quarta-feira, janeiro 19, 2011

Plano C

Amanhã completo minha terceira semana de Job Center (trajeto em que fui inscrita pelo orgão do governo que paga meu seguro-desemprego). E a cabeça já deu muitas e muitas voltas por esses dias. Vou fazer a equivalência do meu diploma estrangeiro (Faculdade de Letras) mas mesmo assim terei de procurar um curso profissionalizante qualquer (12 a 18 meses) pra ter chances mínimas de um emprego decente (que não seja de faxineira). A cada dia fica mais óbvio que na Holanda sem papel você não consegue emprego e ponto final. Pensando bem, nunca vi um país onde é preciso papel pra tudo! Pra ser padeiro, jardineiro, motorista de caminhão, mecânico, eletricista, cabelereiro. Pra trabalhar em hotéis, creches, asilos de idosos, centros culturais, abrigos para refugiados, etc. Me pergunto se nos EUA e em outros países europeus também é assim. Porque aqui na Holanda, não basta falar a língua holandesa (eu sou fluente). É preciso obter qualificações em praticamente todos os setores. Caso contrário, não há acesso ao mercado (eu tenho diploma universitário então sei do que estou falando). Então quem pensa em sair do Brasil e vir pra cá, pense duas vezes!


Quem não conhece a minha trajetória talvez pense que estou reclamando de barriga cheia, que em vez de reclamar eu devia era me inscrever logo num desses cursos de especialização . Mas nem tudo é o que parece...Porque estes estudos custam dinheiro que eu não tenho, pra início de conversa. F. ofereceu financiar meus estudos como um investimento a médio e longo prazo. Mas a escolha é muito difícil quando se tem 45 anos e não 25 ou 30 anos! E numa situação ideal, eu queria poder pagar isso sozinha, odeio depender de quem quer que seja, como tem sido nos últimos anos. Não nasci pra ser dependente de homem nem de ninguém. Mas a vida prega peças...

Quanto aos estudos propriamente ditos, F. é da opinião que nunca é tarde para aprender (mais). Eu até concordo, em partes (e eu gosto de estudar e me aperfeiçoar, só não fiz isso porque tinha outras urgências pra resolver na vida pessoal). Chega 2011 e eu não tenho mais todo o tempo do mundo pra me dedicar aos estudos. Eu preciso de algo que me tire da situação que me encontro e já está ótimo!  Não tenho mais tempo para investir em uma carreira de sonhos...Porque fiquem avisados: carreira a gente faz até os 30 e poucos anos, depois a gente só tem arrependimentos de escolhas mal-feitas, oportunidades desperdiçadas, etc. Carreira a gente faz quando ainda não tem filhos, quando não tem de se preocupar com divórcio, pensão alimentícia, educação dos filhos, contas a pagar, etc.

Em suma: muitas dúvidas e preocupações. Cansaço mental. Meu plano B, que era trabalhar com a educação de imigrantes aqui na Holanda (inburgering) também foi abortado pois o estágio não deu em nada - não só pra mim, ninguém é contratado depois do período de estágio, descobri que as fundações e escolas simplesmente pegam novos estagiários pra trabalhar de graça de novo. Agora estou tentando visualizar um plano C, coletando informações de cursos e possibilidades no mercado de trabalho. O salário em si nem precisa ser lá essas coisas mas eu preciso fazer algo que goste, sempre fui assim. E ao menos já sei a área em que quero trabalhar: o setor social. O setor financeiro e comercial nunca me atraiu (o que explica muita coisa). Quem manda ser gauche na vida.

To be continued... torçam por mim!

9 comentários:

Liana disse...

to torcendo!

Glenda Dimuro disse...

Oi! Ai na Holanda o governo não oferece cursos para quem está cobrando o seguro desemprego? Nem precisa ser algo muito demorado, mas algum tipo de especialização que lhe permita trabalhar em determinada área (secretariado, por citar um exemplo). Aqui na Espanha tem e muita gente está aproveitando o período de crise para "repensar" suas carreiras!
Outra coisa... eu acho que a gente pode fazer planos com 45 anos sim! Apesar de ter apenas 31, meu marido tem 40 e ainda não estamos estabilizados, nenhum dos dois... e ele segue fazendo planos e sonhando! Há dois anos retomou o trabalho como fotógrafo e agora que está desempregado está voltando a estudar algumas coisas de web... Acho que tudo depende da maneira como vc encara a vida! Lembra daquele ditado: sorria para a vida que ela sorri para vc! Beijos e boa sorte!

Leticiabon disse...

