domingo, maio 12, 2013

A Europa não é só crise...





Como alguns talvez tenham percebido, ando muito desanimada com o blog....mas não quero abandonar meu cantinho virtual por falta de interação com os leitores até porque, sei que muitos ainda lêem, e apesar dos poucos comentários, o número de visitas diárias não diminuiu! Ou seja, muitos lêem mas são raros os que comentam nos tempos de hoje. E acredito que isso também esteja acontecendo com outros blogueiros. Verdade seja dita: é mais fácil dar Like e Share no Facebook né, gente? Sem falar que tem blog de todo tipo pra todo gosto e percebo que as pessoas tendem a buscar assuntos leves e frugais. E o meu blog sempre teve outro conteúdo (quem lê sabe disso). Eu falo de livros, filmes, experiências, etc. Não tenho saco pra ficar contando casos e fazendo piadinhas, nem escrevo textos curtos pra serem lidos rapidamente. Eu simplesmente escrevo e ponto final.

Mas chega de reclamar (!) e voltemos ao tema deste post...ontem li um artigo muito interessante sobre a Europa, onde o autor comentava que nem tudo é tão ruim como parece, que crise ou não, a Europa ainda é um lugar bom de se viver. E a verdade é que é mesmo. Apesar da crise, do desemprego, da estagnação da indústria e da economia, etc etc etc, a Europa ainda tem um padrão de vida acessível a poucos em outros continentes (África e América do Sul pra início de conversa).

Muitas conquistas sociais daqui, que durante anos ninguém parou para pensar (porque os holandeses não conheciam outra realidade que não a do welfare state)  ainda são apenas sonho em muitos países. E aí pensei no Brasil e na China, dois países vivendo o tal booming econômico. E lembrei da enorme desigualdade social. Então nem preciso dizer mais nada, né? Como disse George Orwell no excelente Animal Farm: "Some are more equal than others". E apesar de adorar o Brasil e sentir saudade de muita coisa, não tenho a menor ilusão de que a vida lá seja fácil pra todo mundo. Porque não é mesmo. A classe média pode ter aumentado mas em geral, as pessoas ainda trabalham muito e pagam muito pelos bens de consumo. Fiquei chocada com os preços quando estive no Rio em 2011 (tudo bem que Rio e São Paulo são as cidades mais caras do Brasil mas mesmo assim). Até supermercado hoje em dia é mais barato aqui na Holanda. Pão, leite, shampoo etc. Sem brincadeira, tenho amigas que vão ao Brasil e levam a mala cheia de shampoos, desodorantes, etc. Em 2011 entendi porque. Sem falar que nunca irei entender porque cargas dá'água um iPad ou Xbox ou Play Station custa mais do que o dobro no Brasil do que aqui (tarifas de importação?). Sai mais em conta viajar pra Miami ou Nova Iorque e comprar tudo lá!

Voltando à Europa, durante décadas os europeus, principalmente os Europeus do norte (Alemanha, Holanda e Escandinávia, mas também França e Inglaterra), viveram uma vida confortável com um certo grau de segurança oferecida pelo governo. Um governo que, bem ou mal, sempre cuidou dos seus cidadãos. Um exemplo? Mãe solteira aqui na Holanda sobrevive (mal mas sobrevive). Mesmo desempregada, ela recebe um auxílio mensal (uma espécie de bolsa desemprego) e vários subsídios (aluguel, plano de saúde, etc). Eu sei disso por experiência própria. Agora imaginem esta mesma situação no Brasil: como uma mãe solteira sem emprego sobrevive? Ela precisa recorrer à família, que com alguma sorte talvez possa oferecer ajuda (ou não). Aqui ao menos as pessoas em situação precária podem contar com o governo. Claro que tem havido cortes em muitos setores, como educação e saúde mas a verdade é que o governo gastou muito durante muito tempo (sem falar nas inúmeras fraudes que volta e meia aparecem nos jornais). E um dia a "mamata" acaba, né? (me pergunto se "mamata" ainda é palavra usada no Brasil, meu vocabulário é de quase 20 anos atrás, rsrsrsrs).

O engraçado é que quanto mais tempo a gente mora na Europa, mais a gente se acostuma com isso tudo. E claro, quando a ajuda diminui (e dimunui mesmo, inevitavelmente) a gente reclama igual holandês que sempre reclamou de tudo! Eu moro há quase 20 anos na Holanda e me pego reclamando às vezes. Aí vejo brasileiros que se mudaram há menos de 3 anos pra Europa (Holanda, Alemanha, França) e noto como eles ainda sabem dar valor as coisas que eu nem mais paro para considerar! Eles ainda estão naquela fase de admiração por tudo que (ainda) funciona neste velho continente, crise ou não. E estão mais do que certos.

