terça-feira, dezembro 12, 2006

Amor e amizade

Se fosse citar uma coisa que aprendi este ano, foi que na amizade (como no amor) também existe incompatibilidade de gênios. Aprendi que algumas pessoas podem gostar dos mesmos filmes, ler os mesmos livros e mesmo assim serem incompatíveis. Que as afinidades nem sempre são garantia de uma amizade verdadeira (e que não existem garantias na vida). Que o conceito de amizade é muito amplo e varia de pessoa pra pessoa - e algumas vezes de época para época na mesma pessoa. Porque as pessoas mudam.

E o mais importante, que nunca se deve esperar dos outros o que eles não podem nos dar (seja amigo, marido ou namorado). E aprendi que a vida continua, apesar de tudo. Vivendo e aprendendo.

4 comentários:

Anônimo disse...

Você tem razão! E o que me impressiona nesse assunto é que, muitas vezes, existe algum nível de cobrança: dar na expectativa de receber, como se tudo tivesse que necessariamente estar equiparado, medido em termos quantitativos. Cada um demonstra o que sente de forma diferente! O amor de um pode não ser o amor esperado pelo outro e ainda sim haver amor de alguma forma. Há ainda o ritmo de vida de cada um que interfere na expressão dos sentimentos. Tenho várias amizades que se perderam no caminho - hoje não há assunto, não há pontos em comum - só o carinho pelas lembranças de um passado que já passou.
O ser humano complica muito as coisas...

Anônimo disse...

Olha, sou eu, Ana Amélia! É que eu sou meio enrolada para essas coisas de Internet! Não sei me logar!!
Adorei seu blog!

B e b e t e :-) disse...

Eu não comparo relação de amizade com amor (de relacionamento). Se fosse assim não teria a metade de amigos que tenho, eles não me aguentariam e eu a eles. Amizade quando se está num outro país é bem diferente da amizade no próprio país. Aqui há mais "cobrança" em termos de amizades, no Brasil eu acredito que as relações fluem com mais leveza, porque a cultura é diferente. Aqui por uma certa carência de contato e solidão, as pessoas se aproximam mais e decorrente disso e dependendo da amizade cobram mais. Nem todos os casos.
Quando eu era criança li que:
"Através da amizade, ha sempre um prazer oculto que mais entenderão os medíocres".
Sou uma sortuda em ter amigos que não preciso explicar minhas alegrias e/ou minhas misérias...e não ver todos os dias, e saber que sou importante na vida deles assim como eles são na minha, talvez porisso procuro a minha espécie, sou uma mulher bicha e amo gays.
Ontem mesmo tive um exemplo vivo disso, me ligaram de outro país porque um grande e fofo amigo meu estava num cama de hospital contraiu cólera por causa de tufão nas Filipinas. Sorte que ele tinha um telefone no quarto e batemos muito papo furado, e demos boas risadas...aliviando a dor de nossas vidas. Logo logo ele vai estar recuperado.

Luti disse...

Nada como um dia após o outro....

Tecnologia do Blogger.

Amor e amizade

Se fosse citar uma coisa que aprendi este ano, foi que na amizade (como no amor) também existe incompatibilidade de gênios. Aprendi que algumas pessoas podem gostar dos mesmos filmes, ler os mesmos livros e mesmo assim serem incompatíveis. Que as afinidades nem sempre são garantia de uma amizade verdadeira (e que não existem garantias na vida). Que o conceito de amizade é muito amplo e varia de pessoa pra pessoa - e algumas vezes de época para época na mesma pessoa. Porque as pessoas mudam.

E o mais importante, que nunca se deve esperar dos outros o que eles não podem nos dar (seja amigo, marido ou namorado). E aprendi que a vida continua, apesar de tudo. Vivendo e aprendendo.

4 comentários:

Anônimo disse...

Você tem razão! E o que me impressiona nesse assunto é que, muitas vezes, existe algum nível de cobrança: dar na expectativa de receber, como se tudo tivesse que necessariamente estar equiparado, medido em termos quantitativos. Cada um demonstra o que sente de forma diferente! O amor de um pode não ser o amor esperado pelo outro e ainda sim haver amor de alguma forma. Há ainda o ritmo de vida de cada um que interfere na expressão dos sentimentos. Tenho várias amizades que se perderam no caminho - hoje não há assunto, não há pontos em comum - só o carinho pelas lembranças de um passado que já passou.
O ser humano complica muito as coisas...

Anônimo disse...

Olha, sou eu, Ana Amélia! É que eu sou meio enrolada para essas coisas de Internet! Não sei me logar!!
Adorei seu blog!

B e b e t e :-) disse...

Eu não comparo relação de amizade com amor (de relacionamento). Se fosse assim não teria a metade de amigos que tenho, eles não me aguentariam e eu a eles. Amizade quando se está num outro país é bem diferente da amizade no próprio país. Aqui há mais "cobrança" em termos de amizades, no Brasil eu acredito que as relações fluem com mais leveza, porque a cultura é diferente. Aqui por uma certa carência de contato e solidão, as pessoas se aproximam mais e decorrente disso e dependendo da amizade cobram mais. Nem todos os casos.
Quando eu era criança li que:
"Através da amizade, ha sempre um prazer oculto que mais entenderão os medíocres".
Sou uma sortuda em ter amigos que não preciso explicar minhas alegrias e/ou minhas misérias...e não ver todos os dias, e saber que sou importante na vida deles assim como eles são na minha, talvez porisso procuro a minha espécie, sou uma mulher bicha e amo gays.
Ontem mesmo tive um exemplo vivo disso, me ligaram de outro país porque um grande e fofo amigo meu estava num cama de hospital contraiu cólera por causa de tufão nas Filipinas. Sorte que ele tinha um telefone no quarto e batemos muito papo furado, e demos boas risadas...aliviando a dor de nossas vidas. Logo logo ele vai estar recuperado.

Luti disse...

Nada como um dia após o outro....