quarta-feira, junho 06, 2007

O Segredo, agora em nova embalagem

Desculpem a ironia mas nada como uma equipe de marketing forte! Ontem recebi um texto de uma amiga sobre o que andam alardeando ser a maior novidade dos últimos tempos. Decidi pesquisar na internet e encontrei inúmeros sites sobre o novo fenômeno. Leia-se: a (re)descoberta de um segredo já conhecido por muitos há tempos...Parece paradoxal? E é mesmo! Direto da Austrália para quem quiser ouvir: The Secret. Uma extraordinária tirada de marketing, com direito a filme, livros e toda a parafernália a qual estamos acostumados (e que a nossa sociedade consume vorazmente, ao menos até surgir a próxima novidade) . O filme segue a trilha de documentários como What the Bleep do we Know (que aliás recomendo, como eu mesma já comentei aqui antes).

Mas como eu disse e repito: nada como um bom marketing. O que eu quero dizer é que praticamente T-U-D-O que foi escrito no livro e incluído no documentário já havia sido escrito ou dito em algum lugar antes. Nada de novo para quem está acostumado a ler títulos de auto-ajuda e física quântica - esta eu nem colocaria no mesmo saco, porque é, digamos assim, a irmã sábia da auto-ajuda (e tema do documentário What the Bleep do we Know).

Pra quem ficou curioso, a idéia básica sendo alardeada aos quatro ventos é a lei da atração, uma lei conhecida há séculos e já antes comentada por vários sábios e filósofos. Ou ainda, na linguagem de auto-ajuda: o poder do pensamento positivo. Trocando em miúdos: somos responsáveis por tudo aquilo que acontece em nossas vidas. Nós mesmos atraímos tudo de bom (e de ruim) dependendo da frequência (vibração) de nossos pensamentos. Ou seja, se pensamos coisas boas, atraimos coisas boas. Se pensamos coisas ruins, adivinhem só...Por acaso (ou sincronicidade) estou lendo nas últimas semanas um livro sobre o mesmo assunto: Excuse Me, Your Life Is Waiting: The Power of Positive Feelings, da autora Lynn Grabhorn. Estou lendo a edição holandesa mas como não sei se o livro foi traduzido no Brasil, coloquei o título original em inglês aqui.

Voltando ao pensamento positivo, eu até concordo (e não teria como não concordar) mas por outro lado, tenho uma mente pra lá de questionadora...e quando penso em momentos da história como o Holocausto e os campos de refugiados em Darfur nos dias de hoje, já não tenho mais certeza de nada. A gente pode até comprar a idéia básica, só não pode pensar muito. Porque embora eu acredite SIM que temos a capacidade de atrair coisas boas para nossas vidas (e eu mesma já comprovei e tenho comprovado isso ultimamente)...como explicar tanta desgraça, miséria, tsunamis e guerras pelo mundo afora? será que essas pessoas atraíram para si mesmas toda esta má sorte?!!

Não que eu ache tudo isso uma besteira, mas fico enfurecida quando vejo algumas pessoas espertas tirarem proveito de um conhecimento mais do que antigo pra faturar uma grana extra (neste caso, muita grana)...Em suma, um velho segredo embrulhado em uma nova embalagem.

3 comentários:

Antonio Fontelles disse...

Oi Beth,
Eu acredito em energia positiva e em energia negativa, e que de certa forma nós somos capazes de atrair uma ou outra para o nosso lado, desta forma podemos melhorar ou piorar a maneira como lidamos com o mundo.
Mas assim como você, creio que isto não explica tudo. Nós não temos o controle sobre a natureza e sobre o mundo, estamos de qualquer forma à mercê do destino, da sorte, do acaso. Não adianta procurar fórmulas perfeitas pra gente "dar certo" na vida; no final o destino sempre bate à nossa porta, e aí a única coisa que a gente consegue fazer é aprender a lidar com ele da melhor maneira possível.
A.

Bebete Indarte disse...

Ontem eu mandei o texto da Louise Hay, e acabei recebendo o do "Segredo"...tem até comunidade no orkut, apareceu sobre o filme na Oprah - não vi, e teve gente que leu o livro e achou sensacional.

Pra mim não foi novidade, porque no budismo e no universo existe uma lei da causa e efeito, essa da atraçao é mais q nem vc falou sobre a positividade do pensamento, e um livro/filme etc...pode ser algo bom, mas você lê, e depois de um determinado momento esquece, eu acredito, é modinha, mas depois passa.

Já a evolução pessoal da Louise Hay, uma filosofia como o budismo, são mais eficazes porque não são somente livros e filmes, mas existe uma lição de casa, uma continuação. Tsunami, etc...são forças da natureza, e o homem possui estados baixos e elevados de alma digamos assim. Mas são os outros, o importante somos nós e nosso desenvolvimento espiritual, se a gente vai bem, os outros também, e o meio também.
Altruísmo e compaixão caminham juntos.Depois do Tsunami, vem o dinheiro pra reconstrução, o trabalho voluntário, a compaixão...

A ganância continua a existir, marketing ou compaixão sobre o segredo.
Tanto faz, o importante é uma vida diária consciente de que coisas ruins e boas sempre acontecerão na nossa vida nas mais diferentes dosagens.

Quem se encontra num processo de amadurecimento na vida sabe, só que volta e meia aparecem outros buracos pra cair...

Eu não sei, você sabe? disse...

vc resumiu de forma magnífica:
o segredo em nova embalagem...ótimo!
beijos bethinha!

