sexta-feira, abril 16, 2010

A escola especial

E nem falei nos inúmeros problemas que venho enfrentando com a escola do meu filho. Terça passada teve reunião na escola, depois tive uma conversa de meia-hora com o novo diretor ínterim. Diga-se de passagem, o terceiro em menos de 2 anos.

Como mãe a gente sempre deseja o melhor para os filhos (e eu só tenho um, então já viu). Mas a escola especial onde ele está matriculado há 3 anos tem passado por vários problemas, há cerca de 2 anos. Mudança de diretoria, inspeções de funcionários de educação, novas medidas e planos de ação. Enfim, muita coisa errada e quem sofre com isso, claro, são os alunos. Basta dizer que se dependesse de mim eu teria tirado o meu filho ano passado da escola. Só não tirei porque é preciso autorização para colocar uma criança na escola especial, e autorização pra retirar a criança de lá. Um processo longo e tortuoso, como muitos processos aqui na Holanda.

Só digo que ano passado meu filho teve o azar de cair na pior turma. Uma turma que conseguiu expulsar 4 professoras em 6 meses (uma delas saiu da sala de aula aos prantos). Até a diretora dançou no meio da crise, sem falar que a pedagoga (orientadora) também pediu demissão. Foi muito feio. E até hoje me pergunto como é que pode fazer uma coisa destas: colocar em uma MESMA TURMA crianças com graves distúrbios de comportamento (comportamento agressivo e antissocial) e crianças autistas e outras crianças especiais. Obviamente, quem acaba pagando o pato são as crianças autistas e com distúrbios de atenção. Até polícia deu na escola ano passado, e foram várias visitas. Crianças que saem batendo e destruindo tudo que vem pela frente, aquilo parecia um centro de proteção ao menor abandonado ou instituição juvenil...E os pais dessas crianças são piores, não é à toa que elas apresentam este comportamento. Um quadro inquietante.

Enfim, acabamos de sair de um período muito difícil, felizmente desde setembro Liam tem uma nova turma e a professora é ótima e muito experiente. Ela tem conseguido manter tudo sobre controle e espero que continue assim. Sem falar que finalmente decidiram (antes tarde do que nunca) separar os grupos. Crianças problemáticas numa turma, crianças autistas ou com outros distúrbios emocionais em outra. Até agora tem funcionado.

Não é fácil ser mãe...

1 comentários:

Maria Valéria disse...

Bethinha, sei exatamente como é nesse negócio de ser rotulado erroneamente, mesmo não sendo mãe. Detesto isso, e dou CRTL C + CRTL V no que vc postou, é um saco. Só espero que a situação melhore e tudo dê certo pra vc e pro seu menino!!!Um enorme pensamento positivo pra escola ser bacana esse ano pro seu menino :)

Tecnologia do Blogger.

A escola especial

E nem falei nos inúmeros problemas que venho enfrentando com a escola do meu filho. Terça passada teve reunião na escola, depois tive uma conversa de meia-hora com o novo diretor ínterim. Diga-se de passagem, o terceiro em menos de 2 anos.

Como mãe a gente sempre deseja o melhor para os filhos (e eu só tenho um, então já viu). Mas a escola especial onde ele está matriculado há 3 anos tem passado por vários problemas, há cerca de 2 anos. Mudança de diretoria, inspeções de funcionários de educação, novas medidas e planos de ação. Enfim, muita coisa errada e quem sofre com isso, claro, são os alunos. Basta dizer que se dependesse de mim eu teria tirado o meu filho ano passado da escola. Só não tirei porque é preciso autorização para colocar uma criança na escola especial, e autorização pra retirar a criança de lá. Um processo longo e tortuoso, como muitos processos aqui na Holanda.

Só digo que ano passado meu filho teve o azar de cair na pior turma. Uma turma que conseguiu expulsar 4 professoras em 6 meses (uma delas saiu da sala de aula aos prantos). Até a diretora dançou no meio da crise, sem falar que a pedagoga (orientadora) também pediu demissão. Foi muito feio. E até hoje me pergunto como é que pode fazer uma coisa destas: colocar em uma MESMA TURMA crianças com graves distúrbios de comportamento (comportamento agressivo e antissocial) e crianças autistas e outras crianças especiais. Obviamente, quem acaba pagando o pato são as crianças autistas e com distúrbios de atenção. Até polícia deu na escola ano passado, e foram várias visitas. Crianças que saem batendo e destruindo tudo que vem pela frente, aquilo parecia um centro de proteção ao menor abandonado ou instituição juvenil...E os pais dessas crianças são piores, não é à toa que elas apresentam este comportamento. Um quadro inquietante.

Enfim, acabamos de sair de um período muito difícil, felizmente desde setembro Liam tem uma nova turma e a professora é ótima e muito experiente. Ela tem conseguido manter tudo sobre controle e espero que continue assim. Sem falar que finalmente decidiram (antes tarde do que nunca) separar os grupos. Crianças problemáticas numa turma, crianças autistas ou com outros distúrbios emocionais em outra. Até agora tem funcionado.

Não é fácil ser mãe...

1 comentários:

Maria Valéria disse...

Bethinha, sei exatamente como é nesse negócio de ser rotulado erroneamente, mesmo não sendo mãe. Detesto isso, e dou CRTL C + CRTL V no que vc postou, é um saco. Só espero que a situação melhore e tudo dê certo pra vc e pro seu menino!!!Um enorme pensamento positivo pra escola ser bacana esse ano pro seu menino :)