sábado, abril 03, 2010

Vida de casal, vida de solteira


Ontem à noite estava com este post na cabeça. Então resolvi escrever logo antes que outros pensamentos tomem conta desta mente sempre inquieta. Desde pequena questiono aos outros e a mim mesma, e tenho o (mau) hábito de questionar algumas verdades. O que falta é tempo pra contar por aqui tudo que passa pela minha cabeça...Pensando bem, é melhor assim!

Pois ontem li algo não sei mais onde e pensei: o importante é ser feliz consigo mesmo - sozinha ou acompanhada! A melhor e mais fiel companhia que temos em toda a nossa vida é nós mesmos. Tem gente que foge desta verdade como o diabo da cruz...uma pena, porque no final das contas, não se pode fugir de si mesmo (e quando a gente faz isso, na maioria dos casos acaba mesmo é arrumando sarna pra se coçar, ao estilo antes só do que mal acompanhado).

Eu desconfio que o segredo de ser feliz junto é saber ser feliz sozinho! Foi assim no meu caso, como expliquei aqui. Depois do divórcio, eu fiquei no meu canto quietinha refazendo a vida e colando os cacos (e feliz com a fase solteira). Mas o destino quis mudar meus planos e agora vivo uma vidinha de casal há quase 3 anos, embora a gente não more junto e nem tenha planos de fazê-lo (eu disse que gosto de questionar as verdades, não disse?). Amor é jóia rara de se encontrar, então quando dá certo a gente deixa como está. Melhor não mexer em time que está ganhando, né?

Voltando ao ponto principal o que eu queria dizer é que sei ser feliz sozinha, sim senhor! Tenho interesses o suficiente nesta vida pra não precisar que outro me complete. Ou que outro seja a razão do meu viver. A vida a dois pode ser muita boa (e geralmente tem sido) mas relacionamento dá trabalho e às vezes me pego pensando que viver só é muito mais fácil (e, de certa forma, é mesmo). Manter um relacionamento saudável exige esforços de ambas as partes. Não aqueles esforços hercúleos de cismar de querer o que não pode ser mudado e insistir na furada (isso é assunto pra outro post). Infelizmente, tem casal que se esforça muito pra ficar junto meramente por medo de ficar sozinho. São casais que preferem viver na infelicidade que conhecem do que arriscar uma felicidade desconhecida.

Eu nunca sonhei com príncipe encantado no cavalo branco nem nunca sonhei em casar e ter filhos. E sinceramente, acho que nós mulheres - e isso vale tanto para as solteiras como para as casadas - devemos aprender que não precisamos de ninguém para viver...não precisamos de ninguém para nos dizer como ser feliz e muito menos para completar nossas vidas. Nós somos (ou deveríamos ser) as únicas responsáveis pela nossa própria felicidade. Dividir esta felicidade e plenitude (muitas vezes conquistadas a duras penas) com outra pessoa é diferente de buscar a felicidade no outro. Prefiro acreditar na união de duas pessoas completas do que em uma união de duas metades que se completam...se é que alguém entende onde quero chegar.

Sem falar que mulheres que sabem ser feliz sem um companheiro mais cedo ou mais tarde acabam encontrando companhia, uma daquelas ironias da vida. Porque elas atraem em vez de assustar o possível pretendente...E sim, isso parece artigo de revista feminina mas é assim mesmo. Papo mulherzinha.

Mas agora vou desligar o computador, me vestir e pegar o trem pra passar o fim-de-semana com o namorado, rsrsrsrs. Porque eu gosto da minha solidão mas também sei apreciar a companhia de quem me ama. Enfim, sou feliz sozinha ou acompanhada.

6 comentários:

Albuq disse...

Oi Beth, estava lendo o teu post e reletindo sobre minha vida de solteira. Confesso que queria ter filhos e casar, mas, não sei como seria isso, tendo em vista que tenho uma vida muito acomodada.
Gosto muito da liberdade de solteira e sou feliz nesta vida, mas, tenho vontade de repente de ter uma companhia sabe, de ter por quem esperar digamos, não que seja uma necessidade, mas, um brinde digamos assim. Bem, adorei teu post, me identifiquei total kkkk

bjs e óooooooooooooootimo fds namorando!

