quinta-feira, setembro 27, 2007

Conselho de amigo

Hoje vou seguir o conselho de um amigo blogueiro (mas acima de tudo amigo né, Antônio?) e escrever de qualquer jeito, porque se for ficar esperando a inspiração vir, desconfio que nunca mais escrevo por aqui (e vocês vão ter de esperar sentados).

Não é que faltem novidades, falta é disposição mesmo, juro por Deus! Nos últimos tempos faltam palavras, mas sobram emoções - sim, o coração continua batendo forte, obrigada. Ando vivendo muito e sentindo mais ainda (porque é assim que a vida deve ser). E o blog meio que ficou para segundo plano, pelo menos até a vida voltar ao normal. Se bem que por mim nem precisa mais voltar ao normal não - é que já estou me acostumando com esta loucura boa.

Mas hoje o que eu queria dizer é isso: há luz no fim do túnel...A gente vive, a gente aprende, a gente sobrevive. E se comparar minha vida hoje com a vida que eu levava há 1 ou 2 anos atrás, hoje sobram motivos para ser grata (e o motivo mais óbvio vocês podem adivinhar).

Gratidão for não ter desistido da batalha e por estar viva, vivendo um dia de cada vez. Gratidão porque a dor me tornou mais sábia, mais forte e mais determinada a lutar pela minha felicidade. Gratidão porque finalmente aprendi o que quero e o que não quero desta vida (e acreditem: não é pouca gente que se debate com essas questões por anos e anos). Redefini prioridades, aprendi a definir meus limites, aprendi que respeito próprio é bom e que amor-próprio é fundamental. Aprendi que temos de abrir mão do velho pra deixar o novo entrar na nossa vida. Aprendi que na vida tudo são ciclos. E que a gente precisa seguir em frente apesar do medo.

Uma das coisas pela qual sou grata atualmente é ver meu filho bem adaptado à nova escola (em breve escreverei um post à parte sobre isso, pra quem acompanhou o drama dos últimos meses). É um alívio constatar que no final das contas, tomamos a melhor decisão. E é muito bom perceber a diferença em cada pequeno detalhe, ver uma criança desabrochando a cada dia e se transformando em gente. Porque quem tem criança em casa sabe muito bem como é isso...a gente se distrai um pouco, o tempo passa e um belo dia a gente descobre que eles viraram gente!!! Meu filho já completa 8 anos ano que vem e volta e meia me surpreende com suas tiradas.

Mas por hoje é só...vou ali e já volto!

3 comentários:

annix disse...

Assim é que se fala! :-)

Antonio Fontelles disse...

amigos com certeza, e gostei muito do que vc escreveu... com ou sem inspiração, a verdade é que vc estava inspirada... ;-))
XXX/A

La Belle® disse...

Falta de inspiração?
Imagino inspirada... Lindas as suas palavras!
Beijos querida!

Tecnologia do Blogger.

Conselho de amigo

Hoje vou seguir o conselho de um amigo blogueiro (mas acima de tudo amigo né, Antônio?) e escrever de qualquer jeito, porque se for ficar esperando a inspiração vir, desconfio que nunca mais escrevo por aqui (e vocês vão ter de esperar sentados).

Não é que faltem novidades, falta é disposição mesmo, juro por Deus! Nos últimos tempos faltam palavras, mas sobram emoções - sim, o coração continua batendo forte, obrigada. Ando vivendo muito e sentindo mais ainda (porque é assim que a vida deve ser). E o blog meio que ficou para segundo plano, pelo menos até a vida voltar ao normal. Se bem que por mim nem precisa mais voltar ao normal não - é que já estou me acostumando com esta loucura boa.

Mas hoje o que eu queria dizer é isso: há luz no fim do túnel...A gente vive, a gente aprende, a gente sobrevive. E se comparar minha vida hoje com a vida que eu levava há 1 ou 2 anos atrás, hoje sobram motivos para ser grata (e o motivo mais óbvio vocês podem adivinhar).

Gratidão for não ter desistido da batalha e por estar viva, vivendo um dia de cada vez. Gratidão porque a dor me tornou mais sábia, mais forte e mais determinada a lutar pela minha felicidade. Gratidão porque finalmente aprendi o que quero e o que não quero desta vida (e acreditem: não é pouca gente que se debate com essas questões por anos e anos). Redefini prioridades, aprendi a definir meus limites, aprendi que respeito próprio é bom e que amor-próprio é fundamental. Aprendi que temos de abrir mão do velho pra deixar o novo entrar na nossa vida. Aprendi que na vida tudo são ciclos. E que a gente precisa seguir em frente apesar do medo.

Uma das coisas pela qual sou grata atualmente é ver meu filho bem adaptado à nova escola (em breve escreverei um post à parte sobre isso, pra quem acompanhou o drama dos últimos meses). É um alívio constatar que no final das contas, tomamos a melhor decisão. E é muito bom perceber a diferença em cada pequeno detalhe, ver uma criança desabrochando a cada dia e se transformando em gente. Porque quem tem criança em casa sabe muito bem como é isso...a gente se distrai um pouco, o tempo passa e um belo dia a gente descobre que eles viraram gente!!! Meu filho já completa 8 anos ano que vem e volta e meia me surpreende com suas tiradas.

Mas por hoje é só...vou ali e já volto!

3 comentários:

annix disse...

Assim é que se fala! :-)

Antonio Fontelles disse...

amigos com certeza, e gostei muito do que vc escreveu... com ou sem inspiração, a verdade é que vc estava inspirada... ;-))
XXX/A

La Belle® disse...

Falta de inspiração?
Imagino inspirada... Lindas as suas palavras!
Beijos querida!