quarta-feira, março 31, 2010

(Mais) vida de imigrante

Aproveitei o título dos dois últimos posts pra comentar sobre um ótimo livro que acabei de ler. O livro se chama The Other Hand e lida com uma questão muito atual, pra não dizer polêmica: o problema da imigração ilegal. Como todo mundo está careca de saber, aqui na Europa, assim como nos EUA, vivem muitos imigrantes ilegais. E eu posso afirmar sem a menor hesitação que este é o maior problema na Europa de hoje. Diga-se de passagem, um problema muito maior do que o terrorismo...quem vive aqui sabe do que estou falando.

Pois o livro conta a estória de uma imigrante ilegal, como muitas outras. Little Bee morava na Nigéria até o dia em que sua aldeia foi queimada e seus pais e irmã brutalmente assassinados. Ela então decide fugir (antes de ela mesma ser assassinada), embarca no primeiro navio de carga que vê e vai parar na Inglaterra...ou melhor dizendo, num Centro de Detenção de Imigrantes, onde passa 2 anos sem saber porque...sim, ela é presa assim que as autoridades locais a encontram no navio sem nunca ter cometido um crime. Pensando bem, acho que o único crime que ela cometeu foi ter nascido no país errado...e ter tentado fugir a todo custo dos horrores de uma guerra. Enfim, uma estória muito comum, mas não por isso menos comovente. Faz pensar naquelas coisas que a gente tem e nunca valoriza (justamente porque sempre teve).

O livro é, acima de tudo, um EYE OPENER pros leitores que vivem suas vidinhas confortáveis no primeiro mundo e nunca sequer pararam um minuto pra pensar em como as pessoas vivem no resto do mundo. O que torna a leitura ainda mais interessante é o contraste com a outra protagonista do livro, uma inglesa que trabalha como editora de revista e vive sua vidinha até o dia em que seu destino cruza com o da nigeriana. A estória é narrada pelas duas, em capítulos intercalados. Um drama inesquecível.

4 comentários:

Albuq disse...

Beth, Parabéns!
Que texto maravilhoso, me fez refletir o quanto eu tenho na minha "vidinha" e quanto preciso olhar os demais, ver os exemplos e perceber que preciso crescer muito como ser humano!
Obrigada reflexão!

Ps.: adorei a indicação do livro, vou ler!

bjs

NiNah disse...

Fiquei com vontade de ler.
Obrigada pela indicação.
Bjo

Larissa, Lara, Lalá, .... disse...

Beth
Este vai para minha lista, adorei o tema!!! Beijos

Line disse...

Beth,

Eu simplesmente AMEI esse livro. Recomendei para vários amigos e quando fui ao Brasil levei dois exemplares para presentear.

Tecnologia do Blogger.

(Mais) vida de imigrante

Aproveitei o título dos dois últimos posts pra comentar sobre um ótimo livro que acabei de ler. O livro se chama The Other Hand e lida com uma questão muito atual, pra não dizer polêmica: o problema da imigração ilegal. Como todo mundo está careca de saber, aqui na Europa, assim como nos EUA, vivem muitos imigrantes ilegais. E eu posso afirmar sem a menor hesitação que este é o maior problema na Europa de hoje. Diga-se de passagem, um problema muito maior do que o terrorismo...quem vive aqui sabe do que estou falando.

Pois o livro conta a estória de uma imigrante ilegal, como muitas outras. Little Bee morava na Nigéria até o dia em que sua aldeia foi queimada e seus pais e irmã brutalmente assassinados. Ela então decide fugir (antes de ela mesma ser assassinada), embarca no primeiro navio de carga que vê e vai parar na Inglaterra...ou melhor dizendo, num Centro de Detenção de Imigrantes, onde passa 2 anos sem saber porque...sim, ela é presa assim que as autoridades locais a encontram no navio sem nunca ter cometido um crime. Pensando bem, acho que o único crime que ela cometeu foi ter nascido no país errado...e ter tentado fugir a todo custo dos horrores de uma guerra. Enfim, uma estória muito comum, mas não por isso menos comovente. Faz pensar naquelas coisas que a gente tem e nunca valoriza (justamente porque sempre teve).

O livro é, acima de tudo, um EYE OPENER pros leitores que vivem suas vidinhas confortáveis no primeiro mundo e nunca sequer pararam um minuto pra pensar em como as pessoas vivem no resto do mundo. O que torna a leitura ainda mais interessante é o contraste com a outra protagonista do livro, uma inglesa que trabalha como editora de revista e vive sua vidinha até o dia em que seu destino cruza com o da nigeriana. A estória é narrada pelas duas, em capítulos intercalados. Um drama inesquecível.

4 comentários:

Albuq disse...

Beth, Parabéns!
Que texto maravilhoso, me fez refletir o quanto eu tenho na minha "vidinha" e quanto preciso olhar os demais, ver os exemplos e perceber que preciso crescer muito como ser humano!
Obrigada reflexão!

Ps.: adorei a indicação do livro, vou ler!

bjs

NiNah disse...

Fiquei com vontade de ler.
Obrigada pela indicação.
Bjo

Larissa, Lara, Lalá, .... disse...

Beth
Este vai para minha lista, adorei o tema!!! Beijos

Line disse...

Beth,

Eu simplesmente AMEI esse livro. Recomendei para vários amigos e quando fui ao Brasil levei dois exemplares para presentear.