Matutante disse...

Oi. Cheguei até aqui seguindo um post da Tânia, do Elos e nós. Ela está corretíssima: seu blog é uma delicía de acompanhar, o que farei a partir de hoje.

Um abraço,
Eva.

Maria Valéria disse...

Amei seu texto! tem tudo a ver com o momento que estou vivendo agora. Uma vida de solteira, mas as vezes com a companhia de alguem especial. Só começou a ficar bom quando parei de cobrar de mim, e dele, que evoluisse p/ namoro serio. Talvez não tenha que ser.O importante é que sei que me basto sozinha, e qdo isso acontece... a pessoa aparece!rs.
Nada parece ser definitivo, se não for essa pessoa o amor da minha vida, ok, uma hora acharei o meu( ou não), mas simplesmente parei de procurar... parei de me desesperar por isso, e é tão melhor assim!A vida é feita de pequenos momentos felizes, e é nesses que devemos nos apegar pra um dia olhar ´pra tras e dizer" putz, valeu a pena..." beijos do outro lado do mundo.

Ma disse...

Vc tem toda a razão, Beth! É difícil alcançar esse momento de paz consigo mesma e com a vida, mas quando estou nessa fase (confesso q entro e saio dela...) é ótimo! bjs

Pri disse...

É essa leveza que eu persigo sempre! O importante é ser feliz ao colocar a cabeça no travesseiro. Independente de estarmos sós ou acompanhadas. Quando a felicidade vem de dentro fica mais fácil atrairmos quem esteja na mesma sintonia. Seja feliz!!! Bjos!

Anônimo disse...

casei ,nao tive filhos por opçao ,curto o casamento como era antes ,amizade colorida,nao cobro nao sou cobrada ,sou senhora do meu destino ,continuo casada e livre,e amo essa vidinha boa e boba sem caras e bocas.beijinhos vanelia

Tecnologia do Blogger.

Vida de casal, vida de solteira


Ontem à noite estava com este post na cabeça. Então resolvi escrever logo antes que outros pensamentos tomem conta desta mente sempre inquieta. Desde pequena questiono aos outros e a mim mesma, e tenho o (mau) hábito de questionar algumas verdades. O que falta é tempo pra contar por aqui tudo que passa pela minha cabeça...Pensando bem, é melhor assim!

Pois ontem li algo não sei mais onde e pensei: o importante é ser feliz consigo mesmo - sozinha ou acompanhada! A melhor e mais fiel companhia que temos em toda a nossa vida é nós mesmos. Tem gente que foge desta verdade como o diabo da cruz...uma pena, porque no final das contas, não se pode fugir de si mesmo (e quando a gente faz isso, na maioria dos casos acaba mesmo é arrumando sarna pra se coçar, ao estilo antes só do que mal acompanhado).

Eu desconfio que o segredo de ser feliz junto é saber ser feliz sozinho! Foi assim no meu caso, como expliquei aqui. Depois do divórcio, eu fiquei no meu canto quietinha refazendo a vida e colando os cacos (e feliz com a fase solteira). Mas o destino quis mudar meus planos e agora vivo uma vidinha de casal há quase 3 anos, embora a gente não more junto e nem tenha planos de fazê-lo (eu disse que gosto de questionar as verdades, não disse?). Amor é jóia rara de se encontrar, então quando dá certo a gente deixa como está. Melhor não mexer em time que está ganhando, né?

Voltando ao ponto principal o que eu queria dizer é que sei ser feliz sozinha, sim senhor! Tenho interesses o suficiente nesta vida pra não precisar que outro me complete. Ou que outro seja a razão do meu viver. A vida a dois pode ser muita boa (e geralmente tem sido) mas relacionamento dá trabalho e às vezes me pego pensando que viver só é muito mais fácil (e, de certa forma, é mesmo). Manter um relacionamento saudável exige esforços de ambas as partes. Não aqueles esforços hercúleos de cismar de querer o que não pode ser mudado e insistir na furada (isso é assunto pra outro post). Infelizmente, tem casal que se esforça muito pra ficar junto meramente por medo de ficar sozinho. São casais que preferem viver na infelicidade que conhecem do que arriscar uma felicidade desconhecida.

