sábado, dezembro 02, 2006

3 autores que desisti de ler

Li no blog de uma amiga e como também adoro ler, resolvi colocar minha lista negra aqui também...se bem que já vou avisando, é uma questão meramente pessoal, não tenho a menor pretensão de ser crítica literária (nem poderia).

1. Jonathan Franzen - juro que tentei duas vezes, mas parei na metade do The Corrections (2001), livro muito badalado na mídia e vencedor do prestigioso prêmio literário National Book Award (EUA). Mas agora que o inverno chegou, e como sou teimosa, vou tentar outra vez (ou talvez não, pois admito ter um montão de livros interessantes pra ler aqui em casa no momento).

2. Zadie Smith - autora-prodígio, endeusada pela mídia inglesa graças ao sucesso estrondoso de seu primeiro livro, White Teeth (2000). A obra arrebatou inúmeros prêmios literários, entre eles o Orange Prize for Fiction e o Whitbread First Novel Award. Na verdade, admito que este é um caso duvidoso - o tema do livro me interessa e muito (assisti até a série produzida pela BBC), eu é que comecei o livro na hora errada e não consegui entrar na narrativa (shame on me!).

3. Jorge Amado - me desculpem os baianos, mas eu queria colocar um autor brasileiro na minha lista...Sim, admito ter uma certa cisma com romances regionalistas, embora eles tenham seu papel na Literatura Brasileira (mas eu poderia citar muitos autores melhores, a começar por Clarice Lispector, Caio Fernando Abreu e Guimarães Rosa). Acho o estilo dele pitoresco demais (a ponto de ser caricatural), o que inclusive colaborou pra criar uma forte imagem do Brasil no exterior que nem sempre corresponde à realidade como um todo mas parte dela - sem dúvida um dos (muitos) Brasis, mas não todo o Brasil.

2 comentários:

Arnild disse...

Jorge Amado não é dos meu autores preferidos, mas ao final entendi o porquê de sua popularidade: ele descreveu o Brasil das misturas, das soluções "macgyver" para lutas cotidianas; o Brasil dos sem dinheiro, mas que bebem uma cerveja e fartam-se à mesa em dia de festa.
Acho que ele tem seu lugar sim, justamente por descrever quase tudo que se rejeita no caráter brasileiro. As personagens de Amado são o que há de mais genuíno no tal "cadinho de raças". Não têm avós alemães, que lhes dêem um salvo-conduto.
A minha lista talvez incluísse ele e os demais que você citou.
beijos!

annix disse...

Ah, eu adoro Zadie Smith! Tenta de novo, acho todos os livros dela fantásticos!

Tecnologia do Blogger.

3 autores que desisti de ler

Li no blog de uma amiga e como também adoro ler, resolvi colocar minha lista negra aqui também...se bem que já vou avisando, é uma questão meramente pessoal, não tenho a menor pretensão de ser crítica literária (nem poderia).

1. Jonathan Franzen - juro que tentei duas vezes, mas parei na metade do The Corrections (2001), livro muito badalado na mídia e vencedor do prestigioso prêmio literário National Book Award (EUA). Mas agora que o inverno chegou, e como sou teimosa, vou tentar outra vez (ou talvez não, pois admito ter um montão de livros interessantes pra ler aqui em casa no momento).

2. Zadie Smith - autora-prodígio, endeusada pela mídia inglesa graças ao sucesso estrondoso de seu primeiro livro, White Teeth (2000). A obra arrebatou inúmeros prêmios literários, entre eles o Orange Prize for Fiction e o Whitbread First Novel Award. Na verdade, admito que este é um caso duvidoso - o tema do livro me interessa e muito (assisti até a série produzida pela BBC), eu é que comecei o livro na hora errada e não consegui entrar na narrativa (shame on me!).

3. Jorge Amado - me desculpem os baianos, mas eu queria colocar um autor brasileiro na minha lista...Sim, admito ter uma certa cisma com romances regionalistas, embora eles tenham seu papel na Literatura Brasileira (mas eu poderia citar muitos autores melhores, a começar por Clarice Lispector, Caio Fernando Abreu e Guimarães Rosa). Acho o estilo dele pitoresco demais (a ponto de ser caricatural), o que inclusive colaborou pra criar uma forte imagem do Brasil no exterior que nem sempre corresponde à realidade como um todo mas parte dela - sem dúvida um dos (muitos) Brasis, mas não todo o Brasil.

2 comentários:

Arnild disse...

Jorge Amado não é dos meu autores preferidos, mas ao final entendi o porquê de sua popularidade: ele descreveu o Brasil das misturas, das soluções "macgyver" para lutas cotidianas; o Brasil dos sem dinheiro, mas que bebem uma cerveja e fartam-se à mesa em dia de festa.
Acho que ele tem seu lugar sim, justamente por descrever quase tudo que se rejeita no caráter brasileiro. As personagens de Amado são o que há de mais genuíno no tal "cadinho de raças". Não têm avós alemães, que lhes dêem um salvo-conduto.
A minha lista talvez incluísse ele e os demais que você citou.
beijos!

annix disse...

Ah, eu adoro Zadie Smith! Tenta de novo, acho todos os livros dela fantásticos!