quinta-feira, junho 09, 2011

Da blogosfera para a vida real (com dicas de Amsterdã)

Val na entrada do Museu Van Gogh

Passei os últimos dois dias passeando por Amsterdã com uma velha amiga da blogosfera, a Maria Valéria. Na verdade, nos conhecemos desde os tempos da comunidade Mulheres de 30, no orkut (onde fiz amizades que preservo até os dias de hoje). E sempre tivemos muitas afinidades. É muito legal conhecer ao vivo e a cores uma amizade virtual. Melhor ainda quando a pessoa em questão pensa como a gente e entende o que estamos falando sem que precisemos explicar muito. Pois a Val é uma dessas pessoas. Como era de se esperar, assunto é que não faltou.

Como sempre, fiz a guia local (já tenho passeios que faço praticamente no piloto automático, meus pés já andam sozinhos pelas ruas da cidade, hehehe). Ontem começamos o dia visitando o Museu Van Gogh e o Museumplein (praça dos museus). Passeamos pela charmosa Spui, onde visitamos o imperdível Begijnhof. Dali fomos andando para o bairro dos estudantes, onde ficam os prédios da Universidade de Amsterdã (entre eles o Centro de Informações). No caminho, paramos para sentar em um dos meus cafés favoritos: De Jaren. Este foi o primeiro café que visitei quando me mudei para Amsterdã 17 anos atrás e é praticamente uma instituição da cidade, muito frequentado pelos estudantes universitários (e raramente frequentado por turistas). Enfim, uma dica de local então anotem aí!

De Begijnhof
Feira de livros (às sextas) no Spui
De Waag
 Do café seguimos pelo Amstel (que aliás é um rio e não um canal, como muitos pensam). Passamos pelo Mercado das Pulgas no Waterlooplein. Algumas barracas já estavam fechando mas é sempre um passeio interessante. Em seguida, passamos pelo Nieuwmarkt, onde já tínhamos estado no dia anterior. Aviso aos navegantes: uma das praças mais legais da cidade, bem longe da muvuca de turistas que são as praças Rembrandtplein e Leidseplein. O charme do Nieuwmarkt é sem dúvida De Waag, um dos monumentos históricos mais antigos da cidade (leia mais aqui). As mesas do terraço são muito concorridas nos dias de verão (ideal para tomar cerveja com os amigos). E no inverno, tem o café-restaurante, onde pode-se jantar ou simplesmente tomar um café ou chocolate quente!
  
Café De Jaren (interior)
Café de Jaren (o concorrido deck de frente para a água)
Hoje de manhã ela fez o passeio de barco (que costumo recomendar aos amigos que querem ver a cidade a partir da água). Depois tomamos um tram e fomos passear no bairro Pijp (que os turistas costumam ignorar). Ali fica a maior feira de rua de Amsterdã, o AlbertCuyp. Almoçamos bagels no Bagels and Beans, uma franquia espalhada por toda cidade. E ainda tivemos tempo de tomar chá de menta preparado ao estilo marroquino no café Bazar. Um point muito frequentado pelos holandeses com decoração original e comida árabe. Um pedaço do norte da África em Amsterdã - me lembrei obviamente da viagem à Tunísia no ano passado!

Outro passeio que fizemos no primeiro dia foi o Bloemenmarkt, o famoso Mercado das Flores (que os japoneses e americanos tanto adoram). Embora seja um dos pontos turísticos mais visitados na cidade, confesso que é sempre gostoso andar por aqueles estandes cheios de flores e sementes de todos os tipos. E tem ainda a bela Munttoren (Muntplein), logo ali no final do mercado.

Quanto ao manjado Bairro da Luz Vermelha, felizmente a Val não fez a menor questão de conhecer então desta vez fui poupada (já estive zilhões de vezes ali com visitas, até meu filho já andou por aqueles becos). Também não visitamos nenhum coffee shop, que eu prefiro deixar pros turistas ingleses e italianos - se bem que tem muito brasileiro que não deixa de fazer uma visita. Verdade seja dita: é um grande alívio quando uma visita entende que Amsterdã tem muito mais a oferecer do que drogas e prostitutas.

Este roteiro inclui alguns dos meus lugares favoritos em Amsterdã. Enfim, a Amsterdã dos locais, como descrita em guias como o Lonely Planet. Altamente recomendado para aqueles que gostam de roteiros independentes, off the beaten track.


Munttoren (atrás do Mercado das Flores)
Not my cup of tea...






PS. As fotos a Val irá postar no blog dela, quando retornar ao Brasil.

4 comentários:

Lilly disse...

Ai que inveja branca!! Muito legal!!!
Beijos.

Pat Ferret disse...

Invejaaaaaa!!!!

Queria estar com vcs!

Mas em setembro tb vou ter fotos de viagem pra compartilhar... la-la-la...

Maria Valéria disse...

querida, que post mais carinhoso!!! a reciproca e verdadeira.amei te conhecer,perdoe a falta de acentos, estou num micro de londres....srsrsrsrsrsr!!!bjs/.

Bebete Indarte disse...

Bom, eu te conheci primeiro pela internet. Adoro esse ponto de encontro, aliás o ponto de encontro de hoje em dia, o que acho ótimo. O contato inicial é com a forma de pensamento da pessoa, a 'beleza interior', as afinidades. Belo passeio com a sua amiga! Não tenho inveja não, nem gosto dessa palavra. Ser sua amiga é uma riqueza, se você está bem, feliz, me deixa muito feliz por ser sua amiga.

