segunda-feira, agosto 02, 2010

Petite Anglaise, o blog e o livro

Semana passada esbarrei na biblioteca central em um livro cuja capa me chamou a atenção (e não apenas por ser cor-de-rosa mas por conter a palavra mágica Paris). Qual não foi a minha surpresa ao ler na contracapa que o livro se originou de um blog de uma expat inglesa em Paris (o que me remeteu ao livro e filme Julie & Julia, que comentei aqui antes). Desnecessário dizer, foi o suficiente pra eu decidir levar o livro pra casa. E desde então ando submersa nas aventuras e desventuras de uma certa inglesa na minha cidade favorita.

Como eu também sou blogueira, o livro acaba tendo um sabor especial...tanto que ele inevitavelmente me levou ao famoso blog da autora (lamento informar mas o blog é em inglês). E lendo uns posts aqui e ali me deparei com uma descrição de uma visita dela a um souk em Marrakesh e me vi novamente naquela Medina de Sousse na Tunísia, que comentei recentemente aqui!!! Admito que estas palavras poderiam ter sido escritas por mim - mas vou simplesmente copiar e colar o texto dela aqui porque afinal de contas, ela é a escritora:


As I plunge into the narrow passageways my nostrils are assaulted by a million unfamiliar odours. Leather, scented wood and incense, sewerage, donkey droppings and spices. The heat and blinding light of the open alleyways give way to cool dimness; light filters through the woven ceilings in dusty diagonal stripes. The stalls are covered with a profusion of goods of all colours, shapes and sizes. They are grouped by trade, and I pass through the slipper souk, the jeweller’s souk, the tanner’s souk and a square where spices are sold and chameleons and tiny tortoises roam in cages. Through doorways I can see woodcarvers, blacksmiths and dyers at work, a man deftly gripping a chair leg with his toes while he files with his hands. It’s a sensory overload, a fascinating glimpse into a world which seems to have changed little through the centuries. If only I felt comfortable enough to linger, take pictures and soak up the atmosphere.

Sadly, I don’t. I move quickly, eyes hidden behind my sunglasses to avoid eye contact with the stall owners. “Some vendors are aggressive to the brink of assault”, claims the Lonely Planet. I wouldn’t go that far, but the constant onslaught of attention is exhausting, intimidating. As a tourist, and as a lone woman I am seen as a soft target, an easy prey. I can’t move an inch without someone trying to solicit my attention. The catcalls vary from friendly to impatient to annoyed if I don’t deign to stop.


Agora com licença que eu vou lá ler mais um pouco...Depois eu volto com mais dicas e novidades!


PS. Para os curiosos, o blog dela está aqui, embora ela tenha escrito no penúltimo post que decidiu parar de blogar por escolha pessoal. Parece que agora ela só quer dedicar seu tempo a escrever livros e substituiu as postagens no blog pelo Facebook e Twitter...Uma pena.

7 comentários:

Pri Sganzerla disse...

Lembrou mesmo a cena que vc descreveu! O mesmo tipo de sensação... Meeedo desse lugar! rs

Uma pena que as pessoas troquem blogs por twitter! São veículos tão diferentes! Ninguém se aprofunda usando o limite de 140 caracteres...

Boa leutura!

Bjos!

Line disse...

Que legal!

Adorei o blog dela...quer dizer, só li alguns posts, mas gostei do que li!

Eu estou bem numa fase de ler livros fúteis-inúteis-de-mulherzinha, e devo admitir que estou adorando! Andei lendo muita coisa pesada, sobre guerras, documentários, José Saramago...agora chega!

Andei tendo uns pesadelos à noite porque sempre lia antes de ir dormir, e por isso decidi ler algo mais "suave", rs.

Estou querendo passar Ano Novo em Paris...você teria dicas?

Beijos!

Albuq disse...

Oi Beth, também quando entro nas livrarias os livros me chamam.
Muito legal descobrir que ela é blogueira também e faz uma descrição tão semelhante a tua. Muito legal.
Vou conhecer o blog da autora agora!
bjs, ótimo post!

Labelle® Paz disse...

Amei a dica!
[quero mais!]
Minha paixão indescritível é Londres... Não sei explicar o que aquela cidade tem que sempre que chego, fico arrepiada e fascinada. Ai ai ai [suspirando]

Lilly disse...

hehehe.... Vou comprar. Estou lendo (e amando) Eat, Pray, Love agora. Preciso correr porque vão lançar o filme aqui no Brasil.

Beijos!

Janine disse...

Vontade de ler isso tudo...não podendo deixar de comentar o "comentário" de Lilly about Eat, Pray and Love...simplesmente uma delícia de literatura!Nova no mundo da blogosfera, estou extremamente encantada com seu blog e alguns outros que venho conhecendo! Abs!

Beth Blue disse...

Line, livros mulherzinha são ótimas em alguns momentos das nossas vidas. Eu adoro uma chick-lit, mas tem de ser bem escrita. Sugiro qualquer livro da autora Lisa Jewell, minha favorita. Mais dicas de livro no marcador aqui do lado!

Janine, bem-vinda ao mundo maravilhoso dos blogs, rsrsrsrs. Quanto à Eat, Pray, Love não só li como comentei por aqui antes:
http://bethblue.blogspot.com/2008/08/autobiografia.html

Beijos meninas queridas...e continuem comentando por aqui!