Tecnologia do Blogger.

O Segredo, agora em nova embalagem

Desculpem a ironia mas nada como uma equipe de marketing forte! Ontem recebi um texto de uma amiga sobre o que andam alardeando ser a maior novidade dos últimos tempos. Decidi pesquisar na internet e encontrei inúmeros sites sobre o novo fenômeno. Leia-se: a (re)descoberta de um segredo já conhecido por muitos há tempos...Parece paradoxal? E é mesmo! Direto da Austrália para quem quiser ouvir: The Secret. Uma extraordinária tirada de marketing, com direito a filme, livros e toda a parafernália a qual estamos acostumados (e que a nossa sociedade consume vorazmente, ao menos até surgir a próxima novidade) . O filme segue a trilha de documentários como What the Bleep do we Know (que aliás recomendo, como eu mesma já comentei aqui antes).

Mas como eu disse e repito: nada como um bom marketing. O que eu quero dizer é que praticamente T-U-D-O que foi escrito no livro e incluído no documentário já havia sido escrito ou dito em algum lugar antes. Nada de novo para quem está acostumado a ler títulos de auto-ajuda e física quântica - esta eu nem colocaria no mesmo saco, porque é, digamos assim, a irmã sábia da auto-ajuda (e tema do documentário What the Bleep do we Know).

Pra quem ficou curioso, a idéia básica sendo alardeada aos quatro ventos é a lei da atração, uma lei conhecida há séculos e já antes comentada por vários sábios e filósofos. Ou ainda, na linguagem de auto-ajuda: o poder do pensamento positivo. Trocando em miúdos: somos responsáveis por tudo aquilo que acontece em nossas vidas. Nós mesmos atraímos tudo de bom (e de ruim) dependendo da frequência (vibração) de nossos pensamentos. Ou seja, se pensamos coisas boas, atraimos coisas boas. Se pensamos coisas ruins, adivinhem só...Por acaso (ou sincronicidade) estou lendo nas últimas semanas um livro sobre o mesmo assunto: Excuse Me, Your Life Is Waiting: The Power of Positive Feelings, da autora Lynn Grabhorn. Estou lendo a edição holandesa mas como não sei se o livro foi traduzido no Brasil, coloquei o título original em inglês aqui.

Voltando ao pensamento positivo, eu até concordo (e não teria como não concordar) mas por outro lado, tenho uma mente pra lá de questionadora...e quando penso em momentos da história como o Holocausto e os campos de refugiados em Darfur nos dias de hoje, já não tenho mais certeza de nada. A gente pode até comprar a idéia básica, só não pode pensar muito. Porque embora eu acredite SIM que temos a capacidade de atrair coisas boas para nossas vidas (e eu mesma já comprovei e tenho comprovado isso ultimamente)...como explicar tanta desgraça, miséria, tsunamis e guerras pelo mundo afora? será que essas pessoas atraíram para si mesmas toda esta má sorte?!!

Não que eu ache tudo isso uma besteira, mas fico enfurecida quando vejo algumas pessoas espertas tirarem proveito de um conhecimento mais do que antigo pra faturar uma grana extra (neste caso, muita grana)...Em suma, um velho segredo embrulhado em uma nova embalagem.

3 comentários:

Antonio Fontelles disse...

Oi Beth,
Eu acredito em energia positiva e em energia negativa, e que de certa forma nós somos capazes de atrair uma ou outra para o nosso lado, desta forma podemos melhorar ou piorar a maneira como lidamos com o mundo.
Mas assim como você, creio que isto não explica tudo. Nós não temos o controle sobre a natureza e sobre o mundo, estamos de qualquer forma à mercê do destino, da sorte, do acaso. Não adianta procurar fórmulas perfeitas pra gente "dar certo" na vida; no final o destino sempre bate à nossa porta, e aí a única coisa que a gente consegue fazer é aprender a lidar com ele da melhor maneira possível.
A.

Bebete Indarte disse...

Ontem eu mandei o texto da Louise Hay, e acabei recebendo o do "Segredo"...tem até comunidade no orkut, apareceu sobre o filme na Oprah - não vi, e teve gente que leu o livro e achou sensacional.

Pra mim não foi novidade, porque no budismo e no universo existe uma lei da causa e efeito, essa da atraçao é mais q nem vc falou sobre a positividade do pensamento, e um livro/filme etc...pode ser algo bom, mas você lê, e depois de um determinado momento esquece, eu acredito, é modinha, mas depois passa.

Já a evolução pessoal da Louise Hay, uma filosofia como o budismo, são mais eficazes porque não são somente livros e filmes, mas existe uma lição de casa, uma continuação. Tsunami, etc...são forças da natureza, e o homem possui estados baixos e elevados de alma digamos assim. Mas são os outros, o importante somos nós e nosso desenvolvimento espiritual, se a gente vai bem, os outros também, e o meio também.
Altruísmo e compaixão caminham juntos.Depois do Tsunami, vem o dinheiro pra reconstrução, o trabalho voluntário, a compaixão...

A ganância continua a existir, marketing ou compaixão sobre o segredo.
Tanto faz, o importante é uma vida diária consciente de que coisas ruins e boas sempre acontecerão na nossa vida nas mais diferentes dosagens.

Quem se encontra num processo de amadurecimento na vida sabe, só que volta e meia aparecem outros buracos pra cair...

Eu não sei, você sabe? disse...

vc resumiu de forma magnífica:
o segredo em nova embalagem...ótimo!
beijos bethinha!