.

Realmente, o que falta nestas pessoas é empatia, e infelizmente isso é uma questão humana atualmente, ultrapassando as fronteiras da nacionalidade. É muito mais fácil colocar o outro como o errado da história e tirar o corpo fora.

O melhor que você faz é, além de desabafar :), se livrar deste tipo de companhia. Só te traz energia negativa.

Beijos e força!
Marina.