Tecnologia do Blogger.

Da blogosfera para a vida real (com dicas de Amsterdã)

Val na entrada do Museu Van Gogh

Passei os últimos dois dias passeando por Amsterdã com uma velha amiga da blogosfera, a Maria Valéria. Na verdade, nos conhecemos desde os tempos da comunidade Mulheres de 30, no orkut (onde fiz amizades que preservo até os dias de hoje). E sempre tivemos muitas afinidades. É muito legal conhecer ao vivo e a cores uma amizade virtual. Melhor ainda quando a pessoa em questão pensa como a gente e entende o que estamos falando sem que precisemos explicar muito. Pois a Val é uma dessas pessoas. Como era de se esperar, assunto é que não faltou.

Como sempre, fiz a guia local (já tenho passeios que faço praticamente no piloto automático, meus pés já andam sozinhos pelas ruas da cidade, hehehe). Ontem começamos o dia visitando o Museu Van Gogh e o Museumplein (praça dos museus). Passeamos pela charmosa Spui, onde visitamos o imperdível Begijnhof. Dali fomos andando para o bairro dos estudantes, onde ficam os prédios da Universidade de Amsterdã (entre eles o Centro de Informações). No caminho, paramos para sentar em um dos meus cafés favoritos: De Jaren. Este foi o primeiro café que visitei quando me mudei para Amsterdã 17 anos atrás e é praticamente uma instituição da cidade, muito frequentado pelos estudantes universitários (e raramente frequentado por turistas). Enfim, uma dica de local então anotem aí!

De Begijnhof
Feira de livros (às sextas) no Spui
De Waag
 Do café seguimos pelo Amstel (que aliás é um rio e não um canal, como muitos pensam). Passamos pelo Mercado das Pulgas no Waterlooplein. Algumas barracas já estavam fechando mas é sempre um passeio interessante. Em seguida, passamos pelo Nieuwmarkt, onde já tínhamos estado no dia anterior. Aviso aos navegantes: uma das praças mais legais da cidade, bem longe da muvuca de turistas que são as praças Rembrandtplein e Leidseplein. O charme do Nieuwmarkt é sem dúvida De Waag, um dos monumentos históricos mais antigos da cidade (leia mais aqui). As mesas do terraço são muito concorridas nos dias de verão (ideal para tomar cerveja com os amigos). E no inverno, tem o café-restaurante, onde pode-se jantar ou simplesmente tomar um café ou chocolate quente!
  
Café De Jaren (interior)
Café de Jaren (o concorrido deck de frente para a água)
Hoje de manhã ela fez o passeio de barco (que costumo recomendar aos amigos que querem ver a cidade a partir da água). Depois tomamos um tram e fomos passear no bairro Pijp (que os turistas costumam ignorar). Ali fica a maior feira de rua de Amsterdã, o AlbertCuyp. Almoçamos bagels no Bagels and Beans, uma franquia espalhada por toda cidade. E ainda tivemos tempo de tomar chá de menta preparado ao estilo marroquino no café Bazar. Um point muito frequentado pelos holandeses com decoração original e comida árabe. Um pedaço do norte da África em Amsterdã - me lembrei obviamente da viagem à Tunísia no ano passado!

Outro passeio que fizemos no primeiro dia foi o Bloemenmarkt, o famoso Mercado das Flores (que os japoneses e americanos tanto adoram). Embora seja um dos pontos turísticos mais visitados na cidade, confesso que é sempre gostoso andar por aqueles estandes cheios de flores e sementes de todos os tipos. E tem ainda a bela Munttoren (Muntplein), logo ali no final do mercado.

Quanto ao manjado Bairro da Luz Vermelha, felizmente a Val não fez a menor questão de conhecer então desta vez fui poupada (já estive zilhões de vezes ali com visitas, até meu filho já andou por aqueles becos). Também não visitamos nenhum coffee shop, que eu prefiro deixar pros turistas ingleses e italianos - se bem que tem muito brasileiro que não deixa de fazer uma visita. Verdade seja dita: é um grande alívio quando uma visita entende que Amsterdã tem muito mais a oferecer do que drogas e prostitutas.

Este roteiro inclui alguns dos meus lugares favoritos em Amsterdã. Enfim, a Amsterdã dos locais, como descrita em guias como o Lonely Planet. Altamente recomendado para aqueles que gostam de roteiros independentes, off the beaten track.


Munttoren (atrás do Mercado das Flores)
Not my cup of tea...






PS. As fotos a Val irá postar no blog dela, quando retornar ao Brasil.

4 comentários:

Lilly disse...

Ai que inveja branca!! Muito legal!!!
Beijos.

Pat Ferret disse...

Invejaaaaaa!!!!

Queria estar com vcs!

Mas em setembro tb vou ter fotos de viagem pra compartilhar... la-la-la...

Maria Valéria disse...

querida, que post mais carinhoso!!! a reciproca e verdadeira.amei te conhecer,perdoe a falta de acentos, estou num micro de londres....srsrsrsrsrsr!!!bjs/.

Bebete Indarte disse...

Bom, eu te conheci primeiro pela internet. Adoro esse ponto de encontro, aliás o ponto de encontro de hoje em dia, o que acho ótimo. O contato inicial é com a forma de pensamento da pessoa, a 'beleza interior', as afinidades. Belo passeio com a sua amiga! Não tenho inveja não, nem gosto dessa palavra. Ser sua amiga é uma riqueza, se você está bem, feliz, me deixa muito feliz por ser sua amiga.