Tecnologia do Blogger.

Petite Anglaise, o blog e o livro

Semana passada esbarrei na biblioteca central em um livro cuja capa me chamou a atenção (e não apenas por ser cor-de-rosa mas por conter a palavra mágica Paris). Qual não foi a minha surpresa ao ler na contracapa que o livro se originou de um blog de uma expat inglesa em Paris (o que me remeteu ao livro e filme Julie & Julia, que comentei aqui antes). Desnecessário dizer, foi o suficiente pra eu decidir levar o livro pra casa. E desde então ando submersa nas aventuras e desventuras de uma certa inglesa na minha cidade favorita.

Como eu também sou blogueira, o livro acaba tendo um sabor especial...tanto que ele inevitavelmente me levou ao famoso blog da autora (lamento informar mas o blog é em inglês). E lendo uns posts aqui e ali me deparei com uma descrição de uma visita dela a um souk em Marrakesh e me vi novamente naquela Medina de Sousse na Tunísia, que comentei recentemente aqui!!! Admito que estas palavras poderiam ter sido escritas por mim - mas vou simplesmente copiar e colar o texto dela aqui porque afinal de contas, ela é a escritora:


As I plunge into the narrow passageways my nostrils are assaulted by a million unfamiliar odours. Leather, scented wood and incense, sewerage, donkey droppings and spices. The heat and blinding light of the open alleyways give way to cool dimness; light filters through the woven ceilings in dusty diagonal stripes. The stalls are covered with a profusion of goods of all colours, shapes and sizes. They are grouped by trade, and I pass through the slipper souk, the jeweller’s souk, the tanner’s souk and a square where spices are sold and chameleons and tiny tortoises roam in cages. Through doorways I can see woodcarvers, blacksmiths and dyers at work, a man deftly gripping a chair leg with his toes while he files with his hands. It’s a sensory overload, a fascinating glimpse into a world which seems to have changed little through the centuries. If only I felt comfortable enough to linger, take pictures and soak up the atmosphere.

Sadly, I don’t. I move quickly, eyes hidden behind my sunglasses to avoid eye contact with the stall owners. “Some vendors are aggressive to the brink of assault”, claims the Lonely Planet. I wouldn’t go that far, but the constant onslaught of attention is exhausting, intimidating. As a tourist, and as a lone woman I am seen as a soft target, an easy prey. I can’t move an inch without someone trying to solicit my attention. The catcalls vary from friendly to impatient to annoyed if I don’t deign to stop.


Agora com licença que eu vou lá ler mais um pouco...Depois eu volto com mais dicas e novidades!


PS. Para os curiosos, o blog dela está aqui, embora ela tenha escrito no penúltimo post que decidiu parar de blogar por escolha pessoal. Parece que agora ela só quer dedicar seu tempo a escrever livros e substituiu as postagens no blog pelo Facebook e Twitter...Uma pena.

7 comentários:

Pri Sganzerla disse...

Lembrou mesmo a cena que vc descreveu! O mesmo tipo de sensação... Meeedo desse lugar! rs

Uma pena que as pessoas troquem blogs por twitter! São veículos tão diferentes! Ninguém se aprofunda usando o limite de 140 caracteres...

Boa leutura!

Bjos!

Line disse...

Que legal!

Adorei o blog dela...quer dizer, só li alguns posts, mas gostei do que li!

Eu estou bem numa fase de ler livros fúteis-inúteis-de-mulherzinha, e devo admitir que estou adorando! Andei lendo muita coisa pesada, sobre guerras, documentários, José Saramago...agora chega!

Andei tendo uns pesadelos à noite porque sempre lia antes de ir dormir, e por isso decidi ler algo mais "suave", rs.

Estou querendo passar Ano Novo em Paris...você teria dicas?

Beijos!

Albuq disse...

Oi Beth, também quando entro nas livrarias os livros me chamam.
Muito legal descobrir que ela é blogueira também e faz uma descrição tão semelhante a tua. Muito legal.
Vou conhecer o blog da autora agora!
bjs, ótimo post!

Labelle® Paz disse...

Amei a dica!
[quero mais!]
Minha paixão indescritível é Londres... Não sei explicar o que aquela cidade tem que sempre que chego, fico arrepiada e fascinada. Ai ai ai [suspirando]

Lilly disse...

hehehe.... Vou comprar. Estou lendo (e amando) Eat, Pray, Love agora. Preciso correr porque vão lançar o filme aqui no Brasil.

Beijos!

Janine disse...

Vontade de ler isso tudo...não podendo deixar de comentar o "comentário" de Lilly about Eat, Pray and Love...simplesmente uma delícia de literatura!Nova no mundo da blogosfera, estou extremamente encantada com seu blog e alguns outros que venho conhecendo! Abs!

Beth Blue disse...

Line, livros mulherzinha são ótimas em alguns momentos das nossas vidas. Eu adoro uma chick-lit, mas tem de ser bem escrita. Sugiro qualquer livro da autora Lisa Jewell, minha favorita. Mais dicas de livro no marcador aqui do lado!

Janine, bem-vinda ao mundo maravilhoso dos blogs, rsrsrsrs. Quanto à Eat, Pray, Love não só li como comentei por aqui antes:
http://bethblue.blogspot.com/2008/08/autobiografia.html

Beijos meninas queridas...e continuem comentando por aqui!