Olá, desejo melhoras e que você consiga conciliar as duas coisas: emprego e fazer o que gosta (a longo prazo). Difícil seria para mim também deixar o orgulho de lado...
Mudando de assunto, te mandei um postal de Brasília no Natal, você recebeu?
Letícia Bonfim

Palavras Vagabundas disse...

Estou torcendo e espero que 2011 seja o ano da sua virada.
abs
Jussara

Anônimo disse...

Oi Beth, que chato viu?
Lembro bem quando estava no trajeto de volta ao mercado de trabalho. Comecei como recepcionista, me passaram pra secretariado (tive RSI) e acabei concluíndo o Assistente administrativo. Aprendi muitas coisas, mas depois foi barra arrumar emprego, me estressei, e mais as crianças pra cuidar, você sabe. Espero que você tenha mais sorte. Abra o leque, quem sabe 'turismo'. Helen está bem contente no booking.com no escritório, mas não sei se seria o seu caso. Boa sorte amiga!

Beth Blue disse...

Glenda, foi-se o tempo em que o governo oferecia cursos pra quem está desempreagado! As prefeituras estão fazendo cortes gerais de custos. Até mesmo funcionários estão sendo demitidos!

Eu moro aqui há 16 anos e sei que antes isso ainda existia! Hoje, a chance de conseguir um desses cursos subsidiados é de 10%. Tem de implorar e justificar muito (eu pedi um curso em outubro e eles negaram por falta de verbas mas vou tentar de novo? pela segunda e última vez)

Beth Blue disse...

Letícia, recebi o postal de Brasília sim, gostei muito! Só não mandei um cartão pra você porque não recebi seu endereço.

Mas ainda está em tempo, manda seu endereço pro meu email, OK? pinheiro_elizabeth@yahoo.com

Maria Valéria disse...

to torcendo pra dar tudo certo...não desanime. beijão

ps: tbem não consegui exatamente ' fazer carreira ' como vc descreveu aí em cima... pelo menos do jeito que eu sonhava... e olha que sou solteira, sem filhos, e se ex marido... hehe!!

Pri Sganzerla disse...

AI COMO EU TE ENTENDOOOOOOOOOO!!! É só isso que eu tenho a dizer. E te desejar força e boa sorte! Porque eu estou às voltas com minhas inquietações sobres planos C, D, E, F, G... Como é complicado! Bjos!

PS Adorei a ideia e vou encomendar e mandar seu gatinho! ;-)

Tecnologia do Blogger.

Plano C

Amanhã completo minha terceira semana de Job Center (trajeto em que fui inscrita pelo orgão do governo que paga meu seguro-desemprego). E a cabeça já deu muitas e muitas voltas por esses dias. Vou fazer a equivalência do meu diploma estrangeiro (Faculdade de Letras) mas mesmo assim terei de procurar um curso profissionalizante qualquer (12 a 18 meses) pra ter chances mínimas de um emprego decente (que não seja de faxineira). A cada dia fica mais óbvio que na Holanda sem papel você não consegue emprego e ponto final. Pensando bem, nunca vi um país onde é preciso papel pra tudo! Pra ser padeiro, jardineiro, motorista de caminhão, mecânico, eletricista, cabelereiro. Pra trabalhar em hotéis, creches, asilos de idosos, centros culturais, abrigos para refugiados, etc. Me pergunto se nos EUA e em outros países europeus também é assim. Porque aqui na Holanda, não basta falar a língua holandesa (eu sou fluente). É preciso obter qualificações em praticamente todos os setores. Caso contrário, não há acesso ao mercado (eu tenho diploma universitário então sei do que estou falando). Então quem pensa em sair do Brasil e vir pra cá, pense duas vezes!


Quem não conhece a minha trajetória talvez pense que estou reclamando de barriga cheia, que em vez de reclamar eu devia era me inscrever logo num desses cursos de especialização . Mas nem tudo é o que parece...Porque estes estudos custam dinheiro que eu não tenho, pra início de conversa. F. ofereceu financiar meus estudos como um investimento a médio e longo prazo. Mas a escolha é muito difícil quando se tem 45 anos e não 25 ou 30 anos! E numa situação ideal, eu queria poder pagar isso sozinha, odeio depender de quem quer que seja, como tem sido nos últimos anos. Não nasci pra ser dependente de homem nem de ninguém. Mas a vida prega peças...

