sábado, março 31, 2012

Surtei mas já volto

Sumi quase duas semanas aqui do meu cantinho virtual mas ainda estou viva. Esta semana foi muita esquisita pra mim, muitos pensamentos e emoções a serem digeridas. Mas ando cada vez com menos vontade de me expor, ainda mais porque já me expus demais no post anterior...enfim, esta sou eu. Humana, frágil e tentando entender a vida.

A gota dágua foi F. me ligar contando de um amigo que está em crise, com tratamento psiquiátrico e o escambau. Eu fui perguntando pra averiguar a situação do cara e me dei mal. O dito cujo tem duas casas próprias em bairro bacana, um bom emprego em tempos de demissões em massa aqui na Holanda, dinheiro de sobra. Tá bom que dinheiro não è tudo nesta vida (o que eu por acaso sempre ouço de gente que tem dinheiro) mas olha, ajuda viu? Ah sim, ele também tem esposa e filho...

O que me tirou do sério é que o cara surtou, roubou umas porcarias numa loja e acabou na polícia, enfim um drama! E eu inevitavelmente surtei junto e fiquei aqui pensando com meus botões. Talvez meu maior erro seja comparar o que não devia se comparar, mas se ele que tem uma vida mais do que confortável com esposa, filho e tudo mais decide surtar da noite pro dia...o que é que eu faço, hein?!! Eu que tenho a vida toda ainda pra resolver? Sem emprego, sem dinheiro e pagando aluguel pra viver num bairro ruim, onde só vivem imigrantes. Gente que não tem mesmo outra opção? O que é que eu faço? Por onde eu começo? Eu tenho tentado ser feliz diariamente, juro que tenho tentado. Mas estórias como esta me tiram do sério. Porque eu tenho n motivos para surtar e continuo aqui na batalha diária, lutando para manter uma frágil saúde mental.

Eu não conheço nem pretendo conhecer a figura mas surtei. Quando a tempestade passar dentro desta mente inquieta, eu volto.

10 comentários:

Eliana disse...

Oh, então somos duas surtadas, porque lendo isso, é de pirar. Mas sabe o que eu acho? Falta valores, sentimentos...dinheiro é bom sim, é bom demais pra fazer coisas boas...quando as pessoas perdem o sentido das coisas, não adianta ter casas, carrões e sei lá mais o quê. Cabeça boa é tudo, amor, autoconfiança, serenidade, paz, valores, fé...são coisas que nos fortalecem e nos mantém de pé, com ou sem dinheiro no bolso. Vc não surtou não, vc tá é indignada! rs...e antes levando uma vidinha mais ou menos e regradinha do que acabar deste jeito aí...eu hein...problemas existem e quando não existem, as pessoas tratam de criá-los no neste caso aí deste senhor! Bom fim de semana e avante!

Beth Blue disse...

Eliana, você está certa: fiquei indignada mesmo! Mas è aquela estória, saúde mental é tudo. Tem gente que vive num conforto material e pira (como o fulano dessa estória). Tem gente que é feliz com muito menos...

Eu confesso que ainda estou na busca, tentando ser feliz diariamente com o pouco que tenho (ou muito que tenho, se contar outras riquezas que não as materiais, porque filho é uma das maiores riquezas que alguém pode ter, viu?).

Enfim, cada um vai como pode. Quanto a mim, eu sobrevivo de surto em surto, rsrsrsrs. (rir para não chorar)

Pri S. disse...

Beth,

Eu entendo a sua reação. Super entendo mesmo. Mas pensa no seguinte: se dinheiro realmente resolvesse a vida, da classe média alta pra cima as coisas seriam tranquilas. E não é o que se vê. E não porque sejam todos uns desequilibrados "procurando pelo em ovo". Mas porque são seres humanos com questões humanas. De repente o cara tem um puta emprego, mas odeia se submeter a ele pra manter a família. Ou o casamento não é um mar de rosas. Ou ele sente falta da mãe que morreu e tinha questões pendentes com ela. Ou ele pode estar com um problema de tireóide que abala o humor. Ou ele pode estar atravessando uma "crise existencial". Podem ser INÚMERAS as razões. E tudo porque ele é ser humano, independente do valor que ele tenha na conta bancária e do quanto ele aparente ser bem sucedido.

