sábado, maio 26, 2007

De repente

De repente, não mais que de repente...meu filho cresceu. Assim mesmo, da noite pro dia. Ou vai ver eu é que não estava preparada para tanta mudança em tão pouco tempo. Criança é assim: da noite pro dia, quando você menos espera, ela aprende algo de novo. O menininho inseguro e assustado que aprendeu a andar aos 18 meses (eu já quase morta de preocupação), que mal conseguia correr sem trocar as pernas e cair (e teve o azar de cair dum balanço aos dois anos e ficar com a perna engessada três semanas), que aprendeu ano passado a andar de bicicleta sem rodinhas (numa bicicleta pequenininha porque tinha medo), mês passado ganhou uma bicicleta maior e está se achando gente grande. E agora vai com o pai pra escola de bicicleta e já começa a se aventurar de bicicleta no centro de Amsterdam...Não se iludam, não é tarefa das mais fáceis: eu mesma até hoje não me sinto 100% à vontade no meio de carros, ônibus, trams, taxis, pedestres...e outras bicicletas. Juro que não é pouca coisa pra quem no Brasil aprendeu que lugar pra andar de bicicleta é no parque (e no máximo, na ciclovia da orla).

O menino também aprendeu a ler, quando há pouco tempo só olhava as figuras. E está cada vez melhor com os números, quando há pouco tempo contar até 10 já era motivo de muito orgulho. E descobriu os games no computador de um dia pro outro (achou o jogo 2 Fast 2 Furious esta semana e nunca mais largou, em 2 dias bateu todos os recordes, rsrsrs). Eu nunca estimulei os games aqui em casa (contrariamente a muitas mães modernas) porque preferi estimular outro tipo de atividades (físicas, leitura, etc). De qualquer forma, já percebi que esta é uma batalha perdida: as crianças de hoje parece que já vieram programadas pra gostar de games! Eu, que no meu tempo só brincava de ATARI e o game mais emocionante na minha lista era Pac-man. É minha gente, os tempos mudaram!

E além da bicicleta, dos livros e dos números...o menino hoje já assiste sem problemas - e sem reclamar - filmes em inglês. E não os filmes dublados em holandês, que a maioria das crianças daqui assiste. E claro, sai orgulhoso do cinema. Em breve iremos juntos assistir Bridge to Terabithia (porque a mãe é uma criança grande e também adora filmes de fantasia). O filme, que é legendado e não dublado para os pequenos (como a maioria dos filmes da Disney) recebeu classificação para 9 anos por aqui. E ele está todo animado dizendo que vai assim mesmo (mal completou 7 anos mês passado). O momento de glória, vejam bem, é na bilheteria do cinema. Quando o funcionário educadamente avisa mãe e filho que o filme não é dublado e sim no original (inglês) com legendas. E Liam se dá conta que fala dois idiomas (sim senhor, está pensando o quê) e senta na poltrona de cinema se sentindo gente grande.

E quanto à mãe do menino...esta continua cada dia mais coruja!

3 comentários:

Eu não sei, você sabe? disse...

Gente grande é o que nós vamos nos tornando ao ver que somos capazes de estar ao lado e progredir junto nessas transformações.
E há quem não acredite em milagres...

beijos, beth

Sorriso® disse...

Que lindo Beth!!!
Adorei saber sobre o Liam.
Sabe descobri que ser mãe é muito bom!
Beijos.

La Belle® disse...

Ano que vem encomendo um pintadinho. Vou querer trocar umas figurinhas, viu?
Beijocas!

Tecnologia do Blogger.

De repente

De repente, não mais que de repente...meu filho cresceu. Assim mesmo, da noite pro dia. Ou vai ver eu é que não estava preparada para tanta mudança em tão pouco tempo. Criança é assim: da noite pro dia, quando você menos espera, ela aprende algo de novo. O menininho inseguro e assustado que aprendeu a andar aos 18 meses (eu já quase morta de preocupação), que mal conseguia correr sem trocar as pernas e cair (e teve o azar de cair dum balanço aos dois anos e ficar com a perna engessada três semanas), que aprendeu ano passado a andar de bicicleta sem rodinhas (numa bicicleta pequenininha porque tinha medo), mês passado ganhou uma bicicleta maior e está se achando gente grande. E agora vai com o pai pra escola de bicicleta e já começa a se aventurar de bicicleta no centro de Amsterdam...Não se iludam, não é tarefa das mais fáceis: eu mesma até hoje não me sinto 100% à vontade no meio de carros, ônibus, trams, taxis, pedestres...e outras bicicletas. Juro que não é pouca coisa pra quem no Brasil aprendeu que lugar pra andar de bicicleta é no parque (e no máximo, na ciclovia da orla).

O menino também aprendeu a ler, quando há pouco tempo só olhava as figuras. E está cada vez melhor com os números, quando há pouco tempo contar até 10 já era motivo de muito orgulho. E descobriu os games no computador de um dia pro outro (achou o jogo 2 Fast 2 Furious esta semana e nunca mais largou, em 2 dias bateu todos os recordes, rsrsrs). Eu nunca estimulei os games aqui em casa (contrariamente a muitas mães modernas) porque preferi estimular outro tipo de atividades (físicas, leitura, etc). De qualquer forma, já percebi que esta é uma batalha perdida: as crianças de hoje parece que já vieram programadas pra gostar de games! Eu, que no meu tempo só brincava de ATARI e o game mais emocionante na minha lista era Pac-man. É minha gente, os tempos mudaram!

E além da bicicleta, dos livros e dos números...o menino hoje já assiste sem problemas - e sem reclamar - filmes em inglês. E não os filmes dublados em holandês, que a maioria das crianças daqui assiste. E claro, sai orgulhoso do cinema. Em breve iremos juntos assistir Bridge to Terabithia (porque a mãe é uma criança grande e também adora filmes de fantasia). O filme, que é legendado e não dublado para os pequenos (como a maioria dos filmes da Disney) recebeu classificação para 9 anos por aqui. E ele está todo animado dizendo que vai assim mesmo (mal completou 7 anos mês passado). O momento de glória, vejam bem, é na bilheteria do cinema. Quando o funcionário educadamente avisa mãe e filho que o filme não é dublado e sim no original (inglês) com legendas. E Liam se dá conta que fala dois idiomas (sim senhor, está pensando o quê) e senta na poltrona de cinema se sentindo gente grande.

E quanto à mãe do menino...esta continua cada dia mais coruja!

3 comentários:

Eu não sei, você sabe? disse...

Gente grande é o que nós vamos nos tornando ao ver que somos capazes de estar ao lado e progredir junto nessas transformações.
E há quem não acredite em milagres...

beijos, beth

Sorriso® disse...

Que lindo Beth!!!
Adorei saber sobre o Liam.
Sabe descobri que ser mãe é muito bom!
Beijos.

La Belle® disse...

Ano que vem encomendo um pintadinho. Vou querer trocar umas figurinhas, viu?
Beijocas!