quarta-feira, julho 30, 2008

Remorso?

De uma coisa vocês podem estar certos: remorso todo mundo tem. Eu ontem estava lendo uma revista (holandesa) com um artigo sobre o assunto. To cut a long story short, a conclusão básica é que a gente costuma sentir mais remorso das coisas que não fez - ou deixou de fazer por sabe-se lá que cargas d´água - do que das coisas que fez! Claro que a gente se arrepende de algumas coisas que fez...Só que ao menos temos a glória de poder espalhar aos quatro ventos que tentamos, que corremos o risco, que aprendemos. Enfim...E tem ainda aqueles que dizem com orgulho que são o resultado de suas escolhas (o que vale pra todos nós, tenhamos orgulho ou não). Bem...se eu sou o resultado das minhas escolhas, confesso que tem dias em que acho que deveria ter escolhido melhor (e quem nunca teve um dia desses?). É que infelizmente tem escolhas na vida que a gente faz e passa anos sofrendo as consequências...E então a gente pensa que se soubesse naquela época tudo aquilo que sabe hoje, teria feito diferente. Mas naquela época aquela era a melhor escolha. Porque acreditem meus caros amigos, a sabedoria vem com a idade. Uma das grandes ironias da vida é que justamente quando somos jovens temos mais escolhas e menos sabedoria. No mais, é como diz o velho ditado: não adianta chorar o leite derramado.

Por outro lado, segundo psicólogos e especialistas de plantão, nada pior do que o remorso que sentimos por aquilo que deixamos de fazer. Aquela viagem de sonhos. A declaração de amor nunca feita. A proposta de emprego irrecusável que recusamos (valha-me Deus). Aquele amor que deixamos escapar pelas mãos por medo, orgulho ou sei lá o quê. O curso ou workshop do qual desistimos na última hora. O cãozinho ou gatinho abandonado que não levamos pra casa. Os filhos que não tivemos. Os caminhos que não trilhamos. Os mares não navegados. Em suma, as escolhas que não fizemos.

A verdade nua e crua é que cada escolha traz consigo uma renúncia. E durma-se com um barulho desses...

5 comentários:

Isabella disse...

é, Beth... São as tais escolhas...

tô aqui vivendo as consequências alheias, o que acho o fim...

bjs

Arnild disse...

Quase todas as escolhas podem ser modificadas. Essa é a melhor parte da coisa toda:)
beijos!

Anônimo disse...

Falou e disse Arnild!
Tudo na vida é temporário, e a temporariedade das coisas faz com que mudemos todo o instante.
Querer se agarrar a um passado com escolhas "infelizes" é um passo pro sofrimento, desperdício de energia.
Ser feliz é saber que podemos sempre mudar, renovar, aprender, errar faz parte de qualquer processo de aprendizado.
Se arrepender, é perda de tempo, melhor...nos paralisa e nos transforma em vítimas. Xô!!!
Vamu botá o pé na jaca e tirar a palavra remorso do dicionário.
Namasté

Beth Blue disse...

Simone dos Anjos (se é que foi você que escreveu este comentário anônimo). Concordo em gênero, número e grau: Querer se agarrar a um passado com escolhas "infelizes" é um passo pro sofrimento, desperdício de energia.

Só que tem dias que é difícil...embora a gente saiba muito bem que pra frente é que se anda. Mas felizmente tenho tido mais dias bons do que ruins (nada como o tempo pra gente aprender).

beijos saudosos...

Antonio Da Vida disse...

Eu sempre achei que aquela frase "eu não me arrependo de nada" é de uma arrogância e falta de conhecimento sublime. Quem é humano erra e quem é humilde reconhece, e é claro que eu me arrependo sim de muitos dos meus erros. Mas é verdade que é melhor me arrenpender de coisas que eu fiz, do que daquelas que eu não fiz, pois pelo menos tentei.

Tecnologia do Blogger.

Remorso?

De uma coisa vocês podem estar certos: remorso todo mundo tem. Eu ontem estava lendo uma revista (holandesa) com um artigo sobre o assunto. To cut a long story short, a conclusão básica é que a gente costuma sentir mais remorso das coisas que não fez - ou deixou de fazer por sabe-se lá que cargas d´água - do que das coisas que fez! Claro que a gente se arrepende de algumas coisas que fez...Só que ao menos temos a glória de poder espalhar aos quatro ventos que tentamos, que corremos o risco, que aprendemos. Enfim...E tem ainda aqueles que dizem com orgulho que são o resultado de suas escolhas (o que vale pra todos nós, tenhamos orgulho ou não). Bem...se eu sou o resultado das minhas escolhas, confesso que tem dias em que acho que deveria ter escolhido melhor (e quem nunca teve um dia desses?). É que infelizmente tem escolhas na vida que a gente faz e passa anos sofrendo as consequências...E então a gente pensa que se soubesse naquela época tudo aquilo que sabe hoje, teria feito diferente. Mas naquela época aquela era a melhor escolha. Porque acreditem meus caros amigos, a sabedoria vem com a idade. Uma das grandes ironias da vida é que justamente quando somos jovens temos mais escolhas e menos sabedoria. No mais, é como diz o velho ditado: não adianta chorar o leite derramado.

Por outro lado, segundo psicólogos e especialistas de plantão, nada pior do que o remorso que sentimos por aquilo que deixamos de fazer. Aquela viagem de sonhos. A declaração de amor nunca feita. A proposta de emprego irrecusável que recusamos (valha-me Deus). Aquele amor que deixamos escapar pelas mãos por medo, orgulho ou sei lá o quê. O curso ou workshop do qual desistimos na última hora. O cãozinho ou gatinho abandonado que não levamos pra casa. Os filhos que não tivemos. Os caminhos que não trilhamos. Os mares não navegados. Em suma, as escolhas que não fizemos.

A verdade nua e crua é que cada escolha traz consigo uma renúncia. E durma-se com um barulho desses...

5 comentários:

Isabella disse...

é, Beth... São as tais escolhas...

tô aqui vivendo as consequências alheias, o que acho o fim...

bjs

Arnild disse...

Quase todas as escolhas podem ser modificadas. Essa é a melhor parte da coisa toda:)
beijos!

Anônimo disse...

Falou e disse Arnild!
Tudo na vida é temporário, e a temporariedade das coisas faz com que mudemos todo o instante.
Querer se agarrar a um passado com escolhas "infelizes" é um passo pro sofrimento, desperdício de energia.
Ser feliz é saber que podemos sempre mudar, renovar, aprender, errar faz parte de qualquer processo de aprendizado.
Se arrepender, é perda de tempo, melhor...nos paralisa e nos transforma em vítimas. Xô!!!
Vamu botá o pé na jaca e tirar a palavra remorso do dicionário.
Namasté

Beth Blue disse...

Simone dos Anjos (se é que foi você que escreveu este comentário anônimo). Concordo em gênero, número e grau: Querer se agarrar a um passado com escolhas "infelizes" é um passo pro sofrimento, desperdício de energia.

Só que tem dias que é difícil...embora a gente saiba muito bem que pra frente é que se anda. Mas felizmente tenho tido mais dias bons do que ruins (nada como o tempo pra gente aprender).

beijos saudosos...

Antonio Da Vida disse...

Eu sempre achei que aquela frase "eu não me arrependo de nada" é de uma arrogância e falta de conhecimento sublime. Quem é humano erra e quem é humilde reconhece, e é claro que eu me arrependo sim de muitos dos meus erros. Mas é verdade que é melhor me arrenpender de coisas que eu fiz, do que daquelas que eu não fiz, pois pelo menos tentei.