quarta-feira, agosto 28, 2013

Começo das aulas: escolas na Holanda



Nesta segunda-feira Liam voltou às aulas, depois de 7 (longas) semanas de férias. Infelizmente este ano não rolou viagem ao Brasil, mas ano que vem rola (se Deus quiser).

Este segundo ano do HAVO promete ser bem mais puxado pois ele terá três matérias novas: física, alemão e economia. Fora o alemão, ele ainda tem aulas de holandês, inglês e espanhol desde o primeiro ano (e tira notas acima da média em idiomas, acho que puxou à mãe hehehe).

Mas deixa eu explicar como funciona o ensino secundário aqui na Holanda...Aqui as escolas são públicas mas o ensino é bastante elitista. Ou seja, as escolas são para todos mas são divididas em três tipos: VMBO (formação técnica profissionalizante), HAVO (formação teórica que prepara para a escola superior (Hoge School), VWO (formação teórica e única que oferece acesso direto à universidade). Pra vocês terem uma idéia, 60 % de todos os estudantes vai para o VMBO.  Os 40 % restantes vão para o HAVO (20%) e VWO (20%). A maioria esmagadora dos filhos de imigrantes vai para o VMBO simplesmente porque o nível de holandês e matemática é baixo demais para os outros níveis. Moral da estória, no HAVO-VWO a maioria dos alunos são holandeses, com uns poucos filhos de imigrantes cujos pais tem alto nível de educação. Quanto mais alto o nível de ensino, mais alunos louros de olhos azuis...eu avisei que o sistema aqui era elitista, né? Pois é.

Complicado mas é assim que as escolas funcionam aqui. Enquanto no Brasil todos cursam o mesmo segundo grau (e quem tem grana garante uma boa escola particular), aqui a trajetória escolar é definida com 12 anos...é possível terminar o HAVO e fazer mais dois anos de VWO (o que é o plano aqui em casa) mas quem faz VMBO raramente consegue ir para o HAVO porque as aulas são de caráter prático e profissionalizante, eles não tem história, geografia e muito menos aulas de física, química e economia!

Apesar deste sistema elitista que literalmente "bloqueia" o acesso de alunos de meios menos privilegiados, ao menos quem consegue ir para o HAVO-VWO recebe uma boa formação. Nas escolas daqui, os alunos aprendem no mínimo quatro idiomas (holandês, inglês e alemão são obrigatórios, as escolas decidem ainda se darão francês ou espanhol). Imagina quanto uma escola dessas custaria no Brasil! Uma amiga me disse que no Rio eu teria de "desembolsar" uns 1000 reais de mensalidade para uma boa escola particular! E eles mal aprendem inglês nas escolas...

Moral da estória, a Holanda mudou muito nos últimos 19 anos desde que cheguei aqui, mas ainda está anos luz na frente do Brasil em termos de educação, por exemplo. O ensino pode ser elitista mas ao menos é público! Contraditório mas enfim...


PS: Esqueci de dizer que o VMBO dura 3 ou 4 anos, o HAVO dura 5 anos e o VWO dura 6 anos...Ou seja, o ensino secundário na Holanda dura de 4 a 6 anos, dependendo do tipo de escola.


5 comentários:

Paula Oliveira disse...

Que complicado esse sistema holandês. Mas fica a certeza de que, seja como for, seu filho estará recebendo uma educação muito à frente até mesmo da elite brasileira. Nem os colégios particulares aqui são como costumavam ser.

Eliana disse...

Olha Beth, mil reais de mensalidade no Brasil é um valor base, porque dependendo da grade curricular e da fama da escola...vai muito além! Mesmo sendo um divisor de águas, pelo menos aqui todo mundo, de um jeito ou de outro, ainda tem a garantia de algum ensino seja profissionalizante ou universitário. No Brasil é um Deus nos acuda, porque mesmo tendo o ensino público, quem consegue? Aliás, os professores estão em greve por lá...rs Eu fui de uma geração que desfrutou do ensino público quando se tinha qualidade...hoje meus sobrinhos por lá estão em escolas privadas porque escola pública é fora de cogitação, infelizmente.

Eliana disse...

Ahhh e mesmo assim, pagando, o nível não se compara com o daqui.
Parabéns pelo Liam...este menino vai longe!

Sandra disse...

Realmente, mesmo com crise do euro que ronda a Europa, esse continente ainda investe pesado em educação. Ia comentar algo bem parecido com a Eliana: 1000 reais para uma escola com uma grade curricular similar com a que vc relatou ai na Holanda, pelo menos em SP, não existe. Sei porque uma amiga tem um filho estudando em um colégio alemão (o reconhecidíssimo Porto Seguro) e a mensalidade chega a 2000 reais para o ensino médio (colegial). Sorte do seu filho que pode desfrutar desse sistema educacional. Abs!!

Aline Aimée disse...

Caramba, é super puxado mesmo.
Eu que sou nerd, das humanas, acho lindo!
Meu sonho é o currículo do São Bento, colégio particular que ensina filosofia, latim e grego aos guris!
<3
Probleminha é a mensalidade de 2200 dilmas. Ai!
Dei aula na rede estadual e nem há comparação com o sistema daí.
Triste demais!