Vc poderia tentar enxergar sob outro prisma: apesar de passar por tudo o que vc passa, não ter estabilidade financeira, lidar com um monte de questões pessoais e emocionais, vc sobrevive, sim! Então, talvez, vc não seja assim tão frágil quanto está pensando. Deparar-se com a própria força pode ser tão assustador quanto deparar-se com a própria fragilidade, sabia?

Nós supervalorizamos o dinheiro, o status e a estabilidade aparente das pessoas. Ninguém sabe o que acontece dentro do outro, de verdade, quando ele encosta a cabeça no travesseiro... ;-)

Vc é mais forte do que pensa.

Angela disse...

Beth, acredito que serenidade mental é fundamental, porque saberemos lidar quando temos tudo ou quando temos nada. Quando fico sabendo que alguém desmoronou emocionalmente fico inquieta, pois não consigo parar de pensar na situação. Recentemente um amigo surtou e deu cabo da vida. E posso dizer que ele tinha tudo filho, consultório odontológico, um duplex em um bairro conceituado de São Paulo, carro do ano e uma família bacana, mas não conseguiu lidar com os seus fantasmas. Por isso acredito que dinheiro ajuda, mas muitas vezes não nos ajuda a sair dos impasses da vida. Força para você! Tenho os meus momentos de crises, também! Quem não tem? Beijos!

tania disse...

Gostei muito do comentário da Priscila, aí em cima. Principalmente a parte do você é mais forte do que pensa. Eu já te disse isso também. Dramatizar também pode se tornar um hábito, até um vício. E rouba sua energia como nenhum outro.
Beijo

Beth Blue disse...

Tânia, de certa forma é verdade, eu sou uma pessoa dramática por questāo de temperamento mesmo. Eu sinto demais, me escabelo e surto mesmo. O que não quer dizer necessariamente que eu faça tempestade em copo d'água. Meus problemas existem e são reais, a questão é aprender a lidar com eles. Sou muito emotiva.

E sim, a Priscila escreveu muito bem, sou mesmo mais forte do que eu penso ser - senão já teria quebrado há muito tempo! Mas tem dia que ser forte cansa e a gente precisa de um colo, entende?

Andréa disse...

Força, Beth. Você já provou que consegue.

E não suma por muito tempo porque adoro ler as suas "Divagações, desabafos, especulações e acima de tudo, escrivinhações..".

Abraço e bom domingo.

Andréa

Maria Valéria disse...

Eu também tenho a péssima mania de me comparar com os outros. Mas olha, a casa, a esposa, o filho, o emprego desse cara com quem vc se comparou podem ser uma fria, o casamento dele pode ser ruim, etc....
Como já me disseram antes, nem tudo que reluz e ouro.
Veja os aspectos positivos da sua vida- o namorado que te ama, seu filho, seus amigos, as coisas que gosta de fazer,
E sobretudo pense que vc nao esta sozinha, Pq eu as vezes adoro fazer essas comparações também.( mas tenho melhorado muito)
Se precisar de conversa, colo, me chame no bate papo do Facebook.
Me considero sua amiga de verdade-:)
Bjs

Anônimo disse...

Ola,concordo com quase tudo que falaram,mas,surtar numa clinica psiquiatrica particular deve ser menos pior a pirar e ir parar num hospital publico!!Dinheiro faz muita diferenca!!
Cris

Anônimo disse...

Tudo tem seu preço... Para manter um status, muita gente acaba tendo que se submeter a muita coisa que vai contra seus valores, seu temperamento... Muita gente pira porque não consegue se confrontar com sua verdade, com sua essência.
Beijos
Ana Amélia

Tecnologia do Blogger.

Surtei mas já volto

Sumi quase duas semanas aqui do meu cantinho virtual mas ainda estou viva. Esta semana foi muita esquisita pra mim, muitos pensamentos e emoções a serem digeridas. Mas ando cada vez com menos vontade de me expor, ainda mais porque já me expus demais no post anterior...enfim, esta sou eu. Humana, frágil e tentando entender a vida.

A gota dágua foi F. me ligar contando de um amigo que está em crise, com tratamento psiquiátrico e o escambau. Eu fui perguntando pra averiguar a situação do cara e me dei mal. O dito cujo tem duas casas próprias em bairro bacana, um bom emprego em tempos de demissões em massa aqui na Holanda, dinheiro de sobra. Tá bom que dinheiro não è tudo nesta vida (o que eu por acaso sempre ouço de gente que tem dinheiro) mas olha, ajuda viu? Ah sim, ele também tem esposa e filho...

O que me tirou do sério é que o cara surtou, roubou umas porcarias numa loja e acabou na polícia, enfim um drama! E eu inevitavelmente surtei junto e fiquei aqui pensando com meus botões. Talvez meu maior erro seja comparar o que não devia se comparar, mas se ele que tem uma vida mais do que confortável com esposa, filho e tudo mais decide surtar da noite pro dia...o que é que eu faço, hein?!! Eu que tenho a vida toda ainda pra resolver? Sem emprego, sem dinheiro e pagando aluguel pra viver num bairro ruim, onde só vivem imigrantes. Gente que não tem mesmo outra opção? O que é que eu faço? Por onde eu começo? Eu tenho tentado ser feliz diariamente, juro que tenho tentado. Mas estórias como esta me tiram do sério. Porque eu tenho n motivos para surtar e continuo aqui na batalha diária, lutando para manter uma frágil saúde mental.

Eu não conheço nem pretendo conhecer a figura mas surtei. Quando a tempestade passar dentro desta mente inquieta, eu volto.

10 comentários:

Eliana disse...

Oh, então somos duas surtadas, porque lendo isso, é de pirar. Mas sabe o que eu acho? Falta valores, sentimentos...dinheiro é bom sim, é bom demais pra fazer coisas boas...quando as pessoas perdem o sentido das coisas, não adianta ter casas, carrões e sei lá mais o quê. Cabeça boa é tudo, amor, autoconfiança, serenidade, paz, valores, fé...são coisas que nos fortalecem e nos mantém de pé, com ou sem dinheiro no bolso. Vc não surtou não, vc tá é indignada! rs...e antes levando uma vidinha mais ou menos e regradinha do que acabar deste jeito aí...eu hein...problemas existem e quando não existem, as pessoas tratam de criá-los no neste caso aí deste senhor! Bom fim de semana e avante!

Beth Blue disse...

Eliana, você está certa: fiquei indignada mesmo! Mas è aquela estória, saúde mental é tudo. Tem gente que vive num conforto material e pira (como o fulano dessa estória). Tem gente que é feliz com muito menos...

Eu confesso que ainda estou na busca, tentando ser feliz diariamente com o pouco que tenho (ou muito que tenho, se contar outras riquezas que não as materiais, porque filho é uma das maiores riquezas que alguém pode ter, viu?).

Enfim, cada um vai como pode. Quanto a mim, eu sobrevivo de surto em surto, rsrsrsrs. (rir para não chorar)

Pri S. disse...

Beth,

Eu entendo a sua reação. Super entendo mesmo. Mas pensa no seguinte: se dinheiro realmente resolvesse a vida, da classe média alta pra cima as coisas seriam tranquilas. E não é o que se vê. E não porque sejam todos uns desequilibrados "procurando pelo em ovo". Mas porque são seres humanos com questões humanas. De repente o cara tem um puta emprego, mas odeia se submeter a ele pra manter a família. Ou o casamento não é um mar de rosas. Ou ele sente falta da mãe que morreu e tinha questões pendentes com ela. Ou ele pode estar com um problema de tireóide que abala o humor. Ou ele pode estar atravessando uma "crise existencial". Podem ser INÚMERAS as razões. E tudo porque ele é ser humano, independente do valor que ele tenha na conta bancária e do quanto ele aparente ser bem sucedido.

Vc poderia tentar enxergar sob outro prisma: apesar de passar por tudo o que vc passa, não ter estabilidade financeira, lidar com um monte de questões pessoais e emocionais, vc sobrevive, sim! Então, talvez, vc não seja assim tão frágil quanto está pensando. Deparar-se com a própria força pode ser tão assustador quanto deparar-se com a própria fragilidade, sabia?

Nós supervalorizamos o dinheiro, o status e a estabilidade aparente das pessoas. Ninguém sabe o que acontece dentro do outro, de verdade, quando ele encosta a cabeça no travesseiro... ;-)

Vc é mais forte do que pensa.

Angela disse...

Beth, acredito que serenidade mental é fundamental, porque saberemos lidar quando temos tudo ou quando temos nada. Quando fico sabendo que alguém desmoronou emocionalmente fico inquieta, pois não consigo parar de pensar na situação. Recentemente um amigo surtou e deu cabo da vida. E posso dizer que ele tinha tudo filho, consultório odontológico, um duplex em um bairro conceituado de São Paulo, carro do ano e uma família bacana, mas não conseguiu lidar com os seus fantasmas. Por isso acredito que dinheiro ajuda, mas muitas vezes não nos ajuda a sair dos impasses da vida. Força para você! Tenho os meus momentos de crises, também! Quem não tem? Beijos!

tania disse...

Gostei muito do comentário da Priscila, aí em cima. Principalmente a parte do você é mais forte do que pensa. Eu já te disse isso também. Dramatizar também pode se tornar um hábito, até um vício. E rouba sua energia como nenhum outro.
Beijo

Beth Blue disse...

Tânia, de certa forma é verdade, eu sou uma pessoa dramática por questāo de temperamento mesmo. Eu sinto demais, me escabelo e surto mesmo. O que não quer dizer necessariamente que eu faça tempestade em copo d'água. Meus problemas existem e são reais, a questão é aprender a lidar com eles. Sou muito emotiva.

E sim, a Priscila escreveu muito bem, sou mesmo mais forte do que eu penso ser - senão já teria quebrado há muito tempo! Mas tem dia que ser forte cansa e a gente precisa de um colo, entende?

Andréa disse...

Força, Beth. Você já provou que consegue.

E não suma por muito tempo porque adoro ler as suas "Divagações, desabafos, especulações e acima de tudo, escrivinhações..".

Abraço e bom domingo.

Andréa

Maria Valéria disse...

Eu também tenho a péssima mania de me comparar com os outros. Mas olha, a casa, a esposa, o filho, o emprego desse cara com quem vc se comparou podem ser uma fria, o casamento dele pode ser ruim, etc....
Como já me disseram antes, nem tudo que reluz e ouro.
Veja os aspectos positivos da sua vida- o namorado que te ama, seu filho, seus amigos, as coisas que gosta de fazer,
E sobretudo pense que vc nao esta sozinha, Pq eu as vezes adoro fazer essas comparações também.( mas tenho melhorado muito)
Se precisar de conversa, colo, me chame no bate papo do Facebook.
Me considero sua amiga de verdade-:)
Bjs

Anônimo disse...

Ola,concordo com quase tudo que falaram,mas,surtar numa clinica psiquiatrica particular deve ser menos pior a pirar e ir parar num hospital publico!!Dinheiro faz muita diferenca!!
Cris

Anônimo disse...

Tudo tem seu preço... Para manter um status, muita gente acaba tendo que se submeter a muita coisa que vai contra seus valores, seu temperamento... Muita gente pira porque não consegue se confrontar com sua verdade, com sua essência.
Beijos
Ana Amélia