Quanto aos estudos propriamente ditos, F. é da opinião que nunca é tarde para aprender (mais). Eu até concordo, em partes (e eu gosto de estudar e me aperfeiçoar, só não fiz isso porque tinha outras urgências pra resolver na vida pessoal). Chega 2011 e eu não tenho mais todo o tempo do mundo pra me dedicar aos estudos. Eu preciso de algo que me tire da situação que me encontro e já está ótimo!  Não tenho mais tempo para investir em uma carreira de sonhos...Porque fiquem avisados: carreira a gente faz até os 30 e poucos anos, depois a gente só tem arrependimentos de escolhas mal-feitas, oportunidades desperdiçadas, etc. Carreira a gente faz quando ainda não tem filhos, quando não tem de se preocupar com divórcio, pensão alimentícia, educação dos filhos, contas a pagar, etc.

Em suma: muitas dúvidas e preocupações. Cansaço mental. Meu plano B, que era trabalhar com a educação de imigrantes aqui na Holanda (inburgering) também foi abortado pois o estágio não deu em nada - não só pra mim, ninguém é contratado depois do período de estágio, descobri que as fundações e escolas simplesmente pegam novos estagiários pra trabalhar de graça de novo. Agora estou tentando visualizar um plano C, coletando informações de cursos e possibilidades no mercado de trabalho. O salário em si nem precisa ser lá essas coisas mas eu preciso fazer algo que goste, sempre fui assim. E ao menos já sei a área em que quero trabalhar: o setor social. O setor financeiro e comercial nunca me atraiu (o que explica muita coisa). Quem manda ser gauche na vida.

To be continued... torçam por mim!

9 comentários:

Liana disse...

to torcendo!

Glenda Dimuro disse...

Oi! Ai na Holanda o governo não oferece cursos para quem está cobrando o seguro desemprego? Nem precisa ser algo muito demorado, mas algum tipo de especialização que lhe permita trabalhar em determinada área (secretariado, por citar um exemplo). Aqui na Espanha tem e muita gente está aproveitando o período de crise para "repensar" suas carreiras!
Outra coisa... eu acho que a gente pode fazer planos com 45 anos sim! Apesar de ter apenas 31, meu marido tem 40 e ainda não estamos estabilizados, nenhum dos dois... e ele segue fazendo planos e sonhando! Há dois anos retomou o trabalho como fotógrafo e agora que está desempregado está voltando a estudar algumas coisas de web... Acho que tudo depende da maneira como vc encara a vida! Lembra daquele ditado: sorria para a vida que ela sorri para vc! Beijos e boa sorte!

Leticiabon disse...

Olá, desejo melhoras e que você consiga conciliar as duas coisas: emprego e fazer o que gosta (a longo prazo). Difícil seria para mim também deixar o orgulho de lado...
Mudando de assunto, te mandei um postal de Brasília no Natal, você recebeu?
Letícia Bonfim

Palavras Vagabundas disse...

Estou torcendo e espero que 2011 seja o ano da sua virada.
abs
Jussara

Anônimo disse...

Oi Beth, que chato viu?
Lembro bem quando estava no trajeto de volta ao mercado de trabalho. Comecei como recepcionista, me passaram pra secretariado (tive RSI) e acabei concluíndo o Assistente administrativo. Aprendi muitas coisas, mas depois foi barra arrumar emprego, me estressei, e mais as crianças pra cuidar, você sabe. Espero que você tenha mais sorte. Abra o leque, quem sabe 'turismo'. Helen está bem contente no booking.com no escritório, mas não sei se seria o seu caso. Boa sorte amiga!

Beth Blue disse...

Glenda, foi-se o tempo em que o governo oferecia cursos pra quem está desempreagado! As prefeituras estão fazendo cortes gerais de custos. Até mesmo funcionários estão sendo demitidos!

Eu moro aqui há 16 anos e sei que antes isso ainda existia! Hoje, a chance de conseguir um desses cursos subsidiados é de 10%. Tem de implorar e justificar muito (eu pedi um curso em outubro e eles negaram por falta de verbas mas vou tentar de novo? pela segunda e última vez)

Beth Blue disse...

Letícia, recebi o postal de Brasília sim, gostei muito! Só não mandei um cartão pra você porque não recebi seu endereço.

Mas ainda está em tempo, manda seu endereço pro meu email, OK? pinheiro_elizabeth@yahoo.com

Maria Valéria disse...

to torcendo pra dar tudo certo...não desanime. beijão

ps: tbem não consegui exatamente ' fazer carreira ' como vc descreveu aí em cima... pelo menos do jeito que eu sonhava... e olha que sou solteira, sem filhos, e se ex marido... hehe!!

Pri Sganzerla disse...

AI COMO EU TE ENTENDOOOOOOOOOO!!! É só isso que eu tenho a dizer. E te desejar força e boa sorte! Porque eu estou às voltas com minhas inquietações sobres planos C, D, E, F, G... Como é complicado! Bjos!

PS Adorei a ideia e vou encomendar e mandar seu gatinho! ;-)