Besones!

Tecnologia do Blogger.

Começo das aulas: escolas na Holanda



Nesta segunda-feira Liam voltou às aulas, depois de 7 (longas) semanas de férias. Infelizmente este ano não rolou viagem ao Brasil, mas ano que vem rola (se Deus quiser).

Este segundo ano do HAVO promete ser bem mais puxado pois ele terá três matérias novas: física, alemão e economia. Fora o alemão, ele ainda tem aulas de holandês, inglês e espanhol desde o primeiro ano (e tira notas acima da média em idiomas, acho que puxou à mãe hehehe).

Mas deixa eu explicar como funciona o ensino secundário aqui na Holanda...Aqui as escolas são públicas mas o ensino é bastante elitista. Ou seja, as escolas são para todos mas são divididas em três tipos: VMBO (formação técnica profissionalizante), HAVO (formação teórica que prepara para a escola superior (Hoge School), VWO (formação teórica e única que oferece acesso direto à universidade). Pra vocês terem uma idéia, 60 % de todos os estudantes vai para o VMBO.  Os 40 % restantes vão para o HAVO (20%) e VWO (20%). A maioria esmagadora dos filhos de imigrantes vai para o VMBO simplesmente porque o nível de holandês e matemática é baixo demais para os outros níveis. Moral da estória, no HAVO-VWO a maioria dos alunos são holandeses, com uns poucos filhos de imigrantes cujos pais tem alto nível de educação. Quanto mais alto o nível de ensino, mais alunos louros de olhos azuis...eu avisei que o sistema aqui era elitista, né? Pois é.

Complicado mas é assim que as escolas funcionam aqui. Enquanto no Brasil todos cursam o mesmo segundo grau (e quem tem grana garante uma boa escola particular), aqui a trajetória escolar é definida com 12 anos...é possível terminar o HAVO e fazer mais dois anos de VWO (o que é o plano aqui em casa) mas quem faz VMBO raramente consegue ir para o HAVO porque as aulas são de caráter prático e profissionalizante, eles não tem história, geografia e muito menos aulas de física, química e economia!

Apesar deste sistema elitista que literalmente "bloqueia" o acesso de alunos de meios menos privilegiados, ao menos quem consegue ir para o HAVO-VWO recebe uma boa formação. Nas escolas daqui, os alunos aprendem no mínimo quatro idiomas (holandês, inglês e alemão são obrigatórios, as escolas decidem ainda se darão francês ou espanhol). Imagina quanto uma escola dessas custaria no Brasil! Uma amiga me disse que no Rio eu teria de "desembolsar" uns 1000 reais de mensalidade para uma boa escola particular! E eles mal aprendem inglês nas escolas...

Moral da estória, a Holanda mudou muito nos últimos 19 anos desde que cheguei aqui, mas ainda está anos luz na frente do Brasil em termos de educação, por exemplo. O ensino pode ser elitista mas ao menos é público! Contraditório mas enfim...


PS: Esqueci de dizer que o VMBO dura 3 ou 4 anos, o HAVO dura 5 anos e o VWO dura 6 anos...Ou seja, o ensino secundário na Holanda dura de 4 a 6 anos, dependendo do tipo de escola.


5 comentários:

Paula Oliveira disse...

Que complicado esse sistema holandês. Mas fica a certeza de que, seja como for, seu filho estará recebendo uma educação muito à frente até mesmo da elite brasileira. Nem os colégios particulares aqui são como costumavam ser.

Eliana disse...

Olha Beth, mil reais de mensalidade no Brasil é um valor base, porque dependendo da grade curricular e da fama da escola...vai muito além! Mesmo sendo um divisor de águas, pelo menos aqui todo mundo, de um jeito ou de outro, ainda tem a garantia de algum ensino seja profissionalizante ou universitário. No Brasil é um Deus nos acuda, porque mesmo tendo o ensino público, quem consegue? Aliás, os professores estão em greve por lá...rs Eu fui de uma geração que desfrutou do ensino público quando se tinha qualidade...hoje meus sobrinhos por lá estão em escolas privadas porque escola pública é fora de cogitação, infelizmente.

Eliana disse...

Ahhh e mesmo assim, pagando, o nível não se compara com o daqui.
Parabéns pelo Liam...este menino vai longe!

Sandra disse...

Realmente, mesmo com crise do euro que ronda a Europa, esse continente ainda investe pesado em educação. Ia comentar algo bem parecido com a Eliana: 1000 reais para uma escola com uma grade curricular similar com a que vc relatou ai na Holanda, pelo menos em SP, não existe. Sei porque uma amiga tem um filho estudando em um colégio alemão (o reconhecidíssimo Porto Seguro) e a mensalidade chega a 2000 reais para o ensino médio (colegial). Sorte do seu filho que pode desfrutar desse sistema educacional. Abs!!

Aline Aimée disse...

Caramba, é super puxado mesmo.
Eu que sou nerd, das humanas, acho lindo!
Meu sonho é o currículo do São Bento, colégio particular que ensina filosofia, latim e grego aos guris!
<3
Probleminha é a mensalidade de 2200 dilmas. Ai!
Dei aula na rede estadual e nem há comparação com o sistema daí.
Triste demais!

Besones!