quarta-feira, dezembro 22, 2010

The Social Network




Este eu assisti apenas pra matar a curiosidade. E confesso que não achei o filme grande coisa - principalmente após ter assistido Catfish (veja post anterior). The Social Network relata o surgimento da rede Facebook, um dos maiores fenômenos de mídia de nossos tempos. O protagonista é um nerd super inteligente, insuportável e calculista. Um cara que não sabe dar valor aos poucos amigos que tem - e são poucos, acreditem. O que aliás é irônico pra quem foi responsável pela criação da rede de amigos mais popular do planeta!

Quem me conhece sabe muito bem que não sou fã de redes sociais, muito menos do Facebook. Mas também sou a primeira a admitir que essas redes passaram a definir os padrões de comportamento dos últimos anos. Quer você goste ou não. É preciso uma grande dose de coragem pra escolher viver sem elas (eu que o diga).

Desnecessário dizer, o filme não me emocionou em nenhum aspecto, mas vale pra quem gosta do Facebook e quer saber mais sobre suas origens. A estória se concentra na batalha jurídica e nos aspectos comerciais da empresa bilionária. Enfim, o aspecto humano passa longe. Mas tem quem goste.

1 comentários:

Maria Valéria disse...

Discordo qdo vc fala que o filme não aborda o aspecto humano- aborda sim!! embora o personagem principal seja extremamente DESUMANO.RS. o filme retrata muito bem a frieza, a personalidade egocêntrica- um cara extretamente inteligente, manipulador, que não está aí pros sentimentos alheios e só quer subir na vida a qqer custo, mesmo que pra isso precise usar os outros e usar o melhor amigo... eu heim???

um bom filme pela dissecção que faz da personagem do criador do face, mas que eu não veria de novo...
beijão

Tecnologia do Blogger.

The Social Network




Este eu assisti apenas pra matar a curiosidade. E confesso que não achei o filme grande coisa - principalmente após ter assistido Catfish (veja post anterior). The Social Network relata o surgimento da rede Facebook, um dos maiores fenômenos de mídia de nossos tempos. O protagonista é um nerd super inteligente, insuportável e calculista. Um cara que não sabe dar valor aos poucos amigos que tem - e são poucos, acreditem. O que aliás é irônico pra quem foi responsável pela criação da rede de amigos mais popular do planeta!

Quem me conhece sabe muito bem que não sou fã de redes sociais, muito menos do Facebook. Mas também sou a primeira a admitir que essas redes passaram a definir os padrões de comportamento dos últimos anos. Quer você goste ou não. É preciso uma grande dose de coragem pra escolher viver sem elas (eu que o diga).

Desnecessário dizer, o filme não me emocionou em nenhum aspecto, mas vale pra quem gosta do Facebook e quer saber mais sobre suas origens. A estória se concentra na batalha jurídica e nos aspectos comerciais da empresa bilionária. Enfim, o aspecto humano passa longe. Mas tem quem goste.

1 comentários:

Maria Valéria disse...

Discordo qdo vc fala que o filme não aborda o aspecto humano- aborda sim!! embora o personagem principal seja extremamente DESUMANO.RS. o filme retrata muito bem a frieza, a personalidade egocêntrica- um cara extretamente inteligente, manipulador, que não está aí pros sentimentos alheios e só quer subir na vida a qqer custo, mesmo que pra isso precise usar os outros e usar o melhor amigo... eu heim???

um bom filme pela dissecção que faz da personagem do criador do face, mas que eu não veria de novo...
beijão