Em suma, é tudo uma questão de perspectiva.

6 comentários:

Eliana disse...

É Beth, a sua perspectiva faz todo sentido. Crise: depende. rs Eu ousaria dizer que é melhor Europa com crise do que no Brasil com progresso econômico! rs A encomenda da minha mãe pra quando eu for: lembrar de levar filtros de papel pra cafeteira hahaha
Uma amiga está de mudança de SP pra Fortaleza e está buscando um lugar pra alugar pra morar...sabe o que pediram??? 50 mil reais por duas semanas! Tudo por conta agora do eventos...pra mim o povo perdeu a noção das coisas...e ela desesperada porque tá indo pra morar e tão achando que ela é turista cheia da grana...tem condição? Veremos daqui uns anos...Ahhh Feliz dia das mães!!!

NBA disse...

Oi Beth, gosto de ler seu blog não nos abandone;-) Essa questão de crise na Europa e o Brasil e a China estarem num bom momento acredito que depende da condição social de cada um. Das x que fui à Holanda em relação ao Brasil, na minha opinião aí tudo funciona melhor. Isso do Brasil estar crescendo é o que eu estava conversando ainda ontem com um colega, aqui carro sendo vendido em 60 x sem entrada e cartões de crédito e lojas parcelando em até 18 x a galera compra msm, eu quero ver é daqui uns 10 anos que acredito que a economia do Brasil vá pras cucuias. E falando sobre os holandeses realmente reclamam de tudo e de barriga cheia, qro ver é passarem metade dos perrengues que nós brasileiros conseguimos suportar.

Jovita Capitão disse...

Excelente post! Acho que faz todo o sentido continuar a escrever porque escreve muito bem e com assuntos bem interessantes. Quanto ao tema principal "crise" apesar de não ser fácil existem sempre soluções que podemos encontrar se formos empreendedores e se tivermos facilidade de adaptação. Também acho que é uma questão de perspectiva, mas a luta é imensa. Um passo de cada vez, a cada dia.

http://rainhadasinsonias.blogspot.pt/

Marcela disse...

Oi Beth, eu sou uma das que leem o seu blog e não comenta, na verdade nunca comentei. Eu gosto de ler suas reflexões, você escreve muito bem. Não sei porque não comentei antes, mas esse post me deu liberdade de vir dar as caras.

Agora comentando sobre a crise: eu não posso falar muito pois acompanho a vida na Europa de longe, apesar de já ter feito intercâmbio aqui por um ano, e, atualmente estar morando aqui de novo. Eu concordo que os preços no Brasil são altíssimos, e não é só no Rio e SP não. Lá é mais, mas BH também não fica atrás dessas duas. Eu acho muito mais barato fazer supermercado na Alemanha, comprar roupas aqui, do que no Brasil! E olha que estou pagando em euros, hein. Apesar da crise na Europa as pessoas vivem com muito mais segurança e conforto do que no Brasil, isso é fato.

beijos

Liana disse...

