terça-feira, março 27, 2007

Será mesmo ?

Será mesmo que a gente aprende com nossos erros? Ou será que a gente erra, erra e erra mais uma vez até aprender? Hoje eu estava pensando no Caminho do Meio, aquele que muitos de nós passamos grande parte da vida procurando. Não é fácil encontrar a medida certa na vida e nos relacionamentos. Não é fácil tomar a decisão certa no momento certo (sem falar que para alguns o momento certo nunca chega). E nem sempre isso é possível. O que é possível é tomar a decisão certa para aquele dado momento de nossas vidas. E acredito (ou pelo menos, tento acreditar) que a gente sempre tenta fazer o melhor possível em cada situação.

Uma coisa que me surpreende, no entanto, é ver como o ser humano tem dificuldade em distinguir entre ajudar uma pessoa e criticar uma pessoa. Eu mesma confesso que sempre tive problemas com isso. Pra começar porque acredito que as pessoas possam ajudar umas às outras até certo ponto. E daquele ponto em diante, cada um decide o que quer ou não fazer com a sua vida (lembram do velho ditado? se conselho fosse bom não se dava, se vendia). Também acho que antes de dar um conselho, devemos tentar nos colocar no lugar do outro. Devemos nos esforçar para ver as coisas sob sua perspectiva - o que convenhamos, não é tarefa das mais simples. Porque muitas vezes, quem está precisando de conselho somos nós mesmos! Afinal de contas, é sempre mais fácil resolver os problemas dos outros. Haja bom-senso. E haja sabedoria.

De resto, vamos aprendendo...cada um a seu tempo e à sua maneira. Muitos erros e acertos, escolhas quase que diárias - algumas das quais iremos nos arrepender mais adiante ao vermos que não eram tão boas quanto havíamos imaginado. O importante é seguir em frente e lembrar que foi a melhor escolha naquele momento. E de preferência, seguir em frente sem remorso e sem sentimento de culpa.

Não sei se estou sendo clara, ando me sentindo meio esquisita...Mas acho que o que eu queria mesmo dizer é que o melhor para uma pessoa não é necessariamente o melhor para outra. E ao darmos conselhos, muitas vezes partimos do pressuposto do que é bom para nós mesmos. Pronto: está armada a confusão!

3 comentários:

annix disse...

Eu acho que os conselhos devem ser encarados como um outro ponto de vista. Vc não precisa segui-los se não concordar, mas pelo menos vê a questão a partir do ângulo de alguém diferente de si mesmo - o que costuma ajudar. Na maioria das vezes, a gente mesmo sabe como resolver um problema, mas precisa de um referencial pra avaliar a solução.

La Belle® disse...

"... Se conselhos fossem bons, seriam vendidos..."

Anônimo disse...

Oi Beth,
Nossa, agora voce falou uma coisa que podia ser o meu lebensmotto: "o que e' melhor pra alguns nao necessariamente e' melhor para os outros". Voce nao imagina quantas vezes eu ja tive, e continuo tendo, que repetir esta frase pra mim mesmo, e me defender da opiniao alheia (e ai ponho familia, parceiro, amigos, todo mundo entra na roda), usando esta frase. Todo mundo sempre acha que sabe mais de nos mesmos que nos mesmos, isso nao e' incrivel??? Parece infantil, mas eu me sinto eternamente incompreendido nos meus atos, pensamentos, opinioes... eu vivo tendo que me "explicar" atraves desta frase. Que saco. Conselho e' bom, mas dificil e' achar o conselho real, aquele que nao vem grudado com um julgamento.
Antonio

Tecnologia do Blogger.

Será mesmo ?

Será mesmo que a gente aprende com nossos erros? Ou será que a gente erra, erra e erra mais uma vez até aprender? Hoje eu estava pensando no Caminho do Meio, aquele que muitos de nós passamos grande parte da vida procurando. Não é fácil encontrar a medida certa na vida e nos relacionamentos. Não é fácil tomar a decisão certa no momento certo (sem falar que para alguns o momento certo nunca chega). E nem sempre isso é possível. O que é possível é tomar a decisão certa para aquele dado momento de nossas vidas. E acredito (ou pelo menos, tento acreditar) que a gente sempre tenta fazer o melhor possível em cada situação.

Uma coisa que me surpreende, no entanto, é ver como o ser humano tem dificuldade em distinguir entre ajudar uma pessoa e criticar uma pessoa. Eu mesma confesso que sempre tive problemas com isso. Pra começar porque acredito que as pessoas possam ajudar umas às outras até certo ponto. E daquele ponto em diante, cada um decide o que quer ou não fazer com a sua vida (lembram do velho ditado? se conselho fosse bom não se dava, se vendia). Também acho que antes de dar um conselho, devemos tentar nos colocar no lugar do outro. Devemos nos esforçar para ver as coisas sob sua perspectiva - o que convenhamos, não é tarefa das mais simples. Porque muitas vezes, quem está precisando de conselho somos nós mesmos! Afinal de contas, é sempre mais fácil resolver os problemas dos outros. Haja bom-senso. E haja sabedoria.

De resto, vamos aprendendo...cada um a seu tempo e à sua maneira. Muitos erros e acertos, escolhas quase que diárias - algumas das quais iremos nos arrepender mais adiante ao vermos que não eram tão boas quanto havíamos imaginado. O importante é seguir em frente e lembrar que foi a melhor escolha naquele momento. E de preferência, seguir em frente sem remorso e sem sentimento de culpa.

Não sei se estou sendo clara, ando me sentindo meio esquisita...Mas acho que o que eu queria mesmo dizer é que o melhor para uma pessoa não é necessariamente o melhor para outra. E ao darmos conselhos, muitas vezes partimos do pressuposto do que é bom para nós mesmos. Pronto: está armada a confusão!

3 comentários:

annix disse...

Eu acho que os conselhos devem ser encarados como um outro ponto de vista. Vc não precisa segui-los se não concordar, mas pelo menos vê a questão a partir do ângulo de alguém diferente de si mesmo - o que costuma ajudar. Na maioria das vezes, a gente mesmo sabe como resolver um problema, mas precisa de um referencial pra avaliar a solução.

La Belle® disse...

"... Se conselhos fossem bons, seriam vendidos..."

Anônimo disse...

Oi Beth,
Nossa, agora voce falou uma coisa que podia ser o meu lebensmotto: "o que e' melhor pra alguns nao necessariamente e' melhor para os outros". Voce nao imagina quantas vezes eu ja tive, e continuo tendo, que repetir esta frase pra mim mesmo, e me defender da opiniao alheia (e ai ponho familia, parceiro, amigos, todo mundo entra na roda), usando esta frase. Todo mundo sempre acha que sabe mais de nos mesmos que nos mesmos, isso nao e' incrivel??? Parece infantil, mas eu me sinto eternamente incompreendido nos meus atos, pensamentos, opinioes... eu vivo tendo que me "explicar" atraves desta frase. Que saco. Conselho e' bom, mas dificil e' achar o conselho real, aquele que nao vem grudado com um julgamento.
Antonio