Eu nunca sonhei com príncipe encantado no cavalo branco nem nunca sonhei em casar e ter filhos. E sinceramente, acho que nós mulheres - e isso vale tanto para as solteiras como para as casadas - devemos aprender que não precisamos de ninguém para viver...não precisamos de ninguém para nos dizer como ser feliz e muito menos para completar nossas vidas. Nós somos (ou deveríamos ser) as únicas responsáveis pela nossa própria felicidade. Dividir esta felicidade e plenitude (muitas vezes conquistadas a duras penas) com outra pessoa é diferente de buscar a felicidade no outro. Prefiro acreditar na união de duas pessoas completas do que em uma união de duas metades que se completam...se é que alguém entende onde quero chegar.

Sem falar que mulheres que sabem ser feliz sem um companheiro mais cedo ou mais tarde acabam encontrando companhia, uma daquelas ironias da vida. Porque elas atraem em vez de assustar o possível pretendente...E sim, isso parece artigo de revista feminina mas é assim mesmo. Papo mulherzinha.

Mas agora vou desligar o computador, me vestir e pegar o trem pra passar o fim-de-semana com o namorado, rsrsrsrs. Porque eu gosto da minha solidão mas também sei apreciar a companhia de quem me ama. Enfim, sou feliz sozinha ou acompanhada.

6 comentários:

Albuq disse...

Oi Beth, estava lendo o teu post e reletindo sobre minha vida de solteira. Confesso que queria ter filhos e casar, mas, não sei como seria isso, tendo em vista que tenho uma vida muito acomodada.
Gosto muito da liberdade de solteira e sou feliz nesta vida, mas, tenho vontade de repente de ter uma companhia sabe, de ter por quem esperar digamos, não que seja uma necessidade, mas, um brinde digamos assim. Bem, adorei teu post, me identifiquei total kkkk

bjs e óooooooooooooootimo fds namorando!

Matutante disse...

Oi. Cheguei até aqui seguindo um post da Tânia, do Elos e nós. Ela está corretíssima: seu blog é uma delicía de acompanhar, o que farei a partir de hoje.

Um abraço,
Eva.

Maria Valéria disse...

Amei seu texto! tem tudo a ver com o momento que estou vivendo agora. Uma vida de solteira, mas as vezes com a companhia de alguem especial. Só começou a ficar bom quando parei de cobrar de mim, e dele, que evoluisse p/ namoro serio. Talvez não tenha que ser.O importante é que sei que me basto sozinha, e qdo isso acontece... a pessoa aparece!rs.
Nada parece ser definitivo, se não for essa pessoa o amor da minha vida, ok, uma hora acharei o meu( ou não), mas simplesmente parei de procurar... parei de me desesperar por isso, e é tão melhor assim!A vida é feita de pequenos momentos felizes, e é nesses que devemos nos apegar pra um dia olhar ´pra tras e dizer" putz, valeu a pena..." beijos do outro lado do mundo.

Ma disse...

Vc tem toda a razão, Beth! É difícil alcançar esse momento de paz consigo mesma e com a vida, mas quando estou nessa fase (confesso q entro e saio dela...) é ótimo! bjs

Pri disse...

É essa leveza que eu persigo sempre! O importante é ser feliz ao colocar a cabeça no travesseiro. Independente de estarmos sós ou acompanhadas. Quando a felicidade vem de dentro fica mais fácil atrairmos quem esteja na mesma sintonia. Seja feliz!!! Bjos!

Anônimo disse...

casei ,nao tive filhos por opçao ,curto o casamento como era antes ,amizade colorida,nao cobro nao sou cobrada ,sou senhora do meu destino ,continuo casada e livre,e amo essa vidinha boa e boba sem caras e bocas.beijinhos vanelia