Oi Beth. Quanto tempo! Eu sou uma dessas que sempre vem aqui ler seus posts e nem sempre comento. Não porque seja mais fácil dar Like no facebook, porque nunca faço isso tambem nao. Eu nem sempre comento pq nem sempre tenho a ideia já pronta na minha cabeça do que comentar. Outro dia, pode acreditar, estava aqui cozinhando e me lembrando de um post seu. Tipo, fiquei pensando depois. Eu curto teu blog, teus textos, tuas experiências e tuas opiniões. Uma pessoa que já mora há tanto tempo na Europa com certeza tem outra visão que eu ainda não cheguei lá e quero saber dessa perspectiva tambem :)
Mas enfim. Europa não é só crise. É verdade, APESAR da crise, aqui ainda tem muita coisa boa que no Brasil é dificil de ter. Outro dia eu postei na pagina do meu blog no Facebook dizendo que estava impressionada como uma camera nova que comprei por 400 francos, no Brasil custa 3 mil reais! E aí me veio um comentário que me fez pensar, que dizia assim: é por isso que tem muita gente que prefere ir pra Europa ser "peão" do que ser executivo no Brasil. E olha... é a mais pura verdade! É lamentável, mas a situação é essa mesma. Eu as vezes fico meio admirada como pessoas com formação no Brasil que lá são sei lá advogadas ou trabalham em escritorio e tal, vem pra cá pra fazer faxina. Po! Se no Brasil tu não faz isso, porque vem pra cá pra fazer, sabe? É aquela coisa do quanto a pessoa tem que se submeter pra ter o que quer. E a questão fica: vale mesmo a pena? Depois fica aquele gap no curriculo e ai ne? Quer voltar a trabalhar e ai o tempo ja passou, ja perdeu experiencia, enfim.
Aqui na Suiça o eco da crise chega de leve. Crise crise não há, mas há um certo hold up, é o que se percebe. Não se ve assim muitos aumentos de salários, por exemplo. Mas demissão e falta de emprego ainda não chegou por aqui. A Suiça tem sorte de não fazer parte da UE e termina ficando meio isolada nas questões do continente. Aqui as lojas e o comercio continuam cheios, o que é um reflexo da economia, acredito eu. Pra mim, mesmo agora com filho - o que apertou muito ne, vc deve saber - ainda vale muito a pena viver aqui. O outro lado da moeda compensa, isto é, a qualidade de vida. E os apertos, como vc disse, têm ajuda do governo. Aqui eu vou receber ajuda do governo pra pagar a creche do meu filho quando eu voltar a trabalhar. Graças a Deus! Já no Brasil... quando isso ia acontecer? Eu teria que recorrer a uma baba qualquer, alguem da família. Enfim. São essas coisinhas que terminam no final pesando na balança e fazendo a diferença. Podemos aproveitar muito o outro lado, porque a qualidade de vida, pra mim no momento, é o que mais importa.
um abraço e continua escrevendo :)

Isabel Souza disse...

Boa noite Beth gosto muito do seu blog, nunca lhe escrevi mas sempre passo para ler as novidades...
Eu tenho a nacionalidade holandesa tambem mas mor no Brasil. a coisa esta` ficando problematica por aqui e estou seriamente pensando em ir morar na Holanda. Mas adotei minha filha de dois anos e sou solteira e sozinha. A minha pergunta e`: Como procurar ajuda na Holanda, vou precisar de tudo, casa, creche, trabalho , por onde devo comecar. Me da` uma luz vai !!!
Muita luz no seu caminho.
Isabel

Tecnologia do Blogger.

A Europa não é só crise...





Como alguns talvez tenham percebido, ando muito desanimada com o blog....mas não quero abandonar meu cantinho virtual por falta de interação com os leitores até porque, sei que muitos ainda lêem, e apesar dos poucos comentários, o número de visitas diárias não diminuiu! Ou seja, muitos lêem mas são raros os que comentam nos tempos de hoje. E acredito que isso também esteja acontecendo com outros blogueiros. Verdade seja dita: é mais fácil dar Like e Share no Facebook né, gente? Sem falar que tem blog de todo tipo pra todo gosto e percebo que as pessoas tendem a buscar assuntos leves e frugais. E o meu blog sempre teve outro conteúdo (quem lê sabe disso). Eu falo de livros, filmes, experiências, etc. Não tenho saco pra ficar contando casos e fazendo piadinhas, nem escrevo textos curtos pra serem lidos rapidamente. Eu simplesmente escrevo e ponto final.

Mas chega de reclamar (!) e voltemos ao tema deste post...ontem li um artigo muito interessante sobre a Europa, onde o autor comentava que nem tudo é tão ruim como parece, que crise ou não, a Europa ainda é um lugar bom de se viver. E a verdade é que é mesmo. Apesar da crise, do desemprego, da estagnação da indústria e da economia, etc etc etc, a Europa ainda tem um padrão de vida acessível a poucos em outros continentes (África e América do Sul pra início de conversa).

Muitas conquistas sociais daqui, que durante anos ninguém parou para pensar (porque os holandeses não conheciam outra realidade que não a do welfare state)  ainda são apenas sonho em muitos países. E aí pensei no Brasil e na China, dois países vivendo o tal booming econômico. E lembrei da enorme desigualdade social. Então nem preciso dizer mais nada, né? Como disse George Orwell no excelente Animal Farm: "Some are more equal than others". E apesar de adorar o Brasil e sentir saudade de muita coisa, não tenho a menor ilusão de que a vida lá seja fácil pra todo mundo. Porque não é mesmo. A classe média pode ter aumentado mas em geral, as pessoas ainda trabalham muito e pagam muito pelos bens de consumo. Fiquei chocada com os preços quando estive no Rio em 2011 (tudo bem que Rio e São Paulo são as cidades mais caras do Brasil mas mesmo assim). Até supermercado hoje em dia é mais barato aqui na Holanda. Pão, leite, shampoo etc. Sem brincadeira, tenho amigas que vão ao Brasil e levam a mala cheia de shampoos, desodorantes, etc. Em 2011 entendi porque. Sem falar que nunca irei entender porque cargas dá'água um iPad ou Xbox ou Play Station custa mais do que o dobro no Brasil do que aqui (tarifas de importação?). Sai mais em conta viajar pra Miami ou Nova Iorque e comprar tudo lá!

Voltando à Europa, durante décadas os europeus, principalmente os Europeus do norte (Alemanha, Holanda e Escandinávia, mas também França e Inglaterra), viveram uma vida confortável com um certo grau de segurança oferecida pelo governo. Um governo que, bem ou mal, sempre cuidou dos seus cidadãos. Um exemplo? Mãe solteira aqui na Holanda sobrevive (mal mas sobrevive). Mesmo desempregada, ela recebe um auxílio mensal (uma espécie de bolsa desemprego) e vários subsídios (aluguel, plano de saúde, etc). Eu sei disso por experiência própria. Agora imaginem esta mesma situação no Brasil: como uma mãe solteira sem emprego sobrevive? Ela precisa recorrer à família, que com alguma sorte talvez possa oferecer ajuda (ou não). Aqui ao menos as pessoas em situação precária podem contar com o governo. Claro que tem havido cortes em muitos setores, como educação e saúde mas a verdade é que o governo gastou muito durante muito tempo (sem falar nas inúmeras fraudes que volta e meia aparecem nos jornais). E um dia a "mamata" acaba, né? (me pergunto se "mamata" ainda é palavra usada no Brasil, meu vocabulário é de quase 20 anos atrás, rsrsrsrs).

O engraçado é que quanto mais tempo a gente mora na Europa, mais a gente se acostuma com isso tudo. E claro, quando a ajuda diminui (e dimunui mesmo, inevitavelmente) a gente reclama igual holandês que sempre reclamou de tudo! Eu moro há quase 20 anos na Holanda e me pego reclamando às vezes. Aí vejo brasileiros que se mudaram há menos de 3 anos pra Europa (Holanda, Alemanha, França) e noto como eles ainda sabem dar valor as coisas que eu nem mais paro para considerar! Eles ainda estão naquela fase de admiração por tudo que (ainda) funciona neste velho continente, crise ou não. E estão mais do que certos.

Em suma, é tudo uma questão de perspectiva.

6 comentários:

Eliana disse...

É Beth, a sua perspectiva faz todo sentido. Crise: depende. rs Eu ousaria dizer que é melhor Europa com crise do que no Brasil com progresso econômico! rs A encomenda da minha mãe pra quando eu for: lembrar de levar filtros de papel pra cafeteira hahaha
Uma amiga está de mudança de SP pra Fortaleza e está buscando um lugar pra alugar pra morar...sabe o que pediram??? 50 mil reais por duas semanas! Tudo por conta agora do eventos...pra mim o povo perdeu a noção das coisas...e ela desesperada porque tá indo pra morar e tão achando que ela é turista cheia da grana...tem condição? Veremos daqui uns anos...Ahhh Feliz dia das mães!!!

NBA disse...

Oi Beth, gosto de ler seu blog não nos abandone;-) Essa questão de crise na Europa e o Brasil e a China estarem num bom momento acredito que depende da condição social de cada um. Das x que fui à Holanda em relação ao Brasil, na minha opinião aí tudo funciona melhor. Isso do Brasil estar crescendo é o que eu estava conversando ainda ontem com um colega, aqui carro sendo vendido em 60 x sem entrada e cartões de crédito e lojas parcelando em até 18 x a galera compra msm, eu quero ver é daqui uns 10 anos que acredito que a economia do Brasil vá pras cucuias. E falando sobre os holandeses realmente reclamam de tudo e de barriga cheia, qro ver é passarem metade dos perrengues que nós brasileiros conseguimos suportar.

Jovita Capitão disse...

Excelente post! Acho que faz todo o sentido continuar a escrever porque escreve muito bem e com assuntos bem interessantes. Quanto ao tema principal "crise" apesar de não ser fácil existem sempre soluções que podemos encontrar se formos empreendedores e se tivermos facilidade de adaptação. Também acho que é uma questão de perspectiva, mas a luta é imensa. Um passo de cada vez, a cada dia.

http://rainhadasinsonias.blogspot.pt/

Marcela disse...

Oi Beth, eu sou uma das que leem o seu blog e não comenta, na verdade nunca comentei. Eu gosto de ler suas reflexões, você escreve muito bem. Não sei porque não comentei antes, mas esse post me deu liberdade de vir dar as caras.

Agora comentando sobre a crise: eu não posso falar muito pois acompanho a vida na Europa de longe, apesar de já ter feito intercâmbio aqui por um ano, e, atualmente estar morando aqui de novo. Eu concordo que os preços no Brasil são altíssimos, e não é só no Rio e SP não. Lá é mais, mas BH também não fica atrás dessas duas. Eu acho muito mais barato fazer supermercado na Alemanha, comprar roupas aqui, do que no Brasil! E olha que estou pagando em euros, hein. Apesar da crise na Europa as pessoas vivem com muito mais segurança e conforto do que no Brasil, isso é fato.

beijos

Liana disse...

Oi Beth. Quanto tempo! Eu sou uma dessas que sempre vem aqui ler seus posts e nem sempre comento. Não porque seja mais fácil dar Like no facebook, porque nunca faço isso tambem nao. Eu nem sempre comento pq nem sempre tenho a ideia já pronta na minha cabeça do que comentar. Outro dia, pode acreditar, estava aqui cozinhando e me lembrando de um post seu. Tipo, fiquei pensando depois. Eu curto teu blog, teus textos, tuas experiências e tuas opiniões. Uma pessoa que já mora há tanto tempo na Europa com certeza tem outra visão que eu ainda não cheguei lá e quero saber dessa perspectiva tambem :)
Mas enfim. Europa não é só crise. É verdade, APESAR da crise, aqui ainda tem muita coisa boa que no Brasil é dificil de ter. Outro dia eu postei na pagina do meu blog no Facebook dizendo que estava impressionada como uma camera nova que comprei por 400 francos, no Brasil custa 3 mil reais! E aí me veio um comentário que me fez pensar, que dizia assim: é por isso que tem muita gente que prefere ir pra Europa ser "peão" do que ser executivo no Brasil. E olha... é a mais pura verdade! É lamentável, mas a situação é essa mesma. Eu as vezes fico meio admirada como pessoas com formação no Brasil que lá são sei lá advogadas ou trabalham em escritorio e tal, vem pra cá pra fazer faxina. Po! Se no Brasil tu não faz isso, porque vem pra cá pra fazer, sabe? É aquela coisa do quanto a pessoa tem que se submeter pra ter o que quer. E a questão fica: vale mesmo a pena? Depois fica aquele gap no curriculo e ai ne? Quer voltar a trabalhar e ai o tempo ja passou, ja perdeu experiencia, enfim.
Aqui na Suiça o eco da crise chega de leve. Crise crise não há, mas há um certo hold up, é o que se percebe. Não se ve assim muitos aumentos de salários, por exemplo. Mas demissão e falta de emprego ainda não chegou por aqui. A Suiça tem sorte de não fazer parte da UE e termina ficando meio isolada nas questões do continente. Aqui as lojas e o comercio continuam cheios, o que é um reflexo da economia, acredito eu. Pra mim, mesmo agora com filho - o que apertou muito ne, vc deve saber - ainda vale muito a pena viver aqui. O outro lado da moeda compensa, isto é, a qualidade de vida. E os apertos, como vc disse, têm ajuda do governo. Aqui eu vou receber ajuda do governo pra pagar a creche do meu filho quando eu voltar a trabalhar. Graças a Deus! Já no Brasil... quando isso ia acontecer? Eu teria que recorrer a uma baba qualquer, alguem da família. Enfim. São essas coisinhas que terminam no final pesando na balança e fazendo a diferença. Podemos aproveitar muito o outro lado, porque a qualidade de vida, pra mim no momento, é o que mais importa.
um abraço e continua escrevendo :)

Isabel Souza disse...

Boa noite Beth gosto muito do seu blog, nunca lhe escrevi mas sempre passo para ler as novidades...
Eu tenho a nacionalidade holandesa tambem mas mor no Brasil. a coisa esta` ficando problematica por aqui e estou seriamente pensando em ir morar na Holanda. Mas adotei minha filha de dois anos e sou solteira e sozinha. A minha pergunta e`: Como procurar ajuda na Holanda, vou precisar de tudo, casa, creche, trabalho , por onde devo comecar. Me da` uma luz vai !!!
Muita luz no seu